Olhar Agro & Negócios

Domingo, 26 de setembro de 2021

Notícias / Agricultura

DIFERENCIAL

Produtividade do milho de MT é 46,5% menor que a dos EUA

Da Redação - Viviane Petroli

31 Jul 2014 - 11:30

Foto: Reprodução/Internet

Produtividade do milho de MT é 46,5% menor que a dos EUA
Enquanto o forte de Mato Grosso é a soja, nos Estados Unidos é o milho. O país norte-americano deverá colher em média 173 sacas por hectare na safra 2014/2015, enquanto Mato Grosso está colhendo uma média de 92,5 sacas por hectare neste ciclo 2013/2014. De acordo com especialistas, os Estados Unidos prezam pelo cereal, tanto que a soja é o seu “complemento” de renda.

Das cerca de 17 milhões de toneladas de milho previstas para a safra 2013/2014 em Mato Grosso, aproximadamente 11,8 milhões de toneladas já foram colhidas, o que gera uma média de 92,5 sacas po hectare. A revelação é do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea).

Leia também
Multinacionais avaliam notificação da Aprosoja-MT quanto ao milho Bt; Atualizada
Aprosoja-MT notifica quatro grandes multinacionais por ineficiência do milho Bt
Colheita do milho chega a 81% na região Médio-norte; Custo de produção vai subir 6%

O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) revela que 76% das lavouras de milho nos Estados Unidos estão em boa ou excelente condição, o que é considerado maior que o período o ano passado. A produtividade no país norte-americano estima colher uma média de 173 sacas por hectare na temporada 2014/2015, cuja colheita se inicia logo. Tal produtividade é considerada a maior da história.

"Com o avanço da colheita e bom desenvolvimento das lavouras norte-americanas da próxima safra, as cotações do milho sentem a grande oferta esperada, principalmente no mercado internacional. No mercado interno a situação poderia ser igual, porém é parcialmente amenizada pelo prêmio no porto, que vem registrando alta a cada semana", pontua o Imea.

De acordo com o diretor técnico da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT), Luiz Nery Ribas, a diferença entre Mato Grosso e os Estados Unidos é muito grande no que diz respeito ao milho, apesar de ambos utilizarem tecnologia de ponta.

“A primeira questão é que os Estados Unidos é especialista em milho e nós em soja. Eles plantam soja como complemento, assim como nós plantamos o milho na segunda safra para complementar a renda. Os norte-americanos usam o máximo a sua janela ideal, tanto que calculam o tempo dela”, explica Ribas.

Conforme Ribas, Mato Grosso não chega aos patamares de produtividade dos Estados Unidos por que o cereal não é plantado no Estado na primeira safra, a qual os produtores mato-grossenses optam pela soja. “Apesar de plantarmos em segunda safra e termos mais riscos, devido clima e pragas, Mato Grosso tem uma produtividade excelente e além das expectativas. Outro ponto que nos limita de expandir com o milho é a questão preço”.

No Mato Grosso o plantio da primeira safra de milho ocorre entre outubro e dezembro, mesmo período da soja. O 10º Levantamento de Safra de Grãos 2013/2014 da Companhia Nacional do Abastecimento (Conab), divulgado no início de julho, revela que Mato Grosso semeou 68 mil hectares com milho na primeira safra do Estado, área 10% menor que os 75,6% do ciclo 2012/2013. A produção ficou em 422,2 mil toneladas, 21,1% a menos que as 535,2 mil toneladas da safra passada.

Já o plantio da segunda safra vai de janeiro a março, período em que a soja é colhida. Em Mato Grosso a janela ideal do milho é janeiro e fevereiro. O Imea aponta uma área de 3,2 milhões de hectares e 17 milhões de toneladas para a segunda safra 2013/2014 do cereal, menor que os 3,7 milhões de hectares e 22,5 milhões de toneladas da safra anterior.

Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet