Olhar Agro & Negócios

Sábado, 27 de novembro de 2021

Notícias / Agricultura Familiar

1ª Semana da agroecologia

Encontro discute impactos da agricultura na natureza e defende produção orgânica sem insumos e venenos em MT

Da Redação - Michael Esquer

02 Out 2021 - 16:07

Foto: Assessoria

Encontro discute impactos da agricultura na natureza e defende produção orgânica sem insumos e venenos em MT
Com o tema “O agro sem o veneno do agronegócio”, acontece entre os dias 4 e 10 de outubro a 1ª Semana da Agroecologia de Mato Grosso. O evento deve discutir o desmatamento na floresta, destruição do Cerrado, escassez hídrica, uso de agrotóxicos e a fome, além de apresentar caminhos alternativos e um modelo de agricultura livre de veneno.

Leia também:
Petrobrás anuncia reajuste de 8,9% no preço do diesel após 85 dias

De acordo com a assessoria da Semana, os debates envolvem pesquisadores, agricultores e ambientalistas de todo país que vão se reunir de forma virtual. Os debates são gratuitos e transmitidos ao vivo no canal do YouTube/semana da agroecologia e nas páginas do Facebook das entidades parceiras do evento (lista no final). 

A iniciativa tem como objetivo sensibilizar a sociedade sobre os benefícios da agroecologia, da produção e do consumo de alimentos orgânicos. Além disso, serão desenvolvidas atividades educativas e culturais relacionadas à produção agroecológica e ao equilíbrio ambiental.  

Nesta primeira edição, a Semana da Agroecologia conta com uma programação extensa  de mesas de debate e palestras. Entre os convidados, participam Luiz Zarref,  do Movimento Sem Terra (MST); o líder indígena Typju Myky; o teólogo, escritor, filósofo e professor universitário Leonardo Boff; e o pesquisador da Fiocruz e Universidade Federal de Mato Grosso, Wanderlei Pignati.  

“Falta prioridade dos governos para alocar recursos e atender a população que precisa. Também faltou um modelo de desenvolvimento econômico que dê oportunidade às pessoas de produzir, ter trabalho, renda e alimento nas mesas. O Caminho da Agroecologia além de ser socioambientalmente sustentável é lucrativo. É possível produzir com o conceito da agroecologia, gerando mais renda e riqueza que o agronegócio”, diz o deputado estadual Lúdio Cabral (PT), que também é médico e autor da  Lei nº 11337/2021, que idealizou os debates.  

Outros representantes de organizações de base do terceiro setor também devem participar dos debates. Entre eles, Herman Oliveira, o representante do Fórum Mato-Grossense de Meio Ambiente e Desenvolvimento (Formad), que será um dos coordenadores do painel  sobre o  tema  “Agroecologia e Saúde Socioambiental: ZSEE em  perspectiva”. 

“Os temas são aqueles que giram em torno da problemática do Estado, que  importa em torno de 80 a 85%  do alimento  que consomem. É falso dizer que o Brasil alimenta o mundo  enquanto a população passa fome, ou seja,   a  comida,    por exemplo, o  que se produz  e que  se consome na mesa do mato-grossense, vem de fora,   exceto alguns alimentos como mamão, melão,  banana, alguns alimentos que se produz aqui na agricultura familiar, pois  grande parte são  exportados”, enfatizou Herman Oliveira. 

Sobre agroecologia

A agroecologia tem como base os processos da natureza, com o plantio de diversas espécies combinadas na mesma área. Isto é, um método que se propõe a ir além da produção orgânica e defende a abolição do uso de insumos químicos e veneno. Esse sistema considera ainda o impacto social e ambiental da produção. 

Neste sistema, se aumenta a disponibilidade de nutrientes no solo e possibilita a criação de um sistema de produção mais sustentável e mais saudável, alternativa ao modelo convencional de agricultura difundido em Mato Grosso — com alto uso de agrotóxicos e baseado na compra de insumos, que provoca rápido esgotamento do solo —, que é defendida na 1ª Semana da Agroecologia de Mato Grosso. 

Inscrições

Para se inscrever os interessados devem acessar este endereço (CLIQUE AQUI). Neste mesmo domínio, o usuário pode conferir também a programação da Semana, que reúne diversos temas relacionados à agroecologia. Alguns deles são: Soberania e Direito à Alimentação; Agroecologia: caminhos e experiência; Agroecologia e Crise Hídrica; entre outros.

Para mais informações, o contato pode ser feito a partir deste telefone: (65) ​99619-6788/99239-9115
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet