Olhar Agro & Negócios

Sexta-feira, 17 de janeiro de 2020

Notícias / Clima

Seis municípios em Mato Grosso decretam situação de emergência por estiagem

Da Redação - Viviane Petroli

19 Jul 2016 - 16:01

Foto: Reprodução/Internet/Ilustração

Seis municípios em Mato Grosso decretam situação de emergência por estiagem
Seis municípios mato-grossenses decretaram situação de emergência por estiagem. As prefeituras tiveram auxílio da Secretaria de Estado das Cidades (Secid), por meio da Secretaria Adjunta de Proteção e Defesa Civil, para a ação, visto a falta de chuva provocar prejuízos aos produtores rurais e à população local.

Além de União do Sul e Alto Garças, que decretaram situação de emergência anteriormente nesta 2ª safra de milho 2015/2016, como o Agro Olhar já comentou, tiveram situação de emergência emitidos os municípios de Querência (a 945 km de Cuiabá), Água Boa (a 739 km de Cuiabá), Canarana (a 823 km de Cuiabá), Novo São Joaquim (a 339 km de Cuiabá), Guiratinga (a 347 km de Cuiabá) e Cláudia (a 620 km de Cuiabá).

Leia mais:
Município em Mato Grosso decreta situação de emergência por estiagem

Diante os decretos, equipes da Coordenadoria de Resposta e Reconstrução da Defesa Civil levantam in loco complementação para relatórios e laudos técnicos para serem encaminhados aos órgãos de defesa estadual e federal, como destaca o coordenador do trabalho, Benedito de Araújo Gomes.

Em 2016, aproximadamente 20 municípios receberam a visita de equipes da Defesa Civil de Mato Grosso devido à situação nos municípios diante a ausência de chuvas.

De acordo com a Secid, outras regiões também enfrentam problemas com a seca, contudo ainda não solicitaram a intervenção da Defesa Civil do Estado. A Secretaria salienta, ainda, que apesar dos municípios não terem solicitado auxílio, equipes da Defesa Civil percorrem algumas regiões que sofrem com a estiagem.

O decreto de situação de emergência é emitido pelo executivo do município e homologado pelo Governo de Mato Grosso. Os decretos possuem vigência de 90 dias, podendo ser prorrogado por mais 90 dias.

Como o Agro Olhar comentou recentemente, em algumas regiões a diferença entre a produtividade máxima e a mínima de milho chega a 77 sacas por hectare nesta 2015/2016, contra uma diferença de 21 sacas no ciclo passado, como constatado no Nordeste mato-grossense.

Em União do Sul, conforme o decreto nº 1.304, publicado no Diário Oficial do Estado que circulou no dia 13 de julho, em função da estiagem precoce a produtividade do milho vem apresentando uma redução de 80% e em alguns casos chegando à perda total da lavoura.

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Agro Olhar. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Agro Olhar poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Sitevip Internet