Olhar Agro & Negócios

Domingo, 31 de maio de 2020

Notícias / Geral

Secretário destaca função de MT como produtor de alimentos e descarta desabastecimento no Estado

Da Redação - Érika Oliveira

01 Abr 2020 - 15:54

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto

Secretário destaca função de MT como produtor de alimentos e descarta desabastecimento no Estado
O secretário de Desenvolvimento Econômico do Estado, Cesar Miranda, garantiu que Mato Grosso não corre riscos de desabastecimento durante o período restritivo para combate ao coronavírus. A possibilidade de encontrar prateleiras de supermercados vazias voltou a amedrontar a população nesta quarta-feira (01), depois que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) publicou um vídeo falso em suas redes sociais para criticar o isolamento social imposto pelos governos estaduais.  

Leia mais: 
Fechamento de restaurantes faz cair preço de hortaliças, mas valor do ovo tem aumento de 15% 

“Nós temos algumas atividades que realmente estão paradas, mas tanto o pessoal da agricultura como da pecuária em Mato Grosso está trabalhando normalmente. O Estado tem uma grande função no Brasil e no mundo, de alimentar as pessoas. Isso terá continuidade e não existe nenhum ruído nesses setores, pelo menos que tenha chegado até mim e eu tenho falado com todos esses atores diariamente. Os gêneros alimentícios que não são produzidos aqui o fluxo também segue normal. Agora, o que a gente precisa é assistir as pessoas que tão sem renda, as pequenas e médias empresas, para que a gente possa ter dinheiro rodando na economia e as pessoas tenham como adquirir os produtos básicos, pelo menos. Eu acredito que depois de muitas decisões desencontradas, os administradores estão conseguindo achar um caminho”, rebateu Miranda.  

O vídeo publicado por Bolsonaro não tinha indicação de autoria e mostrava um homem reclamando de desabastecimento em Belo Horizonte, Minas Gerais. “Para você que falou, depois do discurso do presidente, que economia não tinha importância, que importante eram vidas, dá uma olhada nisso aí. Pois é, fome, desespero, caos também matam”, dizia o homem, na gravação que alegou ter sido feita no dia 31 de março na Ceasa de Belo Horizonte. Segundo ele, a “culpa é dos governadores”, porque o presidente quer uma “paralisação responsável.” 

Ao postar o vídeo, Bolsonaro acrescentou três frases: “Não é um desentendimento entre o Presidente e ALGUNS governadores e ALGUNS prefeitos. São fatos e realidades que devem ser mostradas. Depois da destruição não interessa mostrar culpados”.  

No final da manhã, depois de diversos veículos de comunicação questionarem a veracidade do conteúdo da gravação, Bolsonaro apagou o vídeo de todas as suas redes sociais. A reportagem da rádio CBN foi à Ceasa de Belo Horizonte logo cedo e mostrou o entreposto lotado de produtores e produtos. Segundo a reportagem, o vídeo distribuído pelo presidente teria sido feito por uma pessoa que trabalha na Ceasa num sábado à tarde, quando o entreposto fica normalmente vazio em qualquer época do ano. 

 

 
 

 
 

6 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Bento Francisco
    03 Abr 2020 às 12:19

    Parabéns Secretario Cesar, a agricultura familiar vem recebendo todo do governador e do Sec Silvano, e vem demonstrando a sua importância! O agronegócio vem contribuindo com o milho, que vira farinha para cuscus e outros pratos deliciosos da nossa culinária . A salada de soja e outra boa opção.

  • Cuiabano
    03 Abr 2020 às 11:33

    ele deve estar falando de outro Estado da federação! importamos 80% do hortifrutigranjeiros consumidos em MT. Nem que fossemos comer só soja e grãos, estes sequer ficam no Brasil... difícil de compreender o raciocínio do Sr. Sec mas...

  • imazapir
    02 Abr 2020 às 11:37

    Tem gente que parece ter deficiência para interpretar a realidade para não enxergar que não come soja, milho, etc... Claro que não temo o hábito de comer cru, reparem os alimentos industrializados o quanto tem de lecitina de soja, amido de milho, glucose de milho, enfim... A granja de onde vocês consomem frango deve alimentá-los de vento sei lá, mas até onde eu conheço comem ração onde se mistura milho e soja. Ah, os jeans que vocês vestem devem ser de fibra sintética. Só parem para olhar, nós da cidade somos completamente dependentes do campo, estamos longe de ser autossuficiente. Não reconhecer isso, é não reconhecer a grandeza e a importância do nosso estado para o Brasil e para o mundo.

  • Chirrão
    02 Abr 2020 às 10:12

    A Globo contestou o video dizendo que era de São Paulo..Essa globolixo esta contra o Presidente, mostrando imagens e dizendo que é de outro lugar. Igual aos panelaços QUE SÓ VE A PESSOA QUE FILMA.

  • Maria Auxiliadora
    01 Abr 2020 às 22:03

    É, a mesa de almoço do brasileiro tem muita soja, semente de girassol, milho, algodão... Secretário, sem enganação. 70% dos alimentos que chegam à mesa do brasileiro vem da agricultura familiar.

  • Chico Bento
    01 Abr 2020 às 16:58

    Senhor secretário, alguém como soja, milho e girassol em grão? Sorgo e algodão são comestíveis? Por que arroz, feijão, farinha de trigo, repolho, batata, quiabo, laranja, maçã, pera abacaxi, e milhares de itens nos supermercado, vem todos do sul e sudeste do Brasil. Não vê que Mato Grosso produz alguns grãos, mas não beneficia ou industrializa nada? Onde é a parreira de uvas? O Laranjal? As macieiras? A plantação de oliveiras? e por aí vai!

Sitevip Internet