Olhar Agro & Negócios

Quarta-feira, 14 de abril de 2021

Notícias / Economia

NO ÚLTIMO MÊS

Queijo provolone tem valorização de 24% em Mato Grosso e muçarela 19%

Conforme a explicação do Imea, a escalada nos preços se dá pela valorização do preço médio do leite pago ao produtor rural. Com as indústrias necessitando de mais leite, quem o produz é mais bem remunerado. Isto faz com que os preços dos derivados também subam.

De Sinop - Alexandre Alves

06 Mai 2013 - 08:32

Foto: Ilustração

Mussarela sobe 19% em Mato Grosso no mês de abril

Mussarela sobe 19% em Mato Grosso no mês de abril

O queijo tipo provolone foi o derivado do leite que mais teve valorização no mês de abril, no mercado varejista de Mato Grosso, com índice de 24,3%. O preço médio do quilo saltou de R$ 24,43 em março para R$ 30,38 em abril, segundo levantamento do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea).

Já o tipo muçarela – que é o principal derivado do leite produzido nos laticínios mato-grossenses e com venda também em outros estados – teve incremento de preço médio, no varejo, de 19,24%, passando de R$ 19,13 para R$ 22,81 nos últimos 30 dias.

Preço do leite pago ao produtor em MT está em valorização e deve se manter

Registra-se também incremento de preços do leite UHT semidesnatado (16,48%), queijo minas frescal (13,98%), leite UHT integral (11,46%), manteiga com sal – pote de 500 gramas – (11,34%), queijo prato (7,60%), leite em pó integral (6,71%), leite UHT desnatado (5,42%) e, leite pasteurizado (3,58%).

E os preços devem continuar subindo, analisa o Imea. “Os derivados lácteos, principalmente os queijos produzidos em Mato Grosso e vendidos para outros Estados, devem seguir valorizados no varejo nas próximas semanas, levando em consideração o menor volume de leite captado pela indústria neste período em âmbito nacional”, diz o boletim elaborado pelo instituto.

Código Florestal e pecuária leiteira são interesses dos Sindicatos Rurais

Conforme a explicação do Imea, a escalada nos preços se dá pela valorização do preço médio do leite pago ao produtor rural. Com as indústrias necessitando de mais leite, quem o produz é mais bem remunerado. Isto faz com que os preços dos derivados também subam.

“Já está ocorrendo uma restrição no volume ofertado aos laticínios não só a nível Mato Grosso, como também nas principais bacias leiteiras brasileiras”, pontua o boletim mensal do leite, elaborado pelo Imea.

Em abril, o preço médio do leite praticado no Estado foi de R$ 0,647 por litro, valorização de 1,3% em relação ao pagamento anterior, que foi de R$ 0,639. O maior preço foi praticado na região Nordeste de Mato Grosso (no norte do Araguaia), a R$ 0,745 e, o menor, na Noroeste, a R$ 0,552.

Comentários no Facebook

Sitevip Internet