Olhar Agro & Negócios

Sexta-feira, 19 de julho de 2019

Notícias / Logística

Eraí lidera produtores do Estado para construir ferrovia orçada em quase R$ 13 bilhões

Da Redação - Carlos Gustavo Dorileo

02 Set 2018 - 16:01

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Eraí lidera produtores do Estado para construir ferrovia orçada em quase R$ 13 bilhões
O empresário Eraí Maggi está unindo produtores de soja e milho do Estado para construírem uma ferrovia, que ligará Sinop até o porto fluvial de Miritituba (PA), no Rio Tapajós. A obra, segundo reportagem do jornal Estado de São Paulo, custará aproximadamente R$ 12,7 bilhões ao grupo.

Leia também
SR-DNIT/MT apresenta concepção para travessia urbana de Sapezal


Batizado de ‘Ferrogrão’, o projeto está a cinco anos na pauta do Governo, mas não saiu do papel. A ideia da ferrovia partiu de grandes empresas como: Amaggi, Bunge, Cargill e a estruturadora Estação da Luz Participações (EDLP).

Casados de esperar, os produtores decidiram fazer a ferrovia por conta própria, colocando dinheiro no projeto. Há duas semanas, uma assembleia da Associação dos Produtores de Soja e Milho do Mato Grosso (Aprosoja - MT) aprovou por unanimidade a proposta de se criar um fundo de aproximadamente R$ 600 milhões ao ano para custear o investimento.

Para Eraí Maggi, o todo o investimento valerá a pena por conta dos benefícios que a ferrovia trará para o setor e conseqüentemente para o Estado.  “Torna-se troco, perto dos benefícios que vai trazer ao produtor”, afirmou.

Eraí também disse ver a Ferrogrão como uma estratégia para manter a competitividade do agronegócio brasileiro. “Não adianta a gente pensar que só nós somos bonitos”, disse. “Os chineses estão arrendando terras na Rússia para plantar milho”, explicou.

A Ferrogrão, tecnicamente chamada EF-170, é o projeto de uma ferrovia longitudinal brasileira que formará o corredor ferroviário de exportação do Brasil pela Bacia Amazônica, na Região Norte do país. A ferrovia contará com uma extensão de 1.142 km, conectando a região produtora de grãos do Centro-Oeste ao Porto de Miritituba na margem direita do rio Tapajós, em Itaituba, no estado do Pará.

7 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Paulo Roberto Sabão.
    03 Set 2018 às 16:02

    É isso ai...! Parabéns ao Irai Maggi,por encabeçar mas esse desafio. De fato,essa ferrovia dará,um retorno imenso para Mt. Se deixarmos só nas mãos dos politicos,pode até sair...,mas irá demorar decadas. Mas com essa parceria,Governo e iniciativa privada, o resultado é outro. Parabéns aos participantes,do consorcio. Mt e seu povo agradece.

  • Emilio Dantas
    03 Set 2018 às 10:36

    OS produtores estão cansados de esperar. A atitude de andar com as próprias pernas é a mais correta, Iniciativa privada concluirá essa ferrovia em 3 anos, e o escoamento dos grãos irá triplicar com a ferrovia pronta.

  • GERALDO
    03 Set 2018 às 09:28

    Enquanto isso os políticos não fazem nada a respeito da conclusão da ferrovia Rondonópolis/Cuiabá,só papo furado em reuniões e encontro .

  • analista social
    03 Set 2018 às 08:08

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Jorge
    03 Set 2018 às 08:07

    Essa é uma das grandes saídas para exportar a nossa produção agropecuária a um custo bem mais barato e competitivo no mercado internacional...

  • CUIABANO MT
    03 Set 2018 às 07:25

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • APRIGIO
    02 Set 2018 às 19:10

    Essa famigerada ferrovia não vai sair do papel, isso é apenas um delírio de alguns sonhadores. Hoje, ela está orçada em 13 bilhões, porém no decorrer das obras finalizará em 25 bilhões. A iniciativa privada sem a parceria do governo e vice-versa não prospera. É mais um projeto que ficará guardado na gaveta, aliás essa ferrovia já esteve em pauta no governo federal anteriormente. É mais fácil uma nave tripulada norte-americana descer em Marte do que essa ferrovia vingar. Esse é um projeto que nosso bisnetos talvez irão concluir. Ano eleitoral é assim mesmo, cheios de promessas mirabolantes...

Sitevip Internet