Olhar Agro & Negócios

Quarta-feira, 17 de julho de 2019

Notícias / Meio Ambiente

Imazon aponta redução de 45% no desmatamento em Mato Grosso no mês de abril

Da Redação - José Lucas Salvani

30 Mai 2019 - 16:10

Foto: Marcos Vergueiro / Secom

Imazon aponta redução de 45% no desmatamento em Mato Grosso no mês de abril
Novo boletim do Sistema de Alerta de Desmatamento (SAD) elaborado pelo Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon) aponta que entre agosto de 2018 e abril de 2019, Mato Grosso reduziu o desmatamento em 22%. Somente para o mês de abril de 2019, a queda foi de 45%, número menor que o ano anterior, que atingiu 78%.

Leia mais:
Mato Grosso reduz desmatamento na Amazônia Legal em 78%, aponta Imazon

Apesar da queda, Mato Grosso foi o estado que mais desmatou a área da Amazônia Legal, com 60 km², o equivalente a 31% dos 217 km² desmatados. O topo do pódio também é liderado pelo estado em março de 2019. Já a degradação das florestas atinge 7 km², correspondendo a 7% da area total degradada, que é de 102 km². A redução apontada é em comparação entre os meses de abril de 2018 e abril de 2019.

"Os dados mostram que Mato Grosso foi um dos únicos Estados que obteve a redução e isso graças a uma combinação de esforços para fazer frente ao desmatamento, de políticas públicas para o fortalecimento das ações de comando, controle, responsabilização e valorização da floresta em pé, por meio do programa REM (REDD+ para pioneiros) e do Instituto Produzir, Conservar e Incluir" destaca a secretária de Estado de Meio Ambiente, Mauren Lazzaretti.

Em abril de 2019, 71% da área total da Amazônia Legal, composta por  Acre, Amazonas, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima, Tocantins e Amapá, foi desmatada em áreas privadas ou em estágios de posse. As demais regiões foram em assentamentos, correspondente a 18%, Unidades de Conservação (10%) e Terras Indígenas (1%).

Por conta do período da seca, que pode descarrilar um aumento do desmatamento no estado, a Secretaria de Estado de Meio Ambiente de Mato Grosso (Sema-MT) irá reforçar o sistema de monitoramento e fiscalização. Somente no primeiro trimestre deste ano, já foram aplicadas mais de R$ 100 milhões em multas e foram embargados 32 mil hectares.

3 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Fagundes
    03 Jun 2019 às 08:09

    Esse sr Lisandro é um poço de conhecimento e ainda tem bola de cristal... sabe tudo esse rapá...

  • Ambientalista
    02 Jun 2019 às 14:28

    Esta tem redução do desmatamento tem nome esforço concentrados de Sema, Indea, Policia Ambiental, Ibama, Policia Rodoviária Federal, Policia Civil através da Dema e Policia Federal. Mas o Governador Mauro Mendes através do seu Líder Dalbosco quer desmantelar isto ao retirar a identificação de madeira do Indea e levar para Sema , sendo que a Sema já tem mil e uma atribuição

  • Lisandro Peixoto Filho
    30 Mai 2019 às 21:29

    Chegará um dia em que o desmatamento zerado, por não haver mais arvores, e ai "não verás um país". Sim, a população imensa a ser alimentada, mas não desculpa e muito menos razão principal para desmatamento, que também responsável o comercio de madeira e exploração do solo pela mineração.

Sitevip Internet