Olhar Agro & Negócios

Quarta-feira, 08 de dezembro de 2021

Notícias | Agricultura

SOJA

Período de vazio sanitário pode aumentar para 150 dias

Foto: Viviane Petroli/Agro Olhar

Período de vazio sanitário pode aumentar para 150 dias
O período do vazio sanitário da soja em Mato Grosso pode aumentar de 90 para 150 dias. A proposta da elevação de período de proibição da existência de plantas de soja é uma medida diante se estar no limite da eficiência dos fungicidas contra a ferrugem asiática. A ampliação da temporada de proibição da soja foi proposta durante reunião da Comissão de Defesa Vegetal de Mato Grosso com representantes do setor produtivo e do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), do Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea-MT), entre outros órgãos de defesa do Estado.

Hoje, o período do vazio sanitário em Mato Grosso tem vigência de 90 dias, compreendendo de 15 de junho a 15 de setembro. A medida visa à eliminação de plantas de soja guaxa nos perímetros urbanos, área rural, rodovias e nas regiões de armazéns evitando desta forma a disseminação de ferrugem asiática.

Leia também
Produtor que fizer safrinha da soja deverá ter acompanhamento profissional
Desvalorização da soja não é descartada diante safra dos EUA

Com a ampliação para 150 dias o vazio sanitário vigoraria de 15 de junho a 15 de novembro. Porém um consenso entre os participantes da reunião prevê a antecipação do início do período proibitivo da existência de plantas da soja em 60 dias, ou seja, ao invés de começa em 15 de junho, começaria em 15 de abril seguindo até 15 de setembro.

Conforme o coordenador da comissão e fiscal do Mapa, Wanderlei Dias Guerra, vive-se hoje no limite da eficiência dos fungicidas contra a ferrugem. "Os fungicidas perderam nesta safra ainda mais a sua eficiência. Isso é natural ocorrer, mas o que agrava ainda mais a situação é que não há novas tecnologias de resistência à ferrugem. Além disso, não podemos arriscar ainda mais a safra principal por conta da safrinha da soja".

Conforme Guerra, o que se percebeu na reunião realizada na segunda-feira (18) é que todos entenderam a situação e riscos existentes. "Precisamos agora é de uma posição técnica e uma aprovação rápida”.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet