Olhar Agro & Negócios

Terça-feira, 28 de maio de 2024

Notícias | Agricultura Familiar

Segundo ano consecutivo

Indígenas da etnia Xavante plantam arroz e milho para o consumo de 1300 moradores

Foto: Empaer-MT

Indígenas da etnia Xavante plantam arroz e milho para o consumo de 1300 moradores
Pelo segundo ano consecutivo, indígenas da etnia Xavante realizaram o plantio de arroz e milho verde numa área de 30 hectares, na Terra Indígena Marãiwatsédé, localizada no município de Alto Boa Vista (1.059 km de Cuiabá). Os alimentos são produzidos para o consumo de 1.300 moradores de 14 aldeias e comercialização dos excedentes. A iniciativa é da Fundação Nacional dos Povos Indígenas (Funai), em parceria com a Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer) e prefeitura do município. 


Leia também:
Fávaro minimiza distanciamento com Mauro: 'não tenho pauta específica com o governo'


Fábio Boeck, técnico agropecuário da Empaer, destacou que a lavoura de arroz foi plantada numa área de 25 hectares, enquanto o milho verde em 5 hectares. A previsão é colher aproximadamente 60kg de arroz por hectare, no final de maio.

A produção do grão pode chegar a mais de 82 toneladas. Já de milho verde, a expectativa é colher e torno de 15 toneladas. Os indígenas vão realizar a festa da pamonha em comemoração à colheita e à mesa farta. “Começamos a preparar o solo para o plantio das culturas de arroz e milho, desde dezembro de 2022, com a finalidade de melhorar a produtividade das lavouras indígenas”, esclarece Boeck.

Para o cultivo da lavoura de arroz, o técnico explicou que foi utilizado o sistema de plantio convencional, que usa técnicas tradicionais de preparo do solo com a remoção da vegetação, aração, gradagem, semeadura, adubação mineral, capinas e controle fitossanitário para posteriormente efetuar o plantio. Ele destacou que as mulheres e os homens das aldeias receberam assistência técnica e foram orientados a realizar a limpeza da área, retirando as raízes para o plantio. Aprenderam também, na demonstração de métodos, a regulagem da plantadeira de milho e da semeadora de arroz.

O secretário Municipal de Assuntos Indígenas, Rosemir Ferreira de Souza, comentou que o plantio foi realizado em apenas 15 hectares e colhidas 16 toneladas de arroz, no ano passado. Para ele, a expectativa para a safra de 2023 é positiva e acredita que a produção vai atender as famílias por um período de seis meses.

“Esse é um trabalho com planejamento de ações, que visa garantir alimento e suprir as necessidades das comunidades indígenas”, ressaltou o secretário. Além de afirmar que o preparo do solo na área indígena começou o ano passado e essa semana estão concluídos todos os plantios.

A prefeitura de Alto da Boa Vista foi a responsável pela mecanização na preparação do solo na Aldeia Marãiwatsédé, otimizando em todas as etapas da produção. A Empaer prestou o serviço de assistência técnica e extensão rural, com a difusão de tecnologias e conhecimento com foco no aprimoramento dos sistemas de produção em bases sustentáveis (econômica, social e ambiental). A Funai forneceu os insumos, sementes e combustível. E atua na fiscalização e no acompanhamento do plantio e da colheita, na prestação de todos os tipos de apoio, caso os indígenas precisem.
Entre em nossa comunidade do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet