Olhar Agro & Negócios

Domingo, 20 de outubro de 2019

Notícias / Agricultura

Caso da "vaca louca" de MT é encerrado e Brasil mantém status sanitário de risco insignificante

Da Redação - Thaís Fávaro

04 Jun 2019 - 16:02

Foto: Brasil de Fato

Caso da
A Organização Internacional da Saúde Animal (OIE) determinou o encerramento do caso de Encefalopatia Espongiforme Bovina (EEB), conhecida popularmente como doença da vaca louca, registrado na sexta-feira (31), em um animal de Mato Grosso. Com isso mantém o status sanitário do Brasil segue como “risco insignificante” para a doença. A exportação do produto para a China chegou a ser suspensa em cumprimento do protocolo bilateral assinado em 2015, que determina que as autoridades chinesas concluam suas avaliações levando em consideração os riscos de contaminação.

Leia mais
Brasil suspende exportação de carne bovina à China após caso de 'vaca louca' em Mato Grosso
 
O caso registrado em Mato Grosso é “atípico” e foi diagnosticado em um animal de 17 anos, alimentado a pasto e que apresentou sintomas neurológicos após um longo stress de transporte, condição que afasta a possibilidade da forma clássica da doença. A Organização ainda afirmou que haverá relatórios suplementares sobre o caso.

A China é um dos principais mercados de carne brasileira no exterior, a decisão de suspender a exportação foi tomada pelo governo brasileiro devido ao acordo assinado com o país em 2015. No acordo os certificados sanitários deixarão de ser emitidos pelo Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal (Dipoa) e passa a ser emitido pelas autoridades chinesas após avaliação dos riscos.

De acordo com o veterinário do Instituto Mato-grossense de Carne, Guilherme Nolasco, nunca houve registro da presença de casos de EEB clássico no Brasil, o que torna a carne um fator de risco para o consumo humano. "O desenvolvimento dos casos clássicos ocorre quando o bovino se alimenta de subprodutos derivados de proteína animal, o que não ocorre no país. A alimentação do rebanho é prioritariamente a pasto e a suplementação com ração de origem vegetal. Nós temos um dos rebanhos mais saudáveis e a nossa carne atende a todos os padrões de qualidade e sanitários", afirma.

Veja nota na íntegra;

Atualização sobre um caso de EEB atípico verificado em Mato Grosso


1 - Examinada a notificação da ocorrência pela Organização Internacional de Saúde Animal (OIE), este órgão determinou hoje (3) o encerramento do caso sem alteração do status sanitário brasileiro, que segue como risco insignificante para a doença.

2 - A OIE informou ainda que não haverá relatórios suplementares sobre o caso.

3 - No caso da China, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento do Brasil suspendeu temporariamente a emissão de certificados sanitários até que a autoridade chinesa conclua sua avaliação das informações já transmitidas sobre o episódio, cumprindo-se, assim, o disposto no protocolo bilateral assinado em 2015.
 

3 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Eder
    05 Jun 2019 às 11:22

    Quanta ignorância do Milton do CPA I e do Jonathan Tim . . . lamentável!!!

  • Milton CPA I
    04 Jun 2019 às 19:38

    Essa doença é perigosa. Evitem carne vermelha.

  • Jonathan Tim
    04 Jun 2019 às 17:08

    Já avisei minha família inteira pra não comer carne vermelha. Só frango e peixe. Essa doença da vaca louca é terrível.

Sitevip Internet