Olhar Agro & Negócios

Domingo, 25 de agosto de 2019

Notícias / Cooperativismo

Futuro da Agroindústria Familiar é agroindustrializar e vender

Assessoria de Imprensa da Emater/RS-Ascar na Expodireto

18 Abr 2013 - 14:05

Foto: Reprodução - Ilustração

Futuro da Agroindústria Familiar é agroindustrializar e vender
Renda, cooperação, políticas públicas e uma dose extra de autoestima. Essas foram as condições levantadas, nesta terça-feira (5/4), pelo secretário de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo (SDR), Ivar Pavan, para evitar o abandono das propriedades rurais. Segundo o secretário da SDR, palestrante do 4º Seminário de Agroindústria Familiar, 276 mil pessoas deixaram o campo para trabalhar na cidade, nos últimos dez anos. “Temos de superar um problema cultural, segundo o qual o produtor entrega o produto para que os outros ganhem dinheiro. O futuro do pequeno produtor passa pela produção, industrialização e venda”, disse Pavan.

Dentre as políticas públicas mais relevantes para impulsionar o segmento da agroindústria familiar, Pavan destacou duas: a assistência técnica e extensão rural, desenvolvida pela Emater/RS-Ascar, e a política de agroindústria. As políticas de infraestrutura, que facilitam a comunicação por meio da energia elétrica, internet e telefonia, também são desafios. “Estamos tirando debaixo do tapete o tema da sucessão rural e criando condições econômicas e culturais objetivas para que o jovem permaneça no campo”, disse o presidente da Emater/RS, Lino De David.

Relato da família Bini

O caso de sucessão rural da família Bini, que há um século mora na mesma propriedade, no interior de Não-Me-Toque, foi relatado durante o seminário. O casal Solange e Vanderlei Bini, pais de Jéssica, 12 anos, e Eduarda, 9, e a matriarca da família, Diva Auler, materializaram as oportunidades mencionadas por Ivar Pavan. “O comércio direto com o consumidor, sem atravessador, é o mais rentável para nós”, disse Vanderlei.

Durante o seminário, os Bini receberam das mãos do secretário da SDR o Certificado de Inclusão no Programa de Agroindústria Familiar – Selo Sabor Gaúcho. A agroindústria de embutidos da família ocupa um dos 150 estandes do Pavilhão da Agricultura Familiar da Expodireto Cotrijal.

Também participaram do 4º Seminário de Agroindústria Familiar, a vice-prefeita de Não-Me-Toque, Teodora Lütkremeyer, coordenador da Fetag na região Alto Jacuí, Edair Nicolau, representante da Fetraf/Sul, Douglas Senssi, e representante da Via Campesina, Gerondino Pereira da Silva

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Sitevip Internet