Olhar Agro & Negócios

Terça-feira, 28 de maio de 2024

Notícias | Agronegócio

CASO DE VACA LOUCA

Presidente da Famato prevê queda no preço da carne após suspensão de exportação à China

27 Fev 2023 - 16:09

Da Redação - Airton Marques / Do Local - Fabiana Mendes

Foto: Assessoria

Presidente da Famato prevê queda no preço da carne após suspensão de exportação à China
Presidente Famato (Federação da Agricultura e Pecuária), Vilmondes Sebastião Tomain prevê queda no preço da carne bovina, por conta do caso de “vaca louca”, no Pará. Desde que o caso foi confirmado, na quinta-feira (23), as exportações para a China foram suspensas voluntariamente pelo Brasil, seguindo protocolo sanitário.


Leia também:
Entidades distribuem cestas de alimentos agroecológicos em Cáceres e Cuiabá

A China é o maior comprador de carne bovina do país. Em 2002, absorveu 53,3% do volume de embarques e 60,9% da receita consolidada, segundo a Associação Brasileira de Frigoríficos (Abrafrigo).

Sem ter como escoar a produção para seu maior comprador externo, o mercado doméstico brasileiro pode vivenciar um excesso de oferta de carne bovina, o que levaria a uma queda nos preços do produto, que já não andam pressionados.

No caso de Mato Grosso, de acordo com Vilmondes, cerca de 35% da produção é exportada, o restante é enviado para os grandes centros brasileiros, como São Paulo.

“É muito grande o impacto, pois a queda de preço foi brusca. Tem parte de plantas com abates suspensos, pois o consumo caiu muito. A importação representa mais de 35% do nosso mercado. Basicamente, o consumo de Mato Grosso é muito baixo. Exportamos 35%, mas o restante é consumo interno; São Paulo e outros grandes centros são nossos principais consumidores. Não dá para mensurar, pois o prazo é curto, mas creio em queda de preço”, afirmou o presidente.

Apesar do impacto, Vilmondes acredita que a exportação da produção será logo restabelecida, uma vez que o Governo federal ágil com agilidade, adotando todos os protocolos necessários, assim que o caso foi identificado.

O caso de “vaca louca” foi confirmado em um animal de 9 anos – idade considerada avançada para um boi – em uma propriedade rural de Marabá (PA), que está isolada desde então.

Se for confirmado, será o sexto caso atípico no Brasil em mais de 25 anos de vigilância. Um caso atípico ocorre de forma espontânea em animais mais velhos, não é transmissível nem gera riscos para a saúde humana. Nesses anos de vigilância, o Brasil nunca registrou um episódio clássico de “mal da vaca louca”, que ocorre quando bovinos ingerem produtos que contêm material de origem animal (farinhas de carne e ossos, por exemplo) contaminados pela doença.
Entre em nossa comunidade do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet