Olhar Agro & Negócios

Terça-feira, 16 de julho de 2019

Notícias / Economia

Empresa lança opção de compra de ‘cotas’ de barcos como forma acessível de aproveitar dias de lazer no Manso

Da Redação - Isabela Mercuri

05 Jun 2019 - 08:57

Foto: Divulgação

NX 260 Full de 26 pés

NX 260 Full de 26 pés

Passar o final de semana no lago do Manso, aproveitando o dia em um passeio de barco com a família pode parecer uma realidade distante para muita gente. No entanto, é exatamente esta ideia que o empresário Edmar Lucas, 30, proprietário da ‘Remap Náutica’, quer tirar da cabeça dos mato-grossenses. Há cerca de dez dias, ele iniciou uma nova proposta: a de venda de cotas de barcos.

Leia também:
Com bikes compartilhadas, MRV entrega residencial com 292 apartamentos em Várzea Grande

“Alguns clientes que não tinham condição de comprar 100% dos barcos me pediam para localizar um sócio para eles. Mas era complicado encontrar sócio que não fosse conhecido. Então buscamos este sistema de cotas compartilhadas, que já existe hoje em Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro e Florianópolis, e trouxemos para Cuiabá”, contou ao Olhar Agro & Negócios.

Edmar Lucas (Foto: Isabela Mercuri / Olhar Direto)

O sistema de cotas foi lançado pela Remap no último dia 24 de maio, com a venda inicial de um NX 260 Full de 26 pés. Este barco custa R$300 mil, e foi dividido em três cotas de R$99.990. O comprador de cada cota terá direito ao usufruto do bem por 1/3 do mês e do ano – mas a propriedade daquela cota será sua para o resto da vida, ou até quando decidir vendê-la. Em apenas dez dias, duas das três cotas disponíveis já foram vendidas.

Além do valor pago pelo barco, o proprietário também tem um custo mensal que inclui  o preço da marina, seguro, marinheiro de pátio e o sistema utilizado para agendar as datas de uso. No caso do NX 260 Full de 26 pés, o valor é de R$750 para cada proprietário. O preço varia de acordo com o tamanho do barco e da quantidade de cotas vendidas, e não está incluso o marinheiro para pilotar o barco (somente o de pátio, que realiza a limpeza e fiscaliza como o barco sai e chega da marina).

Depois que todas as cotas são vendidas, os proprietários se reúnem e combinam como vão gerir a divisão. Eles podem optar por utilizar um sistema online oferecido pela Remap, onde conseguem fazer a reserva para o dia que querem o barco, ou decidir, por exemplo, que cada um ficará com uma semana.

“Funciona da seguinte forma: se você reservar, por exemplo, para sábado, no sábado pela manhã o barco estará limpo para você e com tanque abastecido. Quando você chegar, o marinheiro de pátio vai fazer um check list com você. Vai mostrar que o motor está funcionando, o GPS está funcionando, os bancos estão sem nenhuma avaria... e quando você voltar no final do dia, o marinheiro vai estar lá e vai fazer todo esse check list novamente. Se houver, por exemplo, um furo, você vai assinar que o banco furou, nós da empresa vamos mandar arrumar e eu vou mandar o boleto para você pagar”, explica Edmar. “Se acontecer algo normal em decorrência de uso, por exemplo, uma peça estragar – o que em um barco novo é muito difícil de acontecer - por desgaste natural, neste caso é feito o rateio do valor entre todos os proprietários para pagar o conserto”.

Vale lembrar que o barco tem seguro e, portanto, no caso de qualquer acidente mais grave, os donos das cotas não sairão prejudicados. Para comprar a cota é necessário se comprometer a estar sempre com um marinheiro pilotando (de responsabilidade do proprietário), ou possui Arrais-Amador (como se fosse uma carteira de habilitação para navegação).

Os barcos da Remap Náutica são da NXBoats ou da Focker. Os passíveis de serem vendidos em cotas ficam fixos no lago do Manso, mas a empresa também vende outros tipos, a partir de R$60 mil (novos) e R$40 mil (usados) para comprador único, com possibilidade de financiamento nestes casos.

“As pessoas têm na sua mente que barco é algo para quem está numa classe econômica muito maior. Mas não. Existem desde barcos de R$60 mil, a barcos de R$20 milhões. E esta opção de comprar uma cota dá mais facilidade. Por exemplo, se você poderia ter somente um barco de 20 pés, com proa aberta, sem muitos opcionais, que custa em média R$100 mil, com esse valor você consegue um barco de quase 30 pés, completo, com ar condicionado, televisão, churrasqueira, cabine... e você vai ter 25% do custo [caso seja dividido em quatro cotas] e 100% do lazer. Porque poucas pessoas utilizam o barco todo final de semana, mas ainda assim os custos são mensais. E desta forma, com as cotas, você compartilha os custos também”, afirma o empresário.

Depois que venderem a última cota do NX 260 Full de 26 pés, a Remap abrirá a venda de outras quatro cotas para um barco de 29 pés, que custa, no total, aproximadamente R$400 mil. Cada cota custará cerca de R$100 mil.

O proprietário comemora os números. “Ano passado tivemos um crescimento de 27% na empresa, e este ano esperamos ultrapassar os 40% em relação ao último ano. O mercado está bem aquecido no estado, a gente tem grandes oportunidades, e uma credibilidade muito grande entre os clientes”, garante Edmar.

Serviço

Quem quiser conhecer a empresa pode encontrá-los em:
Av. Miguel sutil, 690, edifício Verona Tower, sala 213, bairro Jardim Paulista, Cuiabá
Instagram 
Telefone: (65) 99607-8225 (WhatsApp)

3 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • ZÉ NINGUÉM
    05 Jun 2019 às 19:59

    FICA MUITO, MAS MUITO MAS BARATO, IR NUMA MARINA E ALUGAR, OU PAGAR PRA USAR UM BARCO. KKKKKKKKKKKKKKKKKKKK. COM O PRECO DA COTA, MAS AS MENSALIDADES, COMPRO PASSAGEM PRA ANGRA DOS REIS E ALUGO A LANCHA ...KKKKKKKK

  • Gustavo
    05 Jun 2019 às 12:35

    Excelente novidade! Parabens aos empreendedores!

  • Juliano Sabino
    05 Jun 2019 às 11:29

    Realidade em outros estados que chega agora em MT... Bacana

Sitevip Internet