Olhar Direto

Quarta-feira, 27 de janeiro de 2021

Opinião

O evanescente antirracismo politicamente correto

Autor: Jefferson Luiz de Farias

01 Dez 2020 - 08:00

Sociedade alvoroçada, depredações, protestos, eventos antirracistas explodindo por vários lados, pudera... afinal, são tantas barbáries protagonizadas pelo atemporal racismo. Sim!... Pelo racismo, esta inaceitável prática da classificação de indivíduos tendo como base seus traços fenótipos. Sabe o que “dói” neste contexto?! É saber que o termo “fenótipo” deriva do grego sendo a união de duas palavras “pheno” (evidente brilhante) e “typos” (característica). Ou seja, poderíamos classificar de um modo “genérico” os seres humanos como sendo portadores de “Evidentes brilhantes características”. Todavia, isto seria muito bom para ser verdade... então, por volta do século XX surge este substantivo masculino: RACISMO, que consiste no preconceito e na discriminação entre pares de uma mesma espécie mutilando-a em raças. Lógico que este termo nasceu para dar nome a algo que já estava ocorrendo a muitos e muitos anos.

Caramba... por que ainda hoje somente é empregado este termo com grande veemência quando algo deplorável acontece?! Seria para justificar na ocasião, que existe uma luta antirracista politicamente correta?!

Engraçado!!! Não vejo, ou quem sabe não percebo, talvez devido minha modesta erudição, sinais entre os intelectuais, a sociedade, produzindo novos léxicos que inibam a alimentação dessa coisa... o racismo. O que assisto, são manifestações desmerecedoras pós-problemáticas, exigindo a queda do vitupério racismo por intermédio das mesmas práticas que o viabilizou, a brutalidade.

Aproveitando o ensejo, quero te informar que estamos quase no final de 2020 marcado por dois grandes fatos referentes ao racismo, estou falando do caso George Floyd, um afro-americano que foi assassinado em 25 de maio de 2020 e o então recente caso João Alberto Silveira Freitas, espancado até a morte no estado do Rio Grande do Sul, ou seja, no nosso Brasil a véspera do dia da Consciência Negra.

Mas... não querendo “denegrir” o andamento deste texto, quero fazer uma pausa para te avisar que justamente neste fim de ano, em que “as coisas ficaram pretas” para muitos, já está acontecendo vários eventos que a sociedade aguardava ansiosamente. Você não sabe quais!? “Você estava amarrado” é?! Calma... Vou dar uns toques sobre os eventos e as facilidades que eles lhes trarão. De cara temos a Black Week (semana negra) uma semana cheia de produtos baratos que praticamente todos podem comprar; temos também a esplendorosa Black Friday (sexta feira negra) com produtos pela metade do preço, é muito barato... quase sem valor... vale ressaltar que tem produtos da “cor do pecado” não provenientes do “mercado negro”. Poxa! São empresas idôneas né?! O “serviço é de branco” elas não são “como tuas negas” que só fazem “coisas de preto”. Lembrando que se por ventura te “der um branco” e você acabar se esquecendo... fica tranquilo... estas promoções vão continuar... elas causam a maior “inveja branca” nas outras lojas que não participaram, mas é bom que a “coisa fique preta mesmo” porque daí, na segunda feira, que é “dia de branco”, vai ter preços baixos pra todos os lados que até quem “nasceu com o pé na senzala”, vai poder comprar.  


Jefferson Luiz de Farias Professor Pedagogo, Especialista em LIBRAS  e Escritor
Sitevip Internet