Olhar Agro & Negócios

Terça-feira, 12 de novembro de 2019

Notícias / Agricultura

Produção de café em Mato Grosso deverá cair 23% devido o clima

Da Redação - Viviane Petroli

30 Set 2015 - 09:35

Foto: Reprodução/Internet

Produção de café em Mato Grosso deverá cair 23% devido o clima
A seca prolongada em Mato Grosso deverá reduzir a produção de café em 22,9%. O estado deverá beneficiar 127,9 mil sacas entre café arábica e conilon. Segundo produtores, a cafeicultura em Mato Grosso só não é mais forte visto a falta de incentivos e financiamento para a atividade.

Em 2014 foram beneficiadas 165,8 mil sacas de café em Mato Grosso, enquanto as projeções para 2015, segundo a Companhia Nacional do Abastecimento (Conab), deverão ser 127,9 mil sacas. Hoje, Mato Grosso possui 20,189 mil hectares com café. Levantamento feito pelo Agro Olhar mostra que há plantações Colniza, Cotriguaçu, Nova Bandeirantes, Alta Floresta, Rondolândia e Tangará da Serra.

A atual safra de café tinha tudo para ser cheia, conforme o produtor em Tangará da Serra, José Turati. “A chuva atrasou. Tinha a perspectiva de colher 300 sacas beneficiadas, porém agora não sei como será”, comenta ao Agro Olhar o produtor que possui 32 mil pés de café em uma área entre 9 e 10 hectares.

Leia mais:
Produção de café em Mato Grosso terá incentivo de aproximadamente R$ 5 mi do Governo do Estado

Em Mato Grosso a produção de café conilon prevalece com 126,2 mil sacas beneficiadas, enquanto o arábica 1,7 mil sacas.

Incentivos na região Noroeste

Recentemente a Secretaria de Estado de Agricultura Familiar e Assuntos Fundiários (Seaf-MT) anunciou investimentos de aproximadamente R$ 5 milhões na região Noroeste de Mato Grosso mais conhecida como 'Rota do Café', onde estão localizados os municípios de Colniza, Cotriguaçu, Nova Bandeirantes, Alta Floresta e Rondolândia com alta produção de grãos e potencial de crescimento da atividade. Com o auxílio da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Apoio e Extensão Rural (Empaer), o Governo do Estado pretende elaborar um projeto que visa o incentivo da cafeicultura em Mato Grosso em propriedades de pequenos produtores. Projeto em elaboração prevê investimentos de R$ 1 milhão em cada um destes cinco municípios.

Para o produtor de Tangará da Serra, José Turati, incentivos como este deveriam ser estendidos para todo o estado.

A intenção do governo de Mato Grosso, através da Seaf, como o Agro Olhar já comentou, é implantar na região Noroeste a produção de café clonal, uma técnica desenvolvida pela Embrapa de Rondônia. A técnica consiste na reprodução da planta de café conservando toadas as suas caraterísticas produtivas, bem como de resistência ou tolerância ao ataque de pragas e doenças, o que facilita a formação de lavouras homogêneas de alta produtividade.

Nesta semana a Seaf realiza o curso técnico “Pró-Café Mato Grosso – Produção, Pós Colheita e Licenciamento Ambiental Municipal”. A capacitação acontecerá no Centro de Eventos Dardanelos em Aripuanã. O curso é realizado em parceria com a Associação Mato-grossense dos Municípios (AMM), a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e os consórcios intermunicipais Vale do Juruena e Teles Pires.

Serão abordados temas como Irrigação e drenagem, fitopatologia, colheita e pós-colheita, produção de mudas, manejo, licenciamento ambiental municipal e ao fim do curso haverá uma aula prática de campo.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Sitevip Internet