Olhar Agro & Negócios

Sábado, 31 de outubro de 2020

Notícias / Agronegócio

Presidente da Aprosoja critica burocracia do governo para liberar defensivos contra lagarta

De Brasília – Vinícius Tavares

19 Nov 2013 - 09:00

Foto: Agro Olhar

Presidente da Aprosoja critica burocracia governamental

Presidente da Aprosoja critica burocracia governamental

Apesar do anúncio do decreto de emergência fitossanitária em Mato Grosso por causa da lagarta helicoverpa, o presidente da Associação dos Produtores de Soja (Aprosoja), Glauber Silveira, criticou a burocracia existente no Brasil para a liberação de defensivos químicos.

Glauber já havia levado sua preocupação aos membros da Frente Parlamentar da Agropecuária na última semana. Segundo ele, o produtor brasileiro continua sendo extremamente prejudicado pela demora do governo em permitir o uso do benzoato de amamectina, produto indicado para conter a praga.

Leia mais:
Governo federal declara emergência fitossanitária em Mato Grosso
Helicoverpa chega aos estados do Sul e FPA pede ao Mapa liberação de defensivo

“Então precisa primeiro o governador decretar emergência no Estado. Depois precisa o produtor registrar a sua área no Indea (Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso). Mas como é que ao registrar a área se não tenho ainda a helicoverpa, como vai se registrar a área?”, questiona.

"Então quer dizer que, quando vier a helicoverpa, eu vou dizer pra ela: helicoverpa, espere 20 dias que eu vou buscar a liberação do defensivo. Isso não existe", ironizou.

Ele critica o fato de a legislação brasileira preferir proibir todos de usarem o produto do que permitir o benzoato e multar e autuar o uso irregular.

"A helicoverpa é eminente a helicoverpa no Estado de Mato Grosso, em Goiás, É um absurdo que tenham liberado na Bahia e em Mato Grosso ainda não, só no Brasil que isso acontece", ressalta. 

Publicado o decreto, a partir de agora caberá ao Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso, o Indea, a elaboração de um plano de manejo para utilização defensivo, produto importado que estava impedido de ser usado Estado. Ainda segundo a portaria do ministério da agricultura, publicada nesta segunda-feira, as propriedades que utilizarem a substância deverão ser fiscalizadas.
Sitevip Internet