Olhar Agro & Negócios

Segunda-feira, 06 de julho de 2020

Notícias / Geral

Demora na aprovação de projetos na Sema prejudicam safra de madeira em Mato Grosso

Da Redação - Viviane Petroli

02 Mar 2015 - 10:12

Foto: Assessoria Cipem

Demora na aprovação de projetos na Sema prejudicam safra de madeira em Mato Grosso
A safra de madeira em Mato Grosso começa dentro de 30 dias e o setor madeireiro ainda não recebeu a aprovação de Projetos de Manejo Florestal Sustentável (PMFSs) referentes a 2015 por parte da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema). Segundo o setor da base florestal mato-grossense, o setor "se vê a beira de um colapso".

Na última sexta-feira, 27 de fevereiro, o presidente do Centro das Indústrias Produtoras e Exportadoras de Madeira do Estado de Mato Grosso (Cipem), Geraldo Bento, e presidentes de oito sindicatos do setor madeireiro reuniram-se com o presidente da Assembleia Legislativa, Guilherme Maluf, e os deputados estaduais Romoaldo Júnior e Oscar Bezerra, para expor as dificuldade presenciadas.

Leia mais:
Setor florestal de Mato Grosso pede regras claras para Portaria 443 para ministra do Meio Ambiente
Estudo realizado em Sinop comprova mitigação de gases de efeito estufa pela ILPF

Os deputados demonstraram preocupação se colocando à disposição do setor florestal que representa a 4ª economia no estado e contribui na geração de emprego e tributos para os cofres públicos, não podendo ficar prejudicado pela falta de gestão da Secretaria”, declara o presidente do Cipem, Geraldo Bento.

Conforme Geraldo Bento, Mato Grosso está há 30 dias do início da safra da madeira e até o momento não houve a aprovação de Projetos de Manejo Florestal Sustentável (PMFSs) em 2015.

Durante o encontro com a base florestal o deputado estadual Guilherme Maluf frisou que o setor é importante para a geração de receita em Mato Grosso e que a Assembleia Legislativa irá auxiliar o segmento buscando intermediar uma conversa entre o setor e o Governo de Mato Grosso.

Segundo o deputado estadual Romoaldo Júnior, a base florestal é mais uma vez penalizada com a situação da Sema, principalmente com as exonerações registradas desde janeiro.

Os madeireiros levantaram ainda para a Assembleia Legislativa a questão da retomada da identificação da madeira no Estado, ação realizada pelo Instituto de Defesa Agropecuária (Indea) e que gera prejuízos ao segmento, tornando a madeira mato-grossense menos competitiva, visto o Estado ser o único com potencial florestal a realizar e pagar por esse tipo de serviço.

De acordo com o Cipem uma reunião na quarta-feira (04) com a secretária de Meio Ambiente, Ana Peterlini, está agendada para apresentar os questionamentos e demandas do segmento. A reunião será na Assembleia Legislativa.

6 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • vanderleia berdusco de miranda
    02 Mar 2015 às 13:17

    Temos que entender que alguém está ganhando com a inércia da sema, com a confusão de portarias que são criadas e pouco depois revogadas, alguém está ganhando para a fiscalização ambiental não funcionar e ainda demitir dezenas de pessoas que atuavam nesse setor, alguém está ganhando com a falta da política de recursos hídricos (água é um recurso escasso, mas, aqui em mt rios estão detonados por poucos), de resíduos sólidos (não há um único município com sistema de tratamento adequado de resíduos), unidades de conservação estão sem regularização fundiária e sem fiscalização, enfim, sinceramente, no atual governo a sema continua a mesma, e não acredito que essa audiência dos deputados vai mudar alguma coisa, até porquê certos deputados têm cargos na sema e o que é pior parece que existe interesse do próprio governador em manter essa secretária lá, travando tudo, mantendo a burocracia desses últimos 10 anos, e as mesmas pessoas em cargos de comando e que criaram essa situação de falta de credibilidade do órgão ambiental.

  • valdirene lima busetto
    02 Mar 2015 às 13:07

    é uma vergonha a situação na sema, nada anda lá, tudo parado e até para ter acesso a processo existe uma burocracia excessiva, criaram mais um setor para dificultar o acesso dos consultores técnicos aos analistas da sema, hoje tá mais complicado do que já estava no ano passado, esperamos que os senhores deputados exijam explicações mais concretas do atual governo.

  • eduardo
    02 Mar 2015 às 12:44

    inacreditável que não mudou nada ainda na sema, infelizmente, pois apostei no atual governo e espero que não tenha sido mera ilusão ou fomos todos enganados. os projetos de manejo florestal têm é que ser estimulado, é a forma de se utilizar dos recursos madeireiros mantendo estoque de madeira em pé. precisa ser incentivado, desburocratizado e simplificado, uma vez que é muito melhor um plano de manejo florestal do que um projeto de desmatamento. pedro taques não pode cometer os mesmos erros dos governos passados e achar que apenas aperfeiçoando o sistema de licenciamento ambiental terá mais eficiência, é preciso investir em melhorias também na fiscalização, monitoramento, criar incentivos e instrumentos econômicos, valorizar a certificação, enfim, não se muda a sema apenas com conversa, e têm que cumprir o que propôs no plano de governo e nomeando pessoas competentes que entende do setor e que não vê a gestão ambiental apenas sob a ótima policialesca da repressão. vamos avançar pedro taques, o povo votou pensando em mudanças!!!!

  • wanda maria
    02 Mar 2015 às 12:38

    como se pode melhorar a gestão florestal na sema se manteve em cargos de adjuntos e assessorias as mesmas pessoas que serviram aos últimos governos, e são os responsáveis direto pelo estrangulamento e sucateamento da sema. o deputado guilherme têm é que cobrar do senhor governador que o plano de governo seja colocado em prática e cumpra as promessas de mudanças, pois na sema não mudou nada, está tudo na lentidão de sempre.

  • bruna fernandes souto ferreira
    02 Mar 2015 às 12:36

    deputado maluf, ótima iniciativa de convocar a secretária da sema, nessa secretaria está tudo parado, não só o setor de manejo florestal. porém, não se pode esquecer que certos políticos têm responsabilidade nisso também, tanto que dizem que oscar bezerra foi quem indicou uma secretaria adjunta e que esta pessoa sempre esteve ocupando cargos de confiança nesses últimos anos e a gestão florestal só piorou no atual governo.

  • Maria
    02 Mar 2015 às 11:48

    PELO POUCO QUE ENTENDO DA ATIVIDADE DE IDENTIFICAÇÃO DE MADEIRAS, É UM IMPORTANTE INSTRUMENTO PÚBLICO QUE AJUDA A EVITAR FRAUDE NO TRANSPORTE DE MADEIRAS, POR EXEMPLO SE A ESPÉCIES APRESENTADA NO DOCUMENTO FLORESTAL É A MESMA QUE ESTÁ SENDO TRANSPORTADA.........CHEGA DE MADEIRA ILEGAL.

Sitevip Internet