Olhar Agro & Negócios

Quarta-feira, 18 de setembro de 2019

Notícias / Cooperativismo

Parceria para a comercialização de produtos envolvendo assentados e sindicatos

MDA

26 Abr 2013 - 13:28

A Superintendência Regional do Incra em São Paulo e a Central Única dos Trabalhadores (CUT) assinaram, nessa quinta-feira (25), um protocolo de intenções com o objetivo de fortalecer a comercialização direta entre os assentados da reforma agrária e os sindicatos dos trabalhadores urbanos e rurais.

A formalização da parceria ocorreu durante o Seminário Sindical Internacional, promovido pela CUT no Sesc Belenzinho, que contou com a presença do ministro do Desenvolvimento Agrário, Pepe Vargas, e do presidente do Incra, Carlos Guedes.

O protocolo de intenções prevê troca de informações entre o Incra – autarquia ligada ao MDA – e a CUT sobre a oferta de produtos dos assentamentos rurais e a demanda por alimentos das entidades filiadas à central sindical Também assinala o apoio técnico do Incra no planejamento das ações de comercialização direta entre os assentamentos rurais e sindicatos.

O superintendente regional da autarquia, Wellington Diniz Monteiro, conta que a proposta surgiu no Fórum Estadual pela Reforma Agrária, que reúne entidades sindicais e movimentos sociais. "A ideia é ampliar o consumo dos produtos da agricultura familiar, o que é importante para a soberania alimentar e para o desenvolvimento sustentável", explicou.
Teonílio Monteiro da Costa, da diretoria do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, comemorou a iniciativa e disse que já existe um acordo com o restaurante de uma grande montadora de automóveis para a compra de alimentos da reforma agrária.

Seminário

Durante debate sobre o tema Reforma Agrária, Justiça Social e Soberania Alimentar, o ministro Pepe Vargas disse que os assentamentos rurais devem se tornar comunidades autônomas econômica e socialmente. "Estamos integrando outros ministérios na política de reforma agrária. O Ministério das Minas e Energia, com o programa Luz para Todos; o Ministério da Integração Nacional, com o programa Água para Todos; e o Ministério das Cidades, com o Minha Casa, Minha Vida. E estamos integrando, também, as famílias assentadas e acampadas no CadÚnico do Governo Federal, para que elas possam ter direito ao Bolsa Família, ao Brasil Carinhoso e a outras políticas públicas", explicou Pepe.

O ex-ministro de Agricultura do Chile no governo de Salvador Allende (1970-1973), Jacques Chonchol, destacou que é necessária uma nova reforma agrária que prestigie elementos que auxiliam no avanço do modelo atual. “É preciso um novo conceito de reforma agrária que se adapte ao século 21 e, sobretudo, à segurança alimentar e à sustentabilidade ambiental É importante revalorizar a reforma agrária buscando a multifuncionalidade da terra”, observou.

Segundo ele, é preciso pensar ainda no rejuvenescimento do campo. “Parte importante do campesinato tem mais de 65 anos, por isso é necessário rejuvenescer. O meio rural enfrenta mudanças aceleradas com a intensificação do capital na agricultura, crescimento do trabalho assalariado e precarização do trabalho”, ressaltou.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Sitevip Internet