Olhar Agro & Negócios

Segunda-feira, 20 de maio de 2019

Notícias / Geral

Calor e boêmia: clima estimula consumo de cerveja e fortalece setor de bares e restaurantes em Cuiabá

Da Redação - André Garcia Santana

08 Abr 2018 - 15:30

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Calor e boêmia: clima estimula consumo de cerveja e fortalece setor de bares e restaurantes em Cuiabá
Noite quente, povo festeiro e clima acolhedor. A descrição que marca algumas das principais características de Cuiabá também é responsável por impulsionar o setor de bares e restaurantes, que se multiplicam cidade a fora para atender os hábitos de consumo dos cuiabanos. De acordo com a Junta Comercial do Estado de Mato Grosso (Jucemat), há  2244 estabelecimentos registrados na cidade, onde vivem pouco mais de 590 mil habitantes. Quase um ponto para cara 260 pessoas.  

Leia mais:
Da cozinha de rua à gourmet, abertura de restaurantes e lanchonetes sobe 16%; veja tendências e riscos

Os números criam ambiente propício para a produção de bebidas, que cresce com a onda das cervejas artesanais. Atualmente, além da gigante Ambev, a Capital abriga as fábricas da Louvada e da Benedita, as mais famosas do segmento. é ainda um dos principais destinos da Cuyabana, sediada na vizinha Várzea Grande, e de importantes marcas oriundas do interior do Estado, como a Kessbier, produzida em Lucas do Rio Verde (320 km da Capital).  

O diretor comercial da Louvada, Ygor Quintela, endossa o discurso que associa o calor a boemia local. Este, inclusive, foi um dos fatores levados em consideração durante a concepção do projeto da Louvada, há pouco mais de dois anos. "Queríamos empreender em Cuiabá de qualquer forma, mas sem dúvida essa relação entre calor e  consumo de cerveja foi levantada. Quando visitamos outras cidades, isso fica mais evidente. Não é em todo lugar que as pessoas saem tanto", diz.  

Na outra ponta, o presidente do Sindicato dos Empregados Com Bares, Restaurantes e Similares (Sindecombares), Francisco Chaves, lembra que o setor vem enfrentando algumas dificuldades e se adequando a novas mudanças de comportamento do mercado. Para ele, uma série de fatores como a implantação da Lei Seca e a popularização das áreas gourmets nos condomínios têm feito com que os clientes fiquem mais em casa.  
Praça Popular - Cuiabá/Reprodução


"Hoje existe menos essa cultura de ostentar e muitos tem preferido o conforto de casa para organizar as reuniões, churrascos, etc. Tem tudo ali, não precisa tirar o carro da garagem, não corre risco de se envolver em acidentes", explica. Dono do tradiconal Confrade, Chaves lembra o passado na região central. "Há uns 20 anos pra subir a Getúlio Vargas até o Chopão e descer a Isaac Povoas, a gente demorava uma hora no final de semana, por conta do movimento ali." 

Com o tempo a distribuição dos estabelecimentos também foi pulverizada e hoje as duas regiões mais agitadas na noite de Cuiabá são a praça Popular, com sua proposta elitizada, e a praça da Mandioca, com espaços alternativos. Além destas, há opções para todas as tribos espalhadas por toda a cidade. "Não é como antes, mas o cuiabano ainda gosta muito de sair. Temos amigos em Campo Grande, por exemplo, e lá os bares fecham muito mais cedo", finaliza Chaves. 

Mais inaugurações 

Inaugurações de bares, restaurantes e lanchonetes em Cuiabá cresceram 16% entre 2016 e 2017, passando de 249 para 289 empreendimentos. A porcentagem acompanha a tendência mundial de alimentação fora do lar e desenha um cenário rico em opções, que passam das inúmeras adaptações de barcas e potes à sofisticação da gastronomia tradicional. Além disso, destaca uma nuance do setor, que atrai diferentes profissionais e se apresenta como alternativa para quem pretende investir em negócios de menor complexidade técnica, no caso dos empreendimentos caseiros.

1 comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Dona Jacira
    08 Abr 2018 às 21:38

    Sou da boemia, mas prefiro lugares mais simples que venda litrão de cerveja a 7 reais. Isso ja me deixa feliz para começar uma nova semana!

Sitevip Internet