Olhar Agro & Negócios

Quinta-feira, 17 de outubro de 2019

Notícias / Agronegócio

Clima instável acelera a colheita de grãos no Centro-Oeste brasileiro

Da Redação - Thaís Fávaro

21 Jan 2019 - 13:54

Foto: Reprodução Internet

Clima instável acelera a colheita de grãos no Centro-Oeste brasileiro
Dezembro foi um mês desafiador para os produtores de soja no Brasil. Grande parte da produção nacional sofreu quebra e a expectativa é de redução na projeção inicial de safra feita pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) de 120,6 milhões de toneladas para 118,8 milhões de toneladas dessa cultura. Por isso, sojicultores do Mato Grosso estão se antecipando e já iniciaram a colheita do grão nas lavouras do estado. Segundo o Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), 5,62% da área plantada já foi colhida, número 4,33% superior ao registrado no ciclo 2017/2018 para o período.

Leia mais
Nova Mutum recebe ‘Fundação MT em Campo 2019’ 

"A safra de soja foi a que mais enfrentou os efeitos da estiagem. Mesmo assim, a redução da produtividade não foi severa, sendo que temos a expectativa que o adiantamento da colheita somado a melhores condições climáticas em janeiro deve manter os índices nos patamares atuais", explica o gerente do Núcleo de Agronegócio Gazeta do Povo e coordenador da Expedição Safra, Giovani Ferreira.

O Mato Grosso do Sul também iniciou de forma antecipada sua colheita da safra de soja, segundo a Associação dos Produtores da oleaginosa (Aprosoja/MS). A estimativa da Associação é que entre os meses de janeiro e fevereiro haja uma estabilização no clima, com chuvas melhores distribuídas e temperaturas mais amenas. Ainda de acordo com a Aprosoja/MS, O veranico dos meses anteriores causou uma quebra de 11% na produtividade da cultura, reduzindo a projeção inicial de 10 milhões de toneladas para 8,9 milhões de toneladas.

Milho

A primeira safra de milho recebeu menos impactos do veranico do que a soja. A Conab projeta que a cultura deve registrar alta de 2,4% em comparação ao ciclo anterior (de 24,46 milhões de toneladas para 26,81 milhões de toneladas). O Mato Grosso também irá registrar aumento em sua produção, chegando a 101,9 milhões de toneladas, índice 2,36% superior à 2017/2018 (quando foram registradas 99,6 milhões de toneladas), de acordo com o Imea. Já no Mato Grosso do Sul a grande expectativa é com a safrinha (milho segundo safra), que deve alcançar 8,7 milhões de toneladas, ante 6,3 milhões do ciclo anterior, um acréscimo de 38,5%, segundo informações do Sistema de Informação Geográfica do Agronegócio (Siga MS)

E esse será o cenário que a Expedição Safra irá visitar entre os dias 21 de janeiro e 1º de fevereiro. A equipe de técnicos e jornalistas irá percorrer as cidades de Sorriso, Nova Mutum, Campo Novo do Parecis, Cuiabá e Rondonópolis no Mato Grosso, além de São Gabriel do Oeste, Campo Grande, Dourados e Naviraí no Mato Grosso do Sul.

Sobre a Expedição Safra

A Expedição Safra faz um levantamento técnico-jornalístico da produção de grãos da América do Sul à América do Norte. O projeto percorre 12 estados brasileiros nas etapas de plantio e colheita. Para ampliar a discussão sobre mercado, desde a temporada 2010/11 a equipe realiza roteiros extraordinários, com incursões à Alemanha, Holanda, Bélgica, França, China, Índia, Israel, Rússia e ao Canal do Panamá. A Expedição Safra é uma iniciativa do Núcleo de Agronegócio Gazeta do Povo e é apresentada pelo Sistema Confea-Crea, com o patrocínio da Caixa Econômica Federal, Sementes e Fertilizantes Castrolanda, Agrotec, Alta, Solaris e Expo Londrina. O apoio logístico é do Groupe Renault.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Sitevip Internet