Olhar Agro & Negócios

Sexta-feira, 22 de novembro de 2019

Notícias / Agricultura

Agricultura familiar foi responsável por R$ 80 mi em financiamentos em MT; 40 mil produtores foram atendidos

Da Redação - André Garcia Santana

09 Jan 2018 - 11:44

Foto: Reprodução/Internet

Agricultura familiar foi responsável por R$ 80 mi em financiamentos em MT; 40 mil produtores foram atendidos
Pequenos agricultores financiaram R$ 80 milhões em recursos para investimento e custeio, nas linhas de crédito do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) e Fundo Constitucional do Centro-Oeste (FCO) em 2017. Os dados são da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer), que divulga as principais informações sobre as ações e serviços que atingiram 128 municípios do Estado. No total foram atendidos 40.210 produtores entre mulheres rurais, indígenas, quilombolas e jovens rurais no ano de 2017.

Leia mais:
Estado comprará mais de R$ 5 mi em alimentos de produtores familiares; 27 municípios participam

De acordo com a Empaera, Na área da pesquisa foram implantados 94 Unidades Tecnológicas, 61 experimentos de pesquisa e 33 unidades de validação. Para acessar o crédito rural e as políticas públicas em 137 municípios foram emitidas 10.195 Declarações de Aptidão do Pronaf (DAP) e elaborados 1.814 projetos, somente do Pronaf foram contratados 927 projetos no valor de mais de R$ 32 milhões. Ainda no mesmo ano foi celebrado o Termo de Cooperação com Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) autorizando a Empaer a emitir DAP para agricultores familiares assentados.

O presidente do órgão, Layr Mota da Silva, explica que o Estado autorizou a contratação de 115 técnicos, o que representou um incremento de 30 por cento da força de trabalho existente no segmento de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater), sendo eles contratados no período de julho a outubro/2017. Esse acréscimo oportunizou a ampliação da força de trabalho em 72 unidades operativas, a reabertura de oito unidades, a abertura de mais nove unidades operativas locais e consequentemente, o aumento da abrangência dos agricultores familiares assistidos pelos serviços de ater.

Assim, mesmo diante da crise financeira foram entregues 17 veículos para os escritórios locais e nove caminhonetes zero km aos escritórios regionais. A empresa ainda formalizou parcerias com 40 municípios por meio de acordos de Cooperação Técnica, o que facilitou o acesso do agricultor familiar aos projetos de pesquisa e serviços de Ater. “Isso significa mais condições de trabalho para os técnicos, e também um melhor atendimento das demandas das famílias rurais, melhorando assim a qualidade de vida dos agricultores deste Estado”, enfatiza.

Para facilitar o acesso da informação pelo produtor e pela sociedade em geral, foi lançado em 2017 o novo site da Empaer. Totalmente reformulado e de fácil navegação, proporcionando ao usuário uma plataforma completa com dados que ilustram a realidade da agricultura familiar do Estado de Mato Grosso. Além disso, o site permite uma maior integração com o portal do Governo do Estado. Layr destaca que desde o seu lançamento em 2004, esta é a primeira grande reformulação pela qual passa o site da empresa, que pode ser acessado pelo endereço  www.empaer.mt.gov.br.

A Secretaria de Arigultra Familiar (Seaf), destaca que outro programa voltado para o fortalecimento das famílias foi a capacitação de 2.794 mulheres nas comunidades rurais, por meio de encontros e oficinas, com uma nova visão de consumo sustentável e empreendedorismo, com efeito motivador, informativo, recreativo e de integração além de apresentar e fomentar as políticas públicas para as mulheres do campo.

4 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Aretana Arruda Campos
    09 Jan 2018 às 18:14

    Ilse: deixe de sonhar, querida. Essa tal agricultura familiar é um sorvedouro de recursos públicos e não dá nenhum retorno ao país. Tem que ter o empreendedor rural, pequeno, médio ou grande. Meu pai criou 9 filhos com a produção de um pequeno sítio em N.S. Livramento e sem financiamento do tal Pronaf. Desse sítio que ele herdou de meu avô, nos criou e formou, comprou fazenda em Jaurú, casas para todos os filhos a diferença dele para esses assentados é que meu pai sempre trabalhou, até hoje com 85 anos. Os questionamentos do Dr. Elias Daher são muito pertinentes.

  • fabio boeck
    09 Jan 2018 às 13:32

    empaer em ação!!!

  • Elias Amin Daher
    09 Jan 2018 às 13:08

    Tá ok, 80 milhões em financiamentos e com juros subsidiados. E o resultado disso , aumentou a produção ou a compra de motocicletas, TV de 50", celular último tipo para a família toda ? Eles tem pago os financiamentos anteriores? A produção média dos beneficiários destes financiamentos aumentou em quanto por cento ? Temos o direito de saber, pois o dinheiro desses empréstimos subsidiados é nosso, saiu dos nossos impostos.

  • Ilse
    09 Jan 2018 às 12:10

    Esse é o verdadeiro e adequado modelo de negócios no campo e que deveria proliferar e consolidar país afora , pois não cria castas de "baronato" de poucos bilionários que só servem para corromper os políticos e rodar a ciranda do capital vadio. Que esse projeto prospere cada dia mais e promova a fixação de milhões as famílias no campo produzindo alimentos de boa qualidade que estarão todos os dias nas mesas de cada família brasileira.

Sitevip Internet