Olhar Agro & Negócios

Quinta-feira, 27 de fevereiro de 2020

Notícias / Política

Neri Geller sai em defesa de Dilma e diz que rejeição do setor produtivo de MT ao PT é coisa do passado

Da Redação - Laura Petraglia

21 Mar 2014 - 08:17

Foto: Maíza Prioli

Neri Geller sai em defesa de Dilma e diz que rejeição do setor produtivo de MT ao PT é coisa do passado
O recém-empossado Ministro da Agricultura, produtor rural mato-grossense Neri Geller (PMDB), saiu em defesa do governo petista da presidente Dilma Rousseff e disse que a rejeição ao PT por parte do setor produtivo estadual que durante a reeleição do ex-presidente Lula da Silva, foi motivo de tratoraço e protestos em Mato Grosso, é coisa do passado e não existe mais. Segundo ele, se ainda houver alguma coisa, é por pura falta de informação.

“O PT não tem mais rejeição entre classe produtora. Mas se tiver, talvez ainda seja um pouco falta de informação. Se você pegar o mandato da presidente Dilma, por exemplo, teve a capacidade de sancionar o código florestal que trouxe para a legalidade as áreas consolidadas que foram vetadas do governo passado. Obviamente que já teve rejeição, eu participei inclusive como diretor da Aprosoja de alguns movimentos reivindicatórios, que inclusive são justos e necessários”, diz.

Novo ministro da Agricultura fala em reestruturação de setores críticos

Segundo o ministro, no governo Dilma, ele tem encontrado respaldo para ‘tocar’ os principais programas que estão fazendo a diferença pro País. “Eu enquanto secretário de Políticas Agrícolas encontrei esse respaldo avançar nos principais programas que estão fazendo a diferença no País e para o setor produtivo, por isso que estou no Ministério da Agricultura”, disse.

Dentre os pontos citados por ele como os que encontraram solução no governo petista, o ministro citou a BR 163. “A BR 163, por exemplo. Faz 30 anos que eu moro em Lucas do Rio Verde e nunca avançou, mas agora está quase sendo concluída até Santarém. Na nossa gestão nós vamos acompanhar a reestruturação portuária que tem que acontecer”, afirma.

Além disso, ele cita a ‘coragem’ da presidente Dilma Rosseff com relação à duplicação da BR 163, ao fazer o enfretamento e privatizá-la. Segundo ele, a empresa vencedora que foi a Odebresh, em quatro anos terá que fazer a duplicação da divisa do Mato Grosso do Sul até Sinop.

“Então são muitos avanços importantes. Tem sim alguns setores do governo que tem resistência à produção, em função de falta de diálogo. Depois que Aprosoja, a Famato, as entidades de classe se organizaram e começaram o diálogo com a sociedade urbana, as coisas estão mudando. O produtor brasileiro não faz a degradação ambiental, pelo contrário, ele faz a produção acontecer de forma sustentável. Infelizmente as informações não estavam chegando e havia uma resistência inclusive por parte da sociedade urbana”, defendeu.

Na tarde desta quinta-feira (20) o ministro concedeu entrevista coletiva na sede da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato grosso (Famato) para dizer que vai continuar afinado com as demandas do setor produtivo do Estado.

Geller, que recebeu apoio da bancada parlamentar de Mato Grosso e da maior parte das entidades ligadas ao agronegócio, assumiu no lugar do ex-ministro Antônio Andrade (PMDB-MG), que deixou o cargo para se candidatar às eleições de outubro deste ano.

9 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Welington Moreira Dias
    24 Mar 2014 às 06:04

    Ministro tampão é assim mesmo acha tudo de bom deslumbrado, todos sabemos que o Uri Geller foi para lá pra " resolver a sua vida e da sua turma " que pena!!!! vai sair como o Wagner Rossi saiu, pela porta dos fundos !!!

  • paulo roberto
    22 Mar 2014 às 09:22

    O Sr. Ministro (do PMDB) dizer isso que não há mais rejeição do produtor ao PT. Concordo: o produtor "adora" o MST, a FUNAI, o INCRA e todos aqueles órgãos aparelhados para acabar com o sistema produtivo nacional. O produtor não tem mais rejeições ao PT (igual o PMDB, que só dá alegrias à Presidenta, que está muito contenta e sorridenta com o partido do Neri). KKKKKKKKK

  • Marlon Barella
    21 Mar 2014 às 15:20

    Não tem porque, só porque o senhor assumiu a pasta? O setor produtivo tem sim rejeição ao PT e Dilma, é só o Sr. andar pelo interior de MT mais precisamente em Juruena no Noroeste e verificar. Um caminhão leva mais de 12 horas para percorrer 110 km de estrada(estrada?). Convido ao Sr. para nos fazer uma visita, mas venha de carro, ônibus ou caminhão. A despesa do combustível ou passagem é por minha conta.

  • Ademir
    21 Mar 2014 às 11:04

    Ele pode falar por ele, cabresto colocam e amansam, poder para calar alguns, realidade é outra, décadas no ostracismo e no fim do mandato da presidente vem esmolas para tentar ter mais votos no curral dos PeTralhas, como sempre, uma vergonha!! Este ano será diferente, queremos gente nova, sem conchavos, sem propinas, sem benefício próprio, vamos aprender a votar, se está assim a culpa é de muitos!!! O VOTO faz a diferença!!!

  • Paulo Pitaluga Filho
    21 Mar 2014 às 10:21

    como existe neste mundo o personagem vira casaca!! Despersonalizado acho que seria a palavra que encontrariamos no dicionario para descrever o sr. Neri.

  • JOSE A SILVA
    21 Mar 2014 às 10:00

    BOI: Bezerro, arroba e carne são negociados em patamares recordes nominais, o unico bezerro que esta em baixa é o deputado bezerra.

  • marcos gonçalves
    21 Mar 2014 às 09:57

    é mentira desse neri os produres não aceita mesmo o pt querendo tomar suas terras e entregar para os indios fica esperto neri só porque esta mamando no governo vem fazer esse tipo de declaração sou produtor rural e não aceito o pior governo que obrasil teve nos ultimos tempos para o campo o governo do pt não é o partido é as pessoas mal intencionadas que nele milita esses comunistas querem destruir as propriedades rurais.

  • Paulo Moser
    21 Mar 2014 às 09:27

    É impressionante o que o oportunismo faz com as pessoas. Então é "coisa do passado" a falta de infraestrutura para escoar as constantes safras recordes do Estado? É "coisa do passado" a falta de incentivo do Governo ao setor? É "coisa do passado" um governo corrupto até as entranhas e que apóia invasões de terras e desapropriações em favor do MST e do índios? Só falta agora a Presidente virar a queridinha dos agricultores de Mato Grosso em razão da nomeação de um vira casacas para o ministério, tudo em troca de alguns segundos nas propagandas eleitorais que virão...

  • cavalinho
    21 Mar 2014 às 09:26

    Não sei não, acho que o Ministro esta sendo delicado!

Sitevip Internet