Olhar Agro & Negócios

Domingo, 09 de maio de 2021

Notícias / Agronegócio

Rio paraguai-paraná

Governo de Mato Grosso busca efetivação das exportações via hidrovias na América do Sul

Da Redação - Viviane Petroli

08 Nov 2016 - 11:28

Foto: Assessoria

Governo de Mato Grosso busca efetivação das exportações via hidrovias na América do Sul
O escoamento da produção mato-grossense via rotas hidroviárias para países da América do Sul é buscado pelo Governo de Mato Grosso visando relações comerciais para reativação do porto de Cáceres e a construção da Zona de Processamento de Exportações (ZPE) de Cáceres. A principal rota de escoamento de Mato Grosso para países como Argentina, Bolívia, Paraguai e Uruguai é por meio do rio Paraguai-Paraná.

Entre os dias 03 e 05 de novembro o vice-governador Carlos Fávaro, representantes do Governo de Mato Grosso da Associação Pró-Hidrovia Paraguai - Paraná (APH) estiveram na Argentina.

A visita na Argentina teve como objetivo conhecer os portos, bem como empresas da América do Sul interessadas em estreitar relações comerciais com Mato Grosso por meio de uma rota hidroviária.

Leia mais:
ZPE de Cáceres tem edital disponibilizado; concorrência será dia 16 de novembro

A expectativa do Governo de Mato Grosso com o escoamento via hidrovia é facilitar a exportação de grãos, produtos têxteis, produtos de base florestal, entre outros.

Conforme o vice-governador Carlos Fávaro, incentivar o uso das hidrovias em Mato Grosso é fundamental, uma vez que é uma alternativa econômica e menos poluente que o modelo rodoviário.

“É um transporte que o mundo todo utiliza. Uma dádiva divina que Mato Grosso tem, um rio navegável, uma oportunidade que não devemos abrir mão, além de ser economicamente mais viável, mais eficiente e que gera menos emissão de CO² e, certamente, contribui para a sustentabilidade", salienta Fávaro.

O vice-governador revela que o Governo do Estado deverá tomar medidas que incentivem a navegação pelo rio Paraguai-Paraná. A intenção é ganhar competitividade e integração da América do Sul com a Argentina, Bolívia, Paraguai e Uruguai. "Já estamos conversando com os secretários de Desenvolvimento Econômico e de Fazenda visando medidas no intuito de apoiar a navegação em Mato Grosso".

A viagem foi acompanhada pelo presidente da Associação Pró-Hidrovia Paraguai - Paraná (APH), Vanderlei Reck Júnior. Segundo ele, uma embarcação tem capacidade equivalente a 200 caminhões carregados. “Seriam 200 motores a menos poluindo, quantas vidas também seriam salvas nas estradas?”

O vice-governador Carlos Fávaro pontua que a agenda na Argentina complementa a Caravana da Integração, realizada por membros do Governo, com a participação de entidades de classe, em abril deste ano.

ZPE e Porto de Cáceres

Ainda de acordo com Fávaro, a contratação de uma empresa para a construção das edificações da ZPE de Cáceres é um avanço, significando a sua retirada do papel.

A obra, como comentado pelo Agro Olhar, será feita por meio de um termo de cooperação entre as Secretarias de Estado das Cidades (Secid-MT) e de Desenvolvimento Econômico (Sedec-MT). A zona aduaneira é aguardada em Mato Grosso por quase 30 anos em Mato Grosso e tem as obras iniciais orçadas em aproximadamente R$ 17 milhões.

Ainda segundo o vice-governador, o início das atividades no Porto de Cáceres trará desenvolvimento para municípios da região Sudoeste (Cáceres, Mirassol D’Oeste, Glória D’Oeste, Araputanga, Pontes e Lacerda e Comodoro, entre outros) e Oeste (Tangará da Serra, Campo Novo, Sapezal, e Campos de Júlio, entre outros).

Comentários no Facebook

Sitevip Internet