Olhar Agro & Negócios

Segunda-feira, 14 de outubro de 2019

Notícias / Pecuária

Mato Grosso confinou 11% a menos de gado em 2014; É a terceira queda consecutiva

Da Redação - Viviane Petroli

19 Nov 2014 - 10:51

Foto: Viviane Petroli/Agro Olhar

Mato Grosso confinou 11% a menos de gado em 2014; É a terceira queda consecutiva
Mato Grosso registrou recuo de 11% no número de animais confinados em relação a 2013. É o terceiro ano consecutivo em que os pecuaristas decidem confinar menos. A redução é decorrente de preços no mercado futuro menos favoráveis durante o planejamento, entre março e abril, do regime fechado de alimentação neste ano. Em 2014 foram destinados ao confinamento 636,66 mil cabeças de gado em Mato Grosso, contra 717,8 mil registradas em 2013.

A confirmação de redução consta no 3º Levantamento das Intenções de Confinamento em 2014, estudo este elaborado pelo Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), a pedido da Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat)

Conforme Intenções de confinamento anteriores, feitas pelo Imea, Mato Grosso em 2010 confinou 592,8 mil cabeças, vindo a subir para 813,9 mil cabeças no ano de 2011. Já em 2012, segundo o Imea, 792,8 mil cabeças de gado foram terminadas no cocho e em 2013 o número caiu para 717,8 mil animais.

Leia mais
Queda de 44,2% no preço do milho estimula alta de confinamento de bovinos
Pecuaristas devem elevar em 1,2% o número de animais confinados apenas em 2014


Em 2014, além do preço futuro da arroba não estar favorável na época do planejamento, o amadurecimento dos pecuaristas em se tratando de um sistema "como um negócio de risco" foi outro ponto, segundo a Acrimat.

"O pecuarista está tratando o confinamento como uma ferramenta tecnológica, cujo desempenho depende da renda da atividade", declara o superintendente da Acrimat, Luciano Vacari.

O levantamento revela, ainda, que Mato Grosso possuía uma capacidade estática de 846,7 mil cabeças, volume este 5% menor que as 891,4 mil de 2013.

Segundo a Acrimat, pelo mercado no início do planejamento do confinamento viver situações adversas, com custos de produção elevados, bem como de reposição, alguns confinadores atrasaram o primeiro giro do confinamento e acabaram por realizar apenas um giro, o que fez com que 27% dos animais terminados no cocho viessem ser entregues em outubro para o abate.

Entre as cinco regiões ao qual Mato Grosso é divido a Centro-Sul foi a que mais reduziu o número de animais terminados no cocho com queda de 25,6% em relação ao ano passado, diminuindo de 122,74 mil cabeças para 91,28 mil. A região que mais confinou foi a Médio-norte com um volume de 153,06 cabeças em 2014, uma retração de 13% em comparação ao ano passado.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Sitevip Internet