Olhar Direto

Quinta-feira, 02 de julho de 2020

Opinião

Anjos anônimos

Autor: Amanda Suret

29 Mar 2020 - 08:00

Atividades essenciais na agropecuária garantem mais que divisas para o Brasil.

Em tempos de COVID-19, milhares de servidores que desempenham funções essenciais trabalham para manter a paz social e assegurar alimentação de qualidade à população brasileira e mundial

Responsáveis pela garantia da sanidade dos produtos alimentícios de origem animal e vegetal, os servidores do Ministério da Agricultura, em especial da Fiscalização Federal Agropecuária, que estão na linha de frente do Serviço, enfrentam jornada exaustiva para que o mercado não sofra desabastecimento e que a sociedade não passe por mais um grave problema de saúde consumindo produtos contaminados ou que os alimentos deixem de chegar ao comércio .

Anjos anônimos

Sem se dar conta do quão são indispensáveis, ou sem reivindicar louvores, esses profissionais atuam há mais de um século no combate á disseminação de inúmeras doenças passíveis de transmissão por meio dos alimentos.

Os técnicos de Fiscalização Federal Agropecuária - TFFA, por óbvio, reforçaram o protocolo de segurança, seguindo à risca as normas de convívio em tempos de disseminação do covid-19 e seguem trabalhando nos frigoríficos, na industrias de lácteos, pescados, mel, bebidas, ovos e demais produtos alimentícios consumidos no Brasil e no mundo

E como é o dia a dia desses profissionais na prática?

Respondem pela execução das atividades essenciais, com já dissemos, e este trabalho compreende desde a vigilância e certificações sanitárias e fitossanitárias, prevenção, controle e erradicação de pragas dos vegetais e de doença dos animais, vigilância agropecuária internacional (importação e exportação, fronteiras terrestres e aquáticas e aeroportos),fiscalização ambiental às atividades de assessoramento em resposta às demandas que continuem em andamento e às urgentes, conforme podemos ver na PORTARIA Nº 103, DE 23 DE MARÇO DE 2020 do Ministério da Agricultura, por exemplo.

Para termos uma ideia ‘real’ do caminho seguido pelos produtos indispensáveis à alimentação diária, conversamos com a Técnica de Fiscalização Federal Agropecuária, Célia Rosimarie, lotada no estado do Paraná e diretora técnica da Associação Nacional dos Técnicos de Fiscalização Federal Agropecuária – ANTEFFA, que deu detalhes da atuação destes profissionais.

Desde o início até o produto final

O TFFA atua diretamente na Fiscalização e Inspeção de Estabelecimentos Produtores de Produtos de Origem Animal, realizando fiscalização in loco nos estabelecimentos sob inspeção federal, sejam eles estabelecimentos de abate, como os de aves, suínos, bovinos e pequenos ruminantes (ovinos e caprinos), chamados de estabelecimentos de inspeção permanente ou estabelecimentos que manipulam produtos de origem animal, como é o caso de laticínios, derivados de abelha (mel e geléia real), estabelecimentos produtores de ovos e produtos cárneos (fábrica de embutidos), chamados de estabelecimentos de inspeção periódica.

Os TFFAs garantem que os estabelecimentos cumpram o atendimento de requisitos técnico-sanitários gerais e específicos para atendimento aos mercados internos e externos.

Nas plantas de abate atuam desde a chegada dos animais, onde verificam a documentação sanitária e o aspecto físico desses animais, acompanham todo o processo de abate, onde fiscalizam as condições técnico-sanitárias de todo o processo, até a embalagem, rotulagem e expedição do produto final.

Derivados e subprodutos também são inspecionados e fiscalizados

Nos estabelecimentos que produzem derivados de produtos de origem animal, os TFFAs fiscalizam as condições sanitárias da matéria prima e todo o processo de industrialização de produtos e derivados, até a embalagem, rotulagem e expedição do produto final.

Durante a fiscalização desses processos, os TFFAs compõem equipes de avaliação de risco determinado de estabelecimentos sob inspeção periódica, realizam interdições temporárias de setores de produção, realizam apreensões cautelares de produtos que não atendam aos requisitos técnico-sanitários, aplicam, junto aos estabelecimentos fiscalizados, sanções administrativas determinadas pelo serviço de inspeção de produtos de origem animal (SIPOA).

Os TFFAs atuam também na área de subprodutos de origem animal, como estabelecimentos que produzem mastigáveis para pets e graxarias.

Concluímos convictos de que os aplausos das janelas de todo o Brasil, dedicados aos profissionais da Saúde, a partir da compreensão do trabalho desses técnicos, certamente, serão extensivos às equipes de trabalho da Fiscalização Agropecuária.


Link portaria

http://www.agricultura.gov.br/mailing/documentos/portaria-no-103-de-23-de-marco-de-2020-portaria-no-103-de-23-de-marco-de-202.pdf


Amanda Suret, estou como presidente da Associação dos Técnicos de Fiscalização Federal Agropecuária e Diretora de Comunicação da ANTEFFA. 
Sitevip Internet