Olhar Agro & Negócios

Terça-feira, 28 de junho de 2022

Notícias | Agricultura

Tem capacidade

Estudo revela possibilidade de moer 200 t de trigo por dia em MT

Foto: Reprodução/Internet

Estudo revela possibilidade de moer 200 t de trigo por dia em MT
Mato Grosso tem capacidade para moer 200 toneladas de trigo por dia. O fato é verificado em um estudo que revela ser possível moer esta quantidade com um investimento de R$ 29 milhões para a construção de um moinho. Hoje, o Estado produz trigo irrigado em cerca de 270 hectares no Médio-norte.

O estudo realizado pelo Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), a pedido da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato), foi um dos assuntos discutidos durante a reunião da Câmara Técnica do Trigo de Mato Grosso (CTTRIGO) na quinta-feira (25).

Conforme o coordenador da CTTRIGO, Hortêncio Paro, a implantação de um moinho em Mato Grosso irá alavancar a produção de trigo irrigado no Estado. Em recente entrevista ao Agro Olhar Hortêncio Paro comentou que há duas lavouras no Médio-norte do Estado cultivando trigo irrigado. As propriedades estão localizadas em Lucas do Rio Verde (210 hectares) e outra em Nova Mutum (60 hectares).

Leia também
Área destina ao trigo em MT chega a 270 hectares no plantio irrigado

De acordo com o estudo apresentado pelo Imea, o moinho teria capacidade para suprir 15% do déficit de oferta de farinha de trigo verificada hoje em Mato Grosso e em Estados da região Norte do Brasil. Atualmente Mato Grosso consome 128 mil toneladas de farinha de trigo e produz apenas 32 mil toneladas em um moinho instalado em Cuiabá.

“A nossa ideia é aproximar o produtor da comercialização, fazendo com que o moinho esteja dentro da infraestrutura das cooperativas, que agregariam mais valor e mais um serviço aos seus associados”, declara Hortêncio Paro.

Conforme o diretor executivo da Famato, entidade que faz parte da CTTRIGO, Walter Valverde, a demanda do preço mínimo do trigo já foi encaminhada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Durante a reunião ainda foram discutidas a criação de um fundo de apoio à cultura do trigo e um preço mínimo para o grão na região Centro-Oeste.

Também em entrevista ao Agro Olhar secretário de Políticas Agrícolas, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Seneri Paludo, comentou que a produção de trigo, em especial na região Centro-Oeste, já está sendo estudada pelo Ministério como uma segunda opção de safra ou até mesmo safra de inverno.

"Temos consentimento e a indústria como um todo que você tem que desenvolver o trigo no Centro-Oeste, ou seja, trazer esse trigo talvez até como uma segunda opção ou safra de inverno aqui, assim como é no Sul do país. Para isso nós temos que trabalhar três coisas: a primeira é a questão tecnológica, o segundo ponto é que você tem que trabalhar todo um arcabouço de política agrícola e o terceiro, que é um processo mais longo e demorado, é o processo de escoamento dessa produção da região de produção para a região de consumo”, declarou Seneri Paludo em entrevista ao Agro Olhar.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet