Olhar Agro & Negócios

Terça-feira, 26 de maio de 2020

Notícias / Agronegócio

Dez cidades mato-grossenses figuram entre as 100 maiores exportadoras

Da Redação – Viviane Petroli

28 Mai 2014 - 08:15

Foto: Divulgação/Viviane Petroli - Agro Olhar

Dez cidades mato-grossenses figuram entre as 100 maiores exportadoras
Dez municípios mato-grossenses figuraram no primeiro quadrimestre na lista das 100 maiores cidades exportadoras do Brasil. Sorriso foi o município de Mato Grosso que melhor se destacou nos embarques nacionais ocupando o 25º lugar. Sempre bem colocada Cuiabá ao se analisar apenas o ranking estadual perdeu lugar para Nova Mutum.

Os dados de exportações municipais são da Balança Comercial por Município, divulgada pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC).

Leia também
Milho e algodão fazem Mato Grosso cair em ranking de embarques por município

Apesar das exportações no primeiro quadrimestre terem caído 8,87% para Sorriso o município conseguiu-se manter em destaque. Entre janeiro e abril US$ 585,2 milhões em commodities saíram do maior produtor de soja de Mato Grosso. Em 2013 no período haviam sido enviados US$ 640 milhões.

Segundo o MDIC, o milho foi o fator principal para o recuo de Sorriso. Com a recuperação da safra do cereal nos Estados Unidos e sul do Brasil, os embarques de Sorriso caíram 59,45%. Entretanto, a soja em grão e o bagaço de soja seguraram os envios. Somente em soja em grão Sorriso a receita gerada pelos envios cresceram 23,17% ante o ano passado e do bagaço 407,99%.

Rondonópolis foi o segundo melhor colocado de Mato Grosso no ranking nacional ficando na 44ª colocação. Pelo maior município da região do Estado US$ 382,9 milhões foram embarcados, 16,16% a mais que os US$ 329,6 milhões no primeiro quadrimestre de 2013. O bagaço de soja registrou alta de 16,63% nas negociações, soja em grão aumento de 206,50%, porém as negociações do milho caíram 35,78%. As de algodão recuaram 57,52%.

Nova Mutum ficou em 46º lugar com US$ 347,5 milhões, salto 60,63% diante os US$ 216,3 milhões do ano passado. A soja em grão e o bagaço de soja foram os maiores contribuintes para o desempenho positivo, subindo 96,50% e 120,73%, respectivamente as negociações. Os embarques de milho recuaram 46,70%.

Já Cuiabá ficou na 55ª colocação no ranking nacional com US$ 302,2 milhões. Os negócios realizados na Capital mato-grossense diminuíram 20,66% ante os US$ 380,9 milhões do ano passado, o que permitiu que a cidade perdesse o posto de 3ª melhor colocara no ranking de Mato Grosso para Nova Mutum. O milho e o algodão foram os principais motivos para o decréscimo. Somente o algodão caiu 66,23% e o milho 53,69%, em contrapartida as negociações de carne bovina desossada cresceram 230,23% e da soja em grão 5,68%.

No ranking dos 100 maiores exportadores do Brasil ainda figuram Lucas do Rio Verde em 66º lugar, Sapezal em 68º, Campo Novo dos Parecis 81º, Diamantino em 84º, Sinop em 85º e Primavera do Leste 95º lugar.

3 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • PAULÃO DA GRANJA
    28 Mai 2014 às 13:14

    Hoje a região do Araguaia é a menina dos olhos do Mato Grosso e do Brasil, poque não dizer do mundo.

  • SIGMAR
    28 Mai 2014 às 12:33

    Concordo com o Paulo, contanto que o nosso governo não desintrusa mais áreas em favor dos indios, leia-se "ongs"

  • Paulo Zatta
    28 Mai 2014 às 10:41

    Esse é o Brasil que trabalha e produz. Isso é apenas o começo de uma região que ainda tem muuuuito pra ser explorada e melhorada. Daqui a 30 anos o centro e norte do Brasil vai ser um exercito em produção de alimentos. PZ

Sitevip Internet