Olhar Agro & Negócios

Quinta-feira, 02 de julho de 2020

Notícias / Agricultura

Incerteza de cuidados em lavouras no assentamento Itanhangá/Tapurah preocupa, após operação

Da Redação - Viviane Petroli

10 Dez 2014 - 09:25

Foto: Reprodução/Ilustração

Incerteza de cuidados em lavouras no assentamento Itanhangá/Tapurah preocupa, após operação
Nenhum tipo de doença ou praga foi localizado no assentamento Itanhangá/Tapurah, contudo o setor produtivo frisa haver apreensão dos produtores do local diante as incertezas geradas com a operação policial "Terra Prometida". A Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT) encaminhou nesta semana, como medida preventiva, ofício para o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e ao Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea-MT) propondo ação de fiscalização in loco na região.

Na semana passada uma equipe técnica da Aprosoja-MT esteve no assentamento com o objetivo de verificar como estavam os tratos culturais e fitossanitários nas lavouras de soja. De acordo com o diretor técnico da Associação, Nery Ribas, a semeadura no local foi realizada após o dia 20 de outubro, quando a chuva regularizou. 

Leia mais
Plantio da soja encerra em Mato Grosso após início turbulento

"Felizmente, não identificamos a presença da ferrugem asiática, nem de lagartas como a helicoverpa e falsa-medianeira. Os próprios produtores não sabem se terão condições para manter os cuidados com a lavoura. Precisamos ficar atentos a isso porque há várias áreas comerciais nos municípios vizinhos, e o controle fitossanitário é fundamental", comenta o diretor técnico, que esteve no assentamento juntamente com a gerente da Comissão de Defesa Agrícola da Aprosoja-MT, Franciele Dal'Maso.

O assentamento Itanhangá/Tapurah é considerado o segundo maior da América Latina com 1.149 lotes, com metragem de 100 hectares cada um. No dia 27 de novembro a Polícia Federal deflagrou a operação "Terra Prometida", onde apura suposta negociação de lotes destinados para a Reforma Agrária no assentamento em questão.

2 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Imazapyr
    11 Dez 2014 às 08:12

    Caro Luciano, realmente este assunto não tem nada a ver com reforma agrária. Mas, tem muito a ver com sanidade vegetal. E o caso em questão é fiscalizado pelo INDEA/MT que visa manter a estabilidade fitossanitária no estado de Mato Grosso. Portanto, se tem soja tem que haver fiscalização do INDEA, cadastro das lavouras, fiscalização da adoção de medidas fitossanitárias para combate da ferrugem, etc e tal... Instrução Normativa nº 007/2014, da uma lida. Abraço!

  • luciano
    10 Dez 2014 às 11:45

    O que é que soja tem a ver com lote de reforma agrária? Que reforma agrária é essa que só tem soja?????

Sitevip Internet