Olhar Conceito

Segunda-feira, 02 de agosto de 2021

Notícias / Tecnologia

posithividades

Cuiabano desenvolve aplicativo para troca de informações e guia de tratamento sobre HIV

Da Redação - Isabela Mercuri

05 Jun 2017 - 08:05

Foto: Olhar Direto

Cuiabano desenvolve aplicativo para troca de informações e guia de tratamento sobre HIV
Promover a troca de informações sobre HIV e colocar pessoas que se interessam pelo assunto em contato. Este é o objetivo do ‘PositHIVidades’, aplicativo desenvolvido pelo cuiabano Junior Abranches em parceria com três catarinense, e que será lançado em todo o país no próximo dia 15 de junho.

Leia também:
Jornalista cria canal no Youtube para divulgar cultura, gastronomia e turismo de Mato Grosso

O convite para integrar o time que colocaria essa ideia no papel veio de forma inusitada. Junior, que já tem no currículo aplicativos como o ‘Vai Time’, sobre futebol, e o ‘99Jus’, como se fosse um uber para advogados, foi encontrado por Lucian Ambroz (o dono da ideia) pelo Linked in, e aceitou o convite na hora. “O Lucian apresentou o projeto em um evento do Sebrae, e ficou em primeiro lugar”, conta.

A experiência de Junior com tecnologia é antiga. Formado em ‘Análise de Sistemas’ pela FIC em 2010, ele trabalha desde então na área, em uma empresa que desenvolve programas para desktop. Nas ‘horas vagas’, no entanto, se dedica aos aplicativos de celular. “Já fiz cursos em São Paulo e também cursos à distância, comprei um Macbook para me dedicar a isso”.

O aplicativo

PositHIVidades é uma rede social cujo principal foco é falar sobre o HIV. O aplicativo é dividido em ‘notícias’, ‘publicações’, ‘meus contatos’, ‘chat’ e ‘Guia Médico’. Em notícias, o usuário vai encontrar o que saiu na imprensa sobre o assunto. ‘Publicações’ é uma área como o feed do Facebook, onde os internautas podem postar o que quiser, e comentar e curtir as postagens dos outros.

Ainda é possível conversar em um chat geral ou de forma privada com outro usuário. Por fim, o ‘Guia Médico’ traz todas as clínicas e Organizações Não Governamentais (ONGs) cadastradas  no país, divididas por estado e cidade.

“Quando a pessoa descobre que está com a doença, geralmente fica com muitas dúvidas, não sabe o que fazer, onde procurar ajuda”, afirma Junior. “O aplicativo é feito para troca de informações, mas não é somente para quem é soropositivo, e sim para quem se interessa pelo assunto”.

Desde que lançaram o site do aplicativo (veja AQUI), os criadores possibilitaram aos internautas que se cadastrassem para receber novidades. “Em duas semanas tivemos mil cadastros. E juntando Facebook e Instagram, são pelo menos duas mil pessoas, o que prova que é um tema procurado”.

O aplicativo não é monetizado, portanto pode ser baixado gratuitamente tanto na Google Play quanto na Apple Store. A ideia dos sócios é, no futuro, investir em publicidade e anúncios. Para além disso, ‘PositHIVidades’ promete ser um grande coletor de dados.

“Para se cadastrar, a pessoa coloca nome, idade, orientação sexual, se é ou não soropositivo e endereço. Daqui a um tempo seremos uma big data que vai mostrar entre quais pessoas a doença é mais presente”, explica Junior. Vale lembrar que no aplicativo a pessoa pode aparecer com seu nome ou anônima, como preferir.

Serviço

SITE / FAN PAGE / INSTAGRAM

Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet