Olhar Agro & Negócios

Sábado, 24 de fevereiro de 2024

Notícias | Jurídico

Caso Milho Bt

Multinacionais reforçam necessidade de manejo adequado para garantir eficiência de tecnologias

21 Ago 2014 - 14:19

Especial para o Agro Olhar - Thalita Araújo

Foto: Reprodução/Internet

Multinacionais reforçam necessidade de manejo adequado para garantir eficiência de tecnologias
Em resposta à notificação extrajudicial da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT) cobrando posicionamento acerca da ineficiência de tecnologia transgênica de milho Bt, as multinacionais Monsanto, Syngenta e Dow AgroSciences reforçaram a necessidade de manejo adequado para garantir a sobrevivência a tecnologia.

A editoria do Agro Olhar entrou em contato com as quatro empresas notificadas – Monsanto, Dow, Syngenta  e DuPont – das quais as três primeiras divulgaram o posicionamento oficial encaminhado à Aprosoja-MT. A DuPont alegou não ter recebido ainda a notificação.

Leia também: 
Com respostas inconclusivas, Aprosoja segue com diálogos sobre milho Bt e pode levar caso à justiça
Aprosoja-MT notifica quatro grandes multinacionais por ineficiência do milho Bt

Tanto a Monsanto quanto a Dow AgroSciences e Syngenta enfatizaram em suas respostas a importância de boas práticas e o manejo adequado para que a tecnologia tenha eficiência, como aplicação correta das áreas de refúgio, por exemplo.

A Monsanto alega que “a preservação e a sustentabilidade das tecnologias Bt demandam o cumprimento das recomendações de Manejo Integrado de Pragas (MIP) e de Manejo de Resistência de Insetos, que contempla o plantio das áreas de refúgio”.

A multinacional também acrescenta que sempre esteve ao lado do produtor rural orientando quanto à adoção das melhores práticas de manejo, inclusive, incentivando o plantio do refúgio em todo o território nacional.

Com posicionamento semelhante, a Dow afirma que “a semente de milho Bt é uma tecnologia eficiente no controle das pragas-alvo, porém, como amplamente divulgado pela Dow AgroSciences por meio de programas, treinamentos e materiais informativos, depende da implementação das boas práticas do manejo para seu bom funcionamento”.

A empresa também reforça que respondeu dentro do prazo a notificação da Aprosoja-MT e está à disposição para participar de discussões sobre o assunto, “de forma a prestar todo e qualquer esclarecimento e auxilio necessário para a utilização adequada da tecnologia Bt”.

A Syngenta divulga que a empresa "é comprometida com a agricultura sustentável por meio da inovação no desenvolvimento de seus produtos, visando a excelência em qualidade. A biotecnologia tem sido um recurso eficiente para a produção agrícola. No entanto, não há apenas uma solução definitiva no controle de lagartas. É importante que sejam adotadas estratégias abrangentes para o controle da praga, tais como área de refúgio, rotação de culturas e tecnologias de proteção de cultivo. As nossas equipes técnicas estão preparadas e à disposição dos produtores para sanar dúvidas e prover soluções integradas.”

O caso

No final de julho, a AprosojaMT notificou extrajudicialmente as multinacionais desenvolvedoras de biotecnologia Monsanto, DuPont, Dow e Syngenta pela ineficiência de tecnologia transgênica de milho Bt.

A biotecnologia prometia resistência a lagartas, o que não foi comprovado nas lavouras de milho em Mato Grosso na safra 2013/2014. Devido ao ataque de lagartas, os produtores registraram um gasto a mais com aplicações de inseticidas de R$ 120 por hectare.
Entre em nossa comunidade do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet