Olhar Agro & Negócios

Segunda-feira, 01 de junho de 2020

Notícias / Emprego

Governo entrega 18 licenças e projeta criação de empregos em Mato Grosso

Da Redação – Fabiana Mendes

06 Mai 2020 - 15:17

Foto: Mayke Toscano

Governo entrega 18 licenças e projeta criação de empregos em Mato Grosso
O Governo do Estado realizou a entrega, nesta quarta-feira (6), de 18 licenças ambientais para 13 empresas do setor de etanol e energia, que farão investimentos em Mato Grosso. As licenças são um dos passos necessários para que as empresas possam empreender e gerar empregos.

Leia mais:
Comissão é contra projeto de lei que proíbe "sujar nome" durante período de pandemia
 
De acordo com a Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema), foram entregues 9 licenças prévias, 7 licenças de instalação e 2 licenças de operação. As autorizações abrangem investimentos em nove municípios: Vera, Várzea Grande, Nova Mutum, Sorriso, Querência, Campo Novo do Parecis, Primavera do Leste, Nova Olímpia e Lucas do Rio Verde.

“O Governo está fazendo um esforço muito grande para licenciar todas as atividades que fizeram requisições à Secretaria de Estado de Meio Ambiente. Essa é uma visão estratégica para gerar empregos em Mato Grosso, para fazer esses setores investirem, movimentando a economia do Estado. É uma ação para que comecemos a construir a saída dessa crise econômica que está ocorrendo no Brasil e evitar que tenha consequências maiores para Mato Grosso”, afirmou o governador Mauro Mendes.

“Não podemos fazer dos empecilhos uma desculpa para deixar de realizar o que é necessário. Ganha o Estado, ganha o servidor, o cidadão. O Estado cresce, as empresas crescem, contratam mais, o Estado arrecada mais, investe mais no cidadão, na infraestrutura. A infraestrutura melhora e atrai novos investimentos, que gera novos empregos, e isso cria um ciclo virtuoso de crescimento. E é isso que queremos“, completou.

De acordo com a secretária da Pasta, Mauren Lazzaretti, essas entregas representam o cumprimento de uma meta estabelecida pelo governador. A gestora também destacou os resultados obtidos pela Sema durante este período de pandemia do coronavírus.

“Ampliamos a nossa produtividade e atendemos a todos os setores. Foram mais de 6.700 processos analisados, em um total de mais de mil licenças e atos autorizativos emitidos pela secretaria, nesses pouco mais de 40 dias. Estamos colaborando para que o Estado continue produzindo. A secretaria funcionou a pleno vapor nesse período”, relatou.

O diretor executivo do Sindicato das Indústrias Sucroalcooleiras do Estado de Mato Grosso (Sindalcool), Jorge dos Santos, agradeceu o apoio que o Governo tem dado ao setor.

“O Governo do Estado, a Sema e toda a sua equipe tem feito um trabalho fantástico para o setor produtivo. Nós fomos o primeiro estado a criar uma resolução que definia claramente os critérios para licenciamento de usinas de etanol de milho. Porque o produtor já sabe, ao pedir a licença, que rumo precisa seguir, quais premissas têm que ser cumpridas”, afirmou.

Também participaram da entrega o secretário da Casa Civil, Mauro Carvalho, o presidente da União Nacional do Etanol de Milho (UNEM), Guilherme Nolasco, e representantes do segmento.

5 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • adelino
    07 Mai 2020 às 14:03

    Acho que deve ser 9 empreendimentos, pois para cada um precisa de 3 licencas

  • Trabalhador informal
    07 Mai 2020 às 13:51

    Neste Estado muitos jovens estão desempregados e não existe uma política de empregos ou estágios para estudantes que seja por processo seletivo e que seja realmente democrática, aqui só existe estágio se você fizer adm, direito ou economia, ou for indicado por alguém, como se o mundo não fosse muito mais vasto do que isso, mas em um cenário onde até as bolsas de iniciação cientifica foram cortadas e o trabalho informal se resume ao processo de uberização social, o Estado poderia direcionar ao menos um pouco da mão de obra excedente, assim quem sabe a economia realmente poderia crescer um pouco em um sentido de economia local mesmo. Fora isso poucos espaços de lazer para a juventude ou espaços de formação cultural. O SINE-MT é muito ruim e não existe nem mesmo algo como a FUNDAP para estágios.

  • Juscelino Alves Ferreira
    07 Mai 2020 às 08:23

    O governo fala em criar empregos, sendo ele culpado pela alto índice de desempregados: Quando tercealizando os serviços públicos e essas empresas pagam salários de fome e ainda atrasados!

  • Mario
    06 Mai 2020 às 23:49

    Enquanto isso Secretaria Mauren, a Instrução Normativa que Regulamenta o Artigo 34 do código Florestal que foi discutida e estada em Câmara Técnica até hoje não foi publicada pela Sema. Empresas se estabelecendo em MT se Plano de Suprimento Sustentável previsto na Legislação Florestal do Brasil. MT atuando a margem da Legislação com aval do MP que está Subserviente sobre o assunto.

  • Anonimo
    06 Mai 2020 às 19:43

    Em compensação o Sebrae Mato Grosso que prega que deve se manter o emprego neste período demite mais de 60 funcionários.

Sitevip Internet