Olhar Agro & Negócios

Segunda-feira, 21 de outubro de 2019

Notícias / Logística

Acordo com Azul possibilitará vôo de Juína a Orlando com ticket único e duas conexões

Da Redação - Lucas Bólico

26 Ago 2019 - 16:00

Foto: Reprodução

Acordo com Azul possibilitará vôo de Juína a Orlando com ticket único e duas conexões
Acordo firmado na semana passada entre a companhia mato-grossense Asta e a Azul Linhas Aéreas Brasileiras irá integrar voos das duas empresas, o que, na prática, colocará 104 destinos domésticos na rota dos municípios de Água Boa, Canarana, Juara, Juína, Lucas do Rio Verde, Primavera do Leste e Tangará da Serra, hoje atendidos pela Asta. Cuiabá e Rondonópolis, onde as duas empresas já atuam, também entram neste acordo.

Leia também:
Azul e Asta assinam acordo e passam a atender 111 destinos domésticos no país
 
“A nossa ideia é que você embarque em Juína e possa desembarcar em Orlando”, afirmou o CEO da ASTA Linhas Aéreas, Adalberto Bogsan, para ilustrar o que irá significar, em quesito de praticidade e integração, o acordo. “Juína a Orlando com duas conexões só [Cuiabá e Campinas]”, complementou o diretor de alianças da Azul, Marcelo Bento Ribeiro, em almoço com jornalistas na sede da Azul¹.
 
O acordo deve começar a vigorar em até 90 dias. Os funcionários da companhia já testaram o caminho que o passageiro deverá fazer e como funcionará a transferência de bagagens. “É como se a gente [Azul] tivesse saindo de 104 para mais de 110 cidades de uma vez só e a Asta como se tivesse adicionando quase 100 cidades na malha dela, com checkin integrado e emissão dos dois cartões de embarque. A bagagem despachada em Lucas do Rio Verde [por exemplo] vai direto para o destino final. Temos acordo tarifário, com preços especiais entre as duas empresas para que não seja simplesmente uma soma das duas tarifas”, explicou Bento Ribeiro.
 
Este é o primeiro interline que a Azul faz dentro do território nacional. A intenção da empresa é se expandir para o interior do país, com vistas a atender o agronegócio brasileiro. A estrutura dos aeroportos no interior de MT e o baixo número de passageiros era uma barreira para a expansão da companhia. Daí a idéia de integrar os voos aos já feitos pela empresa sub-regional fundada em Mato Grosso em 1995.


 Adalberto Bogsan (esquerda) e Marcelo Bento Ribeiro (direita). Foto: AgroOlhar. 

“O Brasil é muito grande e a gente não pode ter a pretensão de querer estar em todos os lugares ao mesmo tempo. Então daí a gente enxergou a oportunidade e a necessidade de ter um parceiro dentro do Brasil que pudesse nos ajudar a fazer copiosas que nós não conseguimos ou não queremos ou temos dificuldade de fazer, mas que são muito importantes para nós”, afirmou Ribeiro.

Para a Asta, entrar no canal de vendas da Azul é um negócio e tanto. “Hoje a Azul tem uma expressão muito importante no mercado brasileiro hoje. Eles têm praticamente 25% de market share no mercado. Nós temos o nosso canal de vendas através da Asta. O B2B [Business to business] e B2C [Business to Consumer], mas quando você entra no canal de vendas da Azul você sai de um canal de vendas que praticamente é uma mangueira e nós vamos com um canhão de vendas. Então você aumenta violentamente a tua possibilidade de vendas. Isso para nós é importante, explica Adalberto Bogsan.
 
Com mais de mil passageiros transportados por mês, a ASTA conta com três aeronaves modelo Cessna Grand Caravan C208B, de nove lugares. A expectativa da empresa é de incrementar a demanda em 30% com a parceria, principalmente por conta da extensão da malha da Azul e da imediata conexão com os voos da companhia em Cuiabá. A capital do Mato Grosso tem uma média de 28 voos diários para 17 destinos.  
 
A Azul é a maior companhia aérea do Brasil em número de voos e cidades atendidas, com 854 voos diários e 114 destinos. Com uma frota operacional de 129 aeronaves e mais de 11.000 funcionários, a companhia possui 225 rotas em 30 de junho de 2019. Em 2019, a Azul conquistou o prêmio de melhor companhia aérea da América Latina pelo TripAdvisor Travelers' Choice e, em 2018, foi eleita a melhor companhia aérea pela Kayak Flight Hacker Guide, e também foi classificada como a melhor companhia aérea regional da América do Sul pelo oitavo ano consecutivo pela Skytrax. A Azul também foi a companhia aérea mais pontual do Brasil em 2018 de acordo com o ranking mundial da FlightStats.

*AgroOlhar acompanhou o lançamento da parceria na sede da Azul, em São Paulo, a convite das companhias aéreas.

5 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Zeca
    28 Ago 2019 às 08:37

    Cáceres não existe no mapa de linhas aéreas. Só no índice de desenvolvimento, se colocando entre os últimos do estado.

  • Walter
    27 Ago 2019 às 16:01

    O Cessna Grand Caravam custa a bagatela de U$2 milhões, ai vc coloca preço de combustível, burocracia e impostos brasileiros, ta feito o preço da passagem. Eu não pago, mas tem quem pague.

  • Marcelo
    26 Ago 2019 às 21:57

    As passagens pro interior vao ficar mais baratas por q senao vamos continuar andando de onibus até a capital pra economizar por q os precos dos voos da Asta custam muito caro ainda

  • Souza
    26 Ago 2019 às 17:28

    E Cáceres será que nunca teremos mesmo este aeroporto funcionando?

  • SILVIO
    26 Ago 2019 às 16:38

    MAis uma pequena sendo engolida pelas gigantes. Primeiro passo para extinção da Asta. Logo tudo azul....

Sitevip Internet