Olhar Agro & Negócios

Segunda-feira, 14 de outubro de 2019

Notícias / Agricultura

Falta de logística, acesso à internet e invasões do MST são obstáculos para agricultura, avalia Maggi

Da Redação - Fabiana Mendes

02 Jan 2018 - 11:00

Foto: Rogério Florentino Pereira/ Olhar Direto/Ilustração

Falta de logística, acesso à internet e invasões do MST são obstáculos para agricultura, avalia Maggi
Durante o ano de 2017, produtores rurais colheram a maior safra da história do Brasil. De acordo com levantamento da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), foram 238 toneladas de grãos. No entanto a falta de logística, acesso à internet e invasões do Movimento Sem Terra (MST) em áreas destinadas a plantações são alguns dos obstáculos que impedem que os resultados sejam ainda maiores. O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi (PP) assegura que está preocupado com estas situações e tem atuado para garantir tranquilidade aos produtores rurais. 

Leia Mais: 
Entrega de equipamentos avaliados em R$ 4 mi vai beneficiar pequenos produtores em 36 municípios

Uma estudo da Nasa confirmado pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) revelou que no Brasil a área de lavoura é de 63,9 milhões de hectares. Os números representam 7,6% do território nacional. Além disso, mais de 66% da vegetação nativa é preservada. Sendo os agricultores são responsáveis por 30% desta preservação.
 
Maggi defende a ampla divulgação dos dados que serão utilizados para rebater a crítica recorrente internacional de que os “agricultores brasileiros são desmatadores”.
 
“Nós vamos ter que corrigir um discurso interno, onde nós mesmos falávamos mal da nossa agricultura e dos nossos produtores. E também corrigir este discurso lá fora. E agora com base em dados e números é incontestável”, disse Maggi em entrevista ao Jornal da Band.
 
Diante da maior safra da historia, a agricultura enfrenta muitos desafios para que os números continuem em alta. Uma das maiores dificuldades é falta de armazéns para guardar toda a safra colhida durante o ano. As péssimas condições das estradas também são apontadas como obstáculo.
 
Demarcações de áreas indígenas em regiões consolidadas pela agricultura e pecuária são outro desafio. “Vêm índios do Paraguai [para Mato Grosso do Sul] e da Bolívia para o Mato Grosso e acabam se misturando e isso se torna uma grande contingente”, afirma Blairo, que também comenta sobre as invasões em terras produtivas por integrantes do MST.

“É uma coisa que é um terrorismo. Não é uma pauta de reivindicação para produzir. Isso já deixou de ser há muito tempo no Brasil. Então deve ser tratada desta maneira e o governo está sempre preocupado com esta situação e tem que atuar para garantir aos proprietários rurais o direito à propriedade e a garantia para que ele possa produzir com tranquilidade”.
 
A falta de conectividade em áreas rurais também se torna um obstáculo. Em grande parte das áreas rurais ainda não é possível ter acesso à internet.  Sendo assim repasses de dados e até mesmo a comunicação se torna um desafio para os produtores. 

4 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Gilmar
    02 Jan 2018 às 21:21

    Latifúndio é o atraso da humanidade.

  • Ilse
    02 Jan 2018 às 16:52

    Ele está querendo dizer da agricultura de plantio de grãos / monocultura, aquela que beneficia um mínimo de produtores deixando-os cada vez mais ricos e que não agrega valor econômico, inclusive pagando ínfimo impostos, considerando o que ganham, geralmente em valores da moeda mais valorizada do mundo. Uma produção que não garante suprir diariamente as mesas das famílias brasileiras. Esse senhor entrou para a política visando buscar mais poder para o seu grupo e infelizmente está conseguindo porque o povo brasileiro é bem alienado nesse quesito . Tá bem! Esse negócio que ele defende aí deveria ser denominado agro-destrutivo, pois já está conseguindo a façanha de invadir até o Pantanal mato-grossense cujo bioma é apto apenas para a criação de gado e não para a cultura de grãos, vislumbrando que logo, logo, a degradação total daquele santuário natural será a mais uma cruel realidade. Pobre Mato Grosso e pobre Brasil com esses "produtores" do caos. Ora, ora, vá chorar na cama que é lugar quente, Sr. "moto-serra de ouro".

  • Ângelo
    02 Jan 2018 às 12:11

    Têm mais é que invadir mesmo ! A lei só protege os latifundiários ... mst neles!

  • Um cara com um cigarro na boca
    02 Jan 2018 às 12:07

    Falando assim dos sem terra fico pensando que você acha que eles são uns espúrios. .

Sitevip Internet