Olhar Agro & Negócios

Quarta-feira, 18 de setembro de 2019

Notícias / Meio Ambiente

Sistema europeu de monitoramento para combate a desmatamento começa a operar em MT

Da Redação - Carlos Gustavo Dorileo / Do Local - Erika Oliveira

14 Ago 2019 - 15:43

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Sistema europeu de monitoramento para combate a desmatamento começa a operar em MT
O governador Mauro Mendes (DEM) anunciou que a partir deste mês a Secretaria de Meio Ambiente (Sema) irá contar com uma ferramenta capaz de monitorar em tempo real e com imagens em alta resolução qualquer tipo de desmatamento que venha acontecer no Estado. Avaliado em cerca de R$ 5 milhões, o sistema é uma iniciativa do Programa REED+ For Early Movers (REM), que premia países que apresentam resultados positivos na conservação de suas florestas, e foi viabilizado pelos governos da Alemanha e do Reino Unido.

Leia mais:
Mauro rejeita política externa de combate ao desmatamento e anuncia nova plataforma de monitoramento

“Teremos condições, a partir deste novo sistema que passa a vigorar a partir deste mês, de monitorar em tempo real, em 24 horas, toda e qualquer movimentação dos ativos florestais existente em Mato Grosso. Uma área do tamanho provavelmente de um lote urbano, se for desmatado de um dia para o outro, o sistema é capaz de apontar para os mecanismos de controle agir”, explicou o governador Mauro Mendes.

A ferramenta, chamada Imagens Planet, vai acompanhar áreas de desmatamento por meio de satélites e permitirá que a Sema faça um monitoramento preventivo, gere alertas e auxilie o trabalho de fiscalização no combate ao desmatamento ilegal.

O sistema de monitoramento será diário e os alertas de desmatamento semanais. A plataforma será utilizada pela Sema em conjunto com a Polícia Ambiental, Delegacia Especializada do Meio Ambiente (Dema) da Polícia Civil, o Batalhão de Emergências Ambientais (BEA), Comitê do Fogo, Ciopaer, a Secretaria de Estado Agricultura Familiar e Assuntos Fundiários (Seaf), a Empaer e o Ministério Público.

“Esta ferramenta é considerada hoje como a mais moderna utilizada para o controle do desmatamento ilegal. Ela é também uma ferramenta que será usada para outras ações importantes no controle ambiental de Mato Grosso, como apoio ao CAR, será utilizada para licenciamento, vistoria por imagens sem que seja necessário deslocar técnicos da Sema até as unidades”, continuou o governador.

As imagens do novo sistema serão obtidas por mais de 130 satélites, com 4 bandas espectrais e resolução radiométrica de 12 bits e possuem 3 metros de resolução espacial, o que permite obter imagens atuais de grandes áreas com alto padrão de qualidade e precisão planimétrica.

“Temos a confiança de que a aquisição desse serviço fará o diferencial nos próximos anos da Secretaria de Meio Ambiente e de todas as nossas ações. O objetivo principal, mas não o único, é que nós possamos estabelecer um modo diferente de combater o desmatamento ilegal no Estado. A grande preocupação do mundo é também de Mato Grosso. O sistema de detecção e de controle vai permitir que os órgãos possam agir num tempo que hoje é impossível com os instrumentos que nós tempos”, destacou a secretária de Meio Ambiente, Mauren Lazzaretti.

Conta alta

Na semana passada, questionado sobre o controle de desmatamento no Estado e sobre sua participação no Fórum de Governadores da Amazônia Legal, Mauro endureceu o discurso contra organizações internacionais e se alinhou a declarações do presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL).

O assunto tem ganhado destaque em todo o mundo, principalmente por conta da demissão do diretor do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), Ricardo Galvão, sob a alegação de que os alertas de desmatamento - com aumentos de 88% em junho e 212% em julho – haviam sido manipulados.

Na coletiva de hoje, ao ser perguntado se houve alguma mudança de pensamento, em razão da parceria com os governos da Alemanha e do Reino Unido, Mendes defendeu que esses países precisam “pagar” pela utilização dos recursos naturais brasileiros.

“Iremos trabalhar cada vez mais para preservar, dentro dos limites legais, todos esses ativos. Mas nós também temos o direito de construir o nosso desenvolvimento econômico. A ferramenta que apresentamos hoje vai de encontro a essa filosofia. Isso não é mudança do que falamos, continuaremos falando que Mato Grosso produz muito e respeita o meio ambiente”, disse o governador.

“Eu acho que essa questão ambiental tem profunda relação com Mato Grosso, estamos no olho do furacão dos interesses internacionais ligados ao meio ambiente. E nós iremos tomar as medidas para que estejamos alinhados com os nossos mercados. Mas acima de tudo com o pensamento que temos de que iremos preservar e não precisamos que ninguém aponte o dedo aqui. Mas se querem preservar, também tem que cumprir com o que eles estabeleceram e prometeram, como os recursos para países que reduzissem a emissão de carbono. Isso tem preço e precisa ser pago”, pontuou Mauro Mendes.

Programa REM

O contrato REM Mato Grosso libera recursos de acordo com o desempenho do Estado no combate ao desmatamento. Os repasses são realizados anualmente e geridos pelo Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (Funbio).

O REM prevê recursos na ordem de €44 milhões dos governos da Alemanha, através do Banco Alemão de Desenvolvimento (KfW), e do Reino Unido, por meio do Departamento Britânico para Energia e Estratégia Industrial (BEIS). A totalidade do recurso só será liberada se o Estado mantiver o desmatamento abaixo do limite, chamado de gatilho de performance, que é de 1788 Km2/ano.
 
 

2 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • GABRIEL DIONISIO MANCILLA
    15 Ago 2019 às 08:19

    O mundo dá voltas e o que foi atualíssimo dez anos atras hoje j´a se mostra obsoleto visto a existencia de novas tecnologias que mostram, alem de periodicidade praticamente em tempo real, uma resolução fantástica. Entretanto, não temos este fantástico material, nós os profissionais que lidam com o setor produtivo rural e os produtores idem, acredito que esta providencia deva ser defendida tambem pelas associações de produtores, FAMATO e ONGs além desta tênue voz solitária!

  • trabalhador
    14 Ago 2019 às 18:38

    parabéns isso mesmo fiscalizar mesmo

Sitevip Internet