Olhar Agro & Negócios

Sexta-feira, 18 de outubro de 2019

Notícias / Agricultura Familiar

Jornada em Defesa da Reforma Agrária traz líder do MST à UFMT

Da Redação - Isabela Mercuri

22 Mai 2019 - 15:01

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Feira no JURA 2018

Feira no JURA 2018

A segunda edição da Jornada Universitária em Defesa da Reforma Agrária (JURA) acontece na Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) entre os dias 27 e 29 de maio. Com o objetivo de discutir os impactos do agronegócio, as alternativas sustentáveis, a distribuição mais justa das terras e o respeito ao meio ambiente e a quem vive no campo ouvindo especialistas, ativistas, agricultores e comunidades tradicionais, o evento traz uma palestra de Gilmar Mauro, um dos principais líderes do Movimento Sem Terra, além de ampla programação.

Leia também:
Sem 'crise de abastecimento', assentados da reforma agrária vendem produtos orgânicos em Cuiabá
 
Iniciada em 2014 com a participação de 40 instituições federais de ensino, a JURA chega em 2019 a 60 Universidades e Institutos Federais. Neste ano, as atividades começaram antes mesmo da abertura oficial. No último dia 18, por exemplo,  aconteceu uma vivência para estudantes e interessados no Acampamento Padre José Ten Cat (Jaciara) e no assentamento Egídio Bruneto (Juscimeira), coordenada pelas professoras Gislayne Figueiredo Mírian Sewo, ambas da UFMT.
 
Entre os dias 20 e 24 de maio, sempre às 19h, no auditório do Museu Rondon de Etnologia e Arqueologia da UFMT (Musear) são exibidos documentários sobre a luta pela terra, as comunidades quilombolas e a educação nos assentamentos da Reforma Agrária.

A abertura oficial do evento será às 19h do dia 27 de maio, no Auditório do Centro Cultural da UFMT, com a palestra de Gilmar Mauro. Outras mesas compõe a programação em diversos horários e locais:

“Movimentos quilombolas: história, identidade e luta” (dia 27 das 10:00 às 12:00 no Auditório do IGHD);

“Impactos das hidrelétricas nas bacias do Teles Pires e Juruena – A visão dos atingidos” (dia 27 das 14:00 às 16:00 no Centro Cultural da UFMT);

“O jornalismo de Mato Grosso e a expansão do agronegócio no estado” (dia 27 das 16:00 às 18:00 no Auditório da Faculdade de Agronomia e Zootecnia), com coordenação dos jornalistas Francisco Alves e Vinicius Souza, ambos colaboradores dos Jornalistas Livres;

“Formas de organização da universidade frente às demandas dos movimentos sociais” (dia 28 das 10:00 às 12:00 no Centro Cultural da UFMT);

“A educação do campo frente aos ataques ultraliberais” (dia 29 das 8:00 às 10:00 no Centro Cultural da UFMT);

“Trabalho, patriarcado e natureza: olhares e percepções de mulheres camponesas” (dia 29 das 10:00 às 12:00 no Auditório do PPGE).

Entre as oficinas, seminários e cursos previstos estão: 

Oficina de Bacia de Evapotranspiração” (dia 28 a partir das 8:30 no Auditório do IGHD);

“Seminário: Trabalho escravo contemporâneo no campo e reforma trabalhista” (dia 28 das 14:00 às 16:00 no Centro Cultural da UFMT); 

“Oficina: Teatro do Oprimido” (dia 28 das 14:00 às 16:00 no Auditório do Instituto de Educação).

Haverá ainda exposições, lançamentos de livros, rodas de conversa, místicas e Feiras com diversos produtos, entre outras atividades. Veja a programação completa em https://juramatogrosso.wixsite.com/jura2019/programacao.

Serviço

Jornada Universitária  em defesa da Reforma Agrária
Local: Universidade Federal de Mato Grosso, Campus Cuiabá
Data: 27 a 29 de maio de 2019 em diferentes horários
Participação com certificado mediante inscrição.
Informações: https://juramatogrosso.wixsite.com/jura2019/programacao 

12 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Aguinaldo Barbosa
    24 Mai 2019 às 19:59

    O Lula e a Dilma não fizeram reforma agraria no Brasil porque acharam que ia ficar eternamente no poder, eles iam começar a fazer daqui uns 10 anos, só estavam roubando um pouquinho kkkkkkk

  • Chico Bento
    24 Mai 2019 às 10:45

    O PT desde que existiu falou em reforma agrária. Estiveram 16 anos no poder. Por que não a implantaram? Parem de mentir, MST e demais movimentos de pilantras. Além disso, todos os assentamentos no Brasil foram implantados nos governo militar e FHC. O PT e seus asseclas não assentaram ninguém.

  • Vem pro debate! Pare de falar asneira!
    24 Mai 2019 às 09:09

    Acredito que as pessoas que estão comentando aqui nunca participaram de uma atividade na UFMT, e outra coisa não conhecem o MST, ta ai a oportunidade de conhecer e debater a reforma agraria .... Ah o evento não é feito pela universidade e sim por professores, alunos e movimentos sociais, sem recursos publicos

  • JOÃO DOS MONTES
    23 Mai 2019 às 12:03

    AINDA EXITE ESSE MOVIMENTO???????????????? 16 ANOS DO PARTIDO DA SALVAÇÃO DO BRASIL NO PODER E NÃO CONSEGUIRAM ACABAR COM A DESIGUALDADE NO CAMPO?? SE ESSE TAL PARTIDO DEFENSOR DOS MAIS POBRES NÃO CONSEGUIRAM, QUEM IRÁ CONSEGUIR??????

  • INDIGNADO
    23 Mai 2019 às 11:47

    Por esse motivo sou a favor do corte de verba as Universidades, ficam dando espaço para invasores que depois que ganham a terra do governo vende por qualquer preço. Os governos do Lula e da Dilma que são apoiados por esses movimentos foram os que menos fizeram reforma agraria, isso é fato. Por isso concordo em mudança total nas instituições de ensino o sistema de direito do Brasil se funda na propriedade privada voce compra um bem outro vem invade te rouba e acha que está certo.

  • Pedro Lomanho
    23 Mai 2019 às 09:52

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Gibran Luis Lachowski
    23 Mai 2019 às 00:29

    Ótima iniciativa da UFMT em parceria com o MST. Um bom exemplo de educação, reflexão e construção de um novo paradigma de sociedade, mais justo, solidário, começando pelo anti-hegemônico. Parabéns!!!

  • Luís Carlos Silva lima
    22 Mai 2019 às 16:33

    BLSONARO É O CARA FEZ ATE MST PRODUZIR ESTUDANTES QUE NÃO ESTUDAM ESTUDAR

  • Luis
    22 Mai 2019 às 16:16

    Distribuição de terras? É uma piada? Não tenho nenhuma terra e não quero nada de ninguém. Quem quiser terra que vá trabalhar pra comprar a sua. Falta do q fazer viu!

  • Mulher ma
    22 Mai 2019 às 16:05

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

Sitevip Internet