Olhar Agro & Negócios

Sexta-feira, 10 de abril de 2020

Notícias / Logística

BR-163 completa 40 anos impulsionando a produção e o transporte em Mato Grosso

Da Redação - Viviane Petroli

19 Out 2016 - 16:08

Foto: Arquivo 9º BEC

Construção da BR-163 após a Serra do Cachimbo em Mato Grosso

Construção da BR-163 após a Serra do Cachimbo em Mato Grosso

A BR-163 completa 40 anos nesta quinta-feira, 20 de outubro. A rodovia federal construída na década de 1970, visando à ocupação da região Oeste do país, acabou por transformar municípios com a produção agropecuária e madeireira, além do transporte de cargas. Somente em soja mais de 10 milhões de toneladas circularam pela BR-163 em 2016 em direção aos principais portos como Santos (SP) e Santarém (PA).

A exposição "40 anos da BR-163 – Uma estrada com quilômetros para contar” em comemoração as quatro décadas da rodovia federal será realizada entre os dias 20 de outubro e 03 de novembro no Shopping Pantanal e entre os dias 05 e 20 de novembro a mesma poderá ser visitada no Goiabeiras Shopping.

A exposição “40 anos da BR-163 – Uma estrada com quilômetros para contar” é realizada pela Concessionária Rota do Oeste e o 9º Batalhão de Engenharia de Construção (9º BEC), com apoio da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja). Além das fotos, os visitantes poderão viajar até a rodovia usando óculos de realidade virtual 3D e conhecer o trecho de 117 quilômetros duplicado pela Concessionária Rota do Oeste ao Sul da BR-163, na região de Itiquira a Rondonópolis.

Leia mais:
"Temos de olhar para o futuro, criar novos empregos", diz Blairo quanto a negociações com o Japão

Conforme a Concessionária Rota do Oeste, serão expostas fotos do acervo do 9º de Engenharia de Construção (9º BEC), que mostram os trabalhos realizados ainda na década de 1970. As obras da BR-163 foram executadas seguindo o Plano de Integração Nacional (PIN) do Governo Militar. Para isso o 3º Batalhão Rodoviário, de Carazinho (RS), foi transformado no 9º BEC, que se instalou em Cuiabá. O Plano tinha como lema "Integrar para não entregar", pois tinha o objetivo de ocupar áreas do Oeste do Brasil para não perdê-las para outros países.

A BR-163 é hoje a principal rota de escoamento da produção agropecuária de Mato Grosso e demais produtos primários, como a madeira. A sua construção permitiu a migração de produtores do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná e a assim a criação de inúmeras cidades, consideradas atualmente exemplos em Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), como é o caso de Lucas do Rio Verde, líderes em exportação, como Sinop, e líderes em produção de soja e milho, como Sorriso.

Somente em soja, passaram pela BR-163 em 2016 cerca de 10,796 milhões de toneladas com destino aos principais portos do Brasil. Para o porto de Santos (SP) foram escoados 7,148 milhões de toneladas, para Paranaguá (PR) saíram de Mato Grosso 618,8 mil toneladas. Já para Santarém (PA) 1,248 milhão de toneladas saíram de Mato Grosso via a BR-163 e por Barcarena (PA) 1,782 milhão de toneladas.

A construção da BR-163 teve início em 1976, com equipes militares e civis contratados pelo 9º BEC sob o comando do Coronel José Meirelles. Foram duas frentes de trabalho. A liderada pelo Coronel José Meirelles que seguiu rumo ao Pará e a liderada pela equipe do 8º Batalhão de Engenharia de Construção (8º BEC), instalado em Santarém (PA), que partiu rumo a Mato Grosso. As duas equipes de encontrariam na Serra do Cachimbo, divisa entre os dois estados.

A obra foi entregue para a população dos dois estados em 20 de outubro de 1976 pelo presidente Ernesto Geisel. A cerimônia de entrega foi realizada no Km 877, próximo à Cachoeira do Curuá no Pará. Na época a rodovia foi avaliada em 600 milhões de cruzeiros.

Hoje, a rodovia passa por obras de duplicação entre a divisa de Mato Grosso com Mato Grosso do Sul até Sinop. São 850 km de duplicação, sendo em torno de 450 sob a competência da Concessionária Rota do Oeste e aproximadamente 400 quilômetros sob responsabilidade do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte (DNIT).

O Governo Federal estuda a concessão de 976 quilômetros da BR-163 entre Sinop e Miritituba, no Pará, que deverá ser de 30 anos. Durante esse período a Concessionária vencedora do certame deverá realizar serviços de infraestrutura e de prestação de serviço público de recuperação, conservação, manutenção, operação, implantação de melhorias, pavimentação, ampliação de capacidade e manutenção no trecho.

7 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • ZELITO OLIVEIRA RIBEIRO
    13 Fev 2020 às 17:54

    Esqueceram de homenagear os civis e militares da antiga CR 05, Unidade do Exercito que se instalou na década de 1950, aqui em Cuiabá/MT, dos servidores civis e militares do 5º BEC, dos servidores civis e militares do 9º BEC, muitos perderam a vida na construção da rodovia da BR 163, infelizmente não lembrados, foram herois nacionais e não foram reconhecidos pelo governo brasileiro, a importância dessa rodovia, na integração nacional, será também na fronteira agrícola dos municípios de Mato Grosso e do Estado do Pará.

  • Mario
    21 Out 2016 às 02:28

    Esqueceram de citar Nova Mutum que é a caçula das quatro maiores cidades da br 163 com apenas 50 mil hab que tem o 3 maior IDH , o 8 maior PIB do estado, terceiro maior produtor de soja e milho do Brasil ,terceira maior exportador do MT e não sinop como citado, todos falam de Lucas do rio verde que é tão aclamada pela política que gira em torno ,mais esquecem da vizinha que nos últimos anos tá dando um show de bola , vamos pesquisar melhor e para de achar que Lrv é o paraíso, Nova Mutum atualmente vive seu auge e não tem nenhuma outra cidade no centro oeste com a mesma população que chegue perto da sua qualidade de vida e sua renda percapita.

  • Zé Guaporé
    20 Out 2016 às 11:41

    A rodovia é federal, logo o mérito é do governo federal (militar) e do Exército Brasileiro que a construiu!

  • Nivio Melhorança
    20 Out 2016 às 10:06

    Por mérito foi através do Programa "Carga Pesada", negociado com o BID no Governo Frederico Campos, que viabilizou a pavimentação da BR-163 e a BR-070. Mérito também do Dr. Júlio Campos que agilmente implementou os serviços.

  • Moisés Gomes
    20 Out 2016 às 09:38

    Concordo plenamente com a injustiça dessa matéria em não lembrar que foi o Governador Julio Campos que tirou o povo do nortao da poeira e da lama e atolero com o às faltam entorno dessa BR 163. A ele a nossa gratidão.

  • Roberto Schinaider
    19 Out 2016 às 23:28

    Neste dia em que comemoramos os 40 anos da inauguração da BR 163 (Cuiabá-Santarém) em terra de chão batido, não podemos esqueçer que 8 anos depois dos Presidentes Medici e Geisel, surgiu em Mato Grosso, um Governador de visão de estadista : Dr.Julio José de Campos, que em 1983 começou asfaltar os 600 primeiros kilometros desta Estrada, no trecho V.Grande, Posto Gil,Sinop, até Santa Helena, entrada para Colider-Alta Floresta. Inaugurou o ASFALTO dia 10 de dezembro de 1984, com a presença do Presidente João Figueiredo, para nossa alegria. É pena que essa reportagem não diz uma linha siquer sobre o grande trabalho do Governador Julio Campos, pela integração do Nortão de MT com o resto do Brasil. Julio foi o maior Governador de MT para o interior do Estado,e nós daqui jamais o esqueçeremos.

  • gringo
    19 Out 2016 às 17:26

    Me lembro perfeitamente da primeira viagem por essa rodovia em 1982, foi uma aventura de Cuiabá a Sinop.

Sitevip Internet