Olhar Direto

Sábado, 19 de junho de 2021

Opinião

Transparência e Responsabilidade

Frente a recente denúncia da existência de uma grande quantidade de medicamentos vencidos na Central de Distribuição de Medicamentos e Insumos de Cuiabá (CDMIC), criamos com urgência na Câmara Municipal uma CPI, que terá pela frente a tarefa de apurar os fatos denunciados com rigor e seriedade.

Uma Comissão Parlamentar de inquérito cuja criação seguiu todos os trâmites legais da casa para ser constituída. Fazem parte dela representantes de vários partidos políticos, vereadores da nova geração e, também, políticos com vários mandatos. Fato que denota uma pluralidade de ideias e posicionamentos, competência e experiência para levantar a responsabilidade dos possíveis envolvidos e elucidar todos os detalhes pertinentes a questão de forma isenta e imparcial.

Infelizmente ainda assistimos insinuações maliciosas e desprovidas do mínimo decoro parlamentar, tentando desqualificar a CPI antes mesmo dela iniciar seu trabalho e apresentar publicamente suas conclusões. Como relator da CPI nunca deixarei que nada interfira no compromisso que fiz com a população cuiabana ao ser eleito, que é de fiscalizar e zelar pela boa aplicação e destinação correta e honesta do dinheiro público.

Como relator irei levantar todos os documentos e fazer uma apuração minuciosa da conduta administrativa adotada no processo licitatório de compra, armazenamento e distribuição dos medicamentos no município. Nosso trabalho de relatoria será transparente e compartilhado com vereadores de oposição ao prefeito de Cuiabá. Queremos, como todo cidadão de bem que mora em nossa cidade, saber se ocorreu crime de responsabilidade, quem foram os possíveis responsáveis e que fatores contribuíram para que ocorresse a denúncia. Doa a quem doer iremos até o fim.

É nosso dever como parlamentar, comprometido com a verdade, apresentar para população resultados que possuam fundamentação e materialidade. Sejam estes resultados favoráveis ou desfavoráveis para a administração municipal. A relatoria da CPI dos Medicamentos utilizará de todos os recursos legais para levantar a realidades dos fatos, vamos realizar um trabalho imparcial, livre de extremismos, achismo e especulações infundadas. Vamos abrir todas as gavetas e computadores em busca de provas, a população precisa de respostas.

Infelizmente a criação da CPI dos medicamentos vencidos acirrou ânimos e trouxe a incapacidade de vereadores que não aprenderam que o debate político acontece no campo das ideias, mesmo que elas sejam contrárias as nossas. Devemos respeitar o trabalho parlamentar de nossos colegas e nunca baixar o nível para ataques pessoais, acusações infundadas, impregnadas de ódio, rancor e outros sentimentos negativos.

Tentar criar holofotes sobre si mesmo e fazer pirotecnia com fatos que não foram apurados com o devido rigor técnico e imparcialidade investigativa, pode levar a erros.  Fazer julgamento e condenação antecipada de acontecimentos levado por paixões políticas e necessidade extrema de criar polarização, não é o melhor caminho para se esclarecer a recente denúncia que apontou a existência de medicamentos vencidos na Central de Distribuição de Medicamentos e Insumos de Cuiabá (CDMIC).

Precisamos construir em nosso País e cidade a cultura e a prática de uma conduta política ética, baseada no respeito mútuo e na busca do bem comum. O tempo da baixaria já passou.
 
Marcus Brito Junior é vereador por Cuiabá
Sitevip Internet