Olhar Direto

Sábado, 25 de junho de 2022

Opinião

Por que o WO 2? Realidade x Expectativa

No meu artigo anterior, em minha primeira avaliação, fiz questão de frisar o bom momento da gestão estadual. Que por meio das medidas adotadas, geraram uma maior arrecadação, resultando no equilíbrio das contas do governo, o que contrasta com a situação econômica do país. Apontei estas medidas como um dos motivos do possível WO do governador Mauro Mendes(União Brasil) em seu projeto de reeleição.

Claro, todos nós acabamos nos surpreendendo  com a triste notícia do estado de saúde da primeira-dama Virginia Mendes. Fator que poderia até levar, quem sabe, o governador a abortar seu projeto de reeleição. Pois, obviamente, no campo emocional, isso poderia atrapalhar a trajetória Mendes, em sua reeleição. 

Mas, graças a Deus, as últimas informações apontam que o procedimento cirúrgico e o tratamento de saúde da Virginia Mendes foi surpreendente e que está muitíssimo bem assistida pelos melhores profissionais na área da saúde do Brasil.

Com o diagnóstico precoce, a cirurgia foi um sucesso. O que aponta a possibilidade gigante do governador seguir na disputa. 

Um dos motivos que o governador tem hoje, indicando um cenário extremamente favorável que, antecipadamente, sinaliza, que ele ganhe as eleições por WO é a falta de players políticos. E, claro, oponentes com musculatura política para a disputa. Somando o fato do recuo do prefeito da Capital Emanuel Pinheiro(MDB), e do senador da República Wellington Fagundes(PL).

Criando um vazio nas opções por parte de seus opositores para encabeçar a disputa.

Assim, hoje, no campo das conjecturas, só vejo o deputado federal e ex-senador, José Medeiros(PL), cacarejando como um grilo falante, de forma isolada e quase cômica, pois até seu partido está no arco de alianças ao governo. 

Uma surpresa poderia surgir? Pode! Mas é necessário invocar alguns fatores decisivos: tempo para que um Outsider "novo postulante" venha a ficar conhecido e obter penetração plausível nos 141 municípios do Estado, ao ponto de mudar este cenário. Mesmo com o uso da ferramenta absolutamete eficiente que é a rede social. Além de sabermos, de antemão, que os principais agentes políticos no Estado, hoje se fazem presentes no arco de alianças que dão sustentabilidade ao projeto de reeleição de Mendes. O que torna seu projeto de comandar por mais quatro anos o Palácio Paiaguás, uma ideia tranquila.

Porque?

Porque tem o apoio de lideranças como o senador Jayme Campos, o ex governador e pré-candidato a deputado estadual, Júlio Campos, o ex-senador Cidinho dos Santos(os três do UB), o ex-prefeito de Lucas do Rio Verde e vice-governador, Otaviano Pivetta(Republicanos), o ex-senador e ex-ministro Blairo Maggi(PP), e o senador Wellington Fagundes. 

Assim, o WO não é mérito único e exclusivo do governador em exercício. Mas, sim, do grupo que o acompanha e apoia. Somando grandes forças nesta corrente política que - com toda certeza - irá se concretizar nas convenções entre julho e agosto. 

Então meus nobres amigos, em meu humilde entendimento, mesmo sem bola de cristal e sem invocar o ¨achismo¨ e, sim, uma leitura pragmática dentro de uma análise fria, as próximas eleições em Mato Grosso, já estão definidas por WO.

O que poderemos ter é uma candidatura somente para marcar posição, como foi em 1994, quando o candidato Oswaldo Sobrinho disputou o governo contra o homem das diretas já, Dante Martins de Oliveira[in memoriam]. Somente para cumprir tabela, pois o Estado inteiro sabia que Dante já estava eleito. 

Agora a história se repete. 


Palmiro Túlio Pimenta é consultor e planner em marketing digital, empresário e articulista
Sitevip Internet