Olhar Conceito

Segunda-feira, 16 de setembro de 2019

Notícias / Colunas

Com a chegada da nova geração de consoles é aguardada uma 'recauchutagem' de velhos títulos

Vinicius Manià

18 Jul 2013 - 12:17

Foto: Reprodução

Com a chegada da nova geração de consoles é aguardada uma 'recauchutagem' de velhos títulos
Gamer que é gamer de verdade sente saudade de algum jogo. Todo jogador que se preze tem registrado num HD velho do fundo da alma a lembrança viva de velhas musiquinhas (em Midi, claro), gráficos quadradinhos e supercoloridos, personagens surreais e marcantes e recorda até as combinações de comandos do joystick.

Muitos games antigos viraram franquias e foram transportados de geração a geração. O caso de maior sucesso é sem dúvida o de Super Mario Bros, que mantém a popularidade dos consoles da Nintendo em alta desde 1985. Outras franquias como Sonic, Prince of Persia, Mega Man, Metal Gear, Legend of Zelda também possuem mais de 20 anos de estrada e, mesmo tendo alguns títulos fracos no meio do caminho, seguem adorados por uma legião de fãs que esperam por novidades todos os anos.

Com a chegada da nova geração de consoles, os novos celulares e a popularização das redes sociais, é mais do que aguardada uma recauchutagem de velhos títulos e franquias. Chega a hora de dar aquela repaginada pra oferecer o melhor que a tecnologia atual de games pode oferecer mas sem ofender o deleite retrô que os saudosistas de plantão tanto necessitam.

Esses dias, dando uma geral no meu armário achei um velho catálogo de games do Master System, cheio de fotos dos “lançamentos” de 1993, exatamente 20 anos atrás, e lembrei de games que foram grande sucesso nessa época e que aos poucos foram desaparecendo para nunca mais serem lembrados pelas empresas, desaparecendo por gerações das prateleiras. Fiz uma pesquisa breve na internet e vi que existem muitos fãs desses títulos que acreditam ou sonham com uma possível volta. Saudosista como sou, tratei de desenterrar da memória um conjunto de nome e franquias que devem estar se mumificando por aí.

Pensei em por onde andam Double Dragon, Golden Axe, Shinobi, Toe Jam & Earl e Out Run e vi que clássicos como o arcade Zaxxon e o sucesso do MSX Penguin Adventure tentaram voltar em versões para celular e foram um fiasco, que nunca tiveram um remake dignos de seus originais. Então selecionei umas franquias que mereciam uma chance e imaginei como seriam suas sobrevidas no cenário atual.

Sucesso no Brasil com o nome de “Jogos De Verão” por volta de 1989, o game trazia competições em modalidades como surf, roller, frisbee, skate, embaixadinhas e bicicross. Tinha um visual bacana e uma proposta inovadora para a época e ainda possuía uma trilha sonora de surf rock, ou algo que deveria lembrar isso.

California Games teve só uma continuação três anos depois e sumiu de cartaz, mas a sua marca inovativa ficou. O modo de bicicross, ou BMX, é nitidamente a influência de jogos de sucesso atuais, como Trials HD, e até hoje nunca houve outro game que representasse o surf dignamente. A sua versão moderna poderia aproveitar os sensores de movimento, como faz a série Kinect Sports, que acredito que é uma evolução mais ingênua de California Games, e incluir novas modalidades como vôlei de praia, jet ski, futebol de areia, kitesurf e asa delta.

Mas não pode pensar em perder a cara de verão do game original, praia, calor, golfinhos e gaivotas, e ainda incluir hits musicais como I Get Around dos Beach Boys e Louei Louei do Minutemen. Numa versão atual poderia ter um modo multiplayer, um bom motivo pra reunir os amigos de infância. Eu duvido que alguém resistiria a praticar embaixadinhas (foot bag, no game) usando os sensores de movimento.

Relembre a versão do Master System clicando aqui

Moonwalker. US Gold e Sega. (Arcade, Master System, Mega Drive e cpus)
Ihhh Hiiii! Não há nada nesse mundo que vai ser mais retrô e saudosista do que o legado de Michael Jackson. O game que saiu em 1989 foi sucesso nos fliperamas e acabou indo para os lares com sucesso imediato. Baseado no filme homônimo e descartável, o game trazia versões em midi das músicas mais famosas do rei do pop e tinha como destaque os movimentos de dança e coreografias do herói Michael Jackson, as quais eram as suas “armas”.

Não é segredo que os jogos de dança são um sucesso para consoles com sensor de movimento. Então imagine hoje, você entrar na pele de Michael Jackson num inédito game de ação com dança e salvar as crianças dos bandidos, interpretando os movimentos marca registrada do mestre ao som de Bad e Smooth Criminal.

Quebra a cintura pra cá, chuta o ar pra lá, solta um grito e lá se vão os malfeitores. Epa, esse jogo não é pra mim! Mas, se ele me ensinasse a fazer o tal do movimento moonwalk, aquele de “andar pra trás” e eu me visse fazendo isso na tela, acho que com a ajuda de umas cervejas e uns amigos iria ter umas boas horas de diversão. Shamone!
Lembra da versão para fliperama? http://www.youtube.com/watch?v=pzth1QT6xoY

Where is in the World Carmen Sandiego? Broderbund Software. (Computadores)

Um dos primeiros games de grande sucesso em computadores, Where in the World is Carmen Sandiego? inaugurou em 1985 uma série de games que viraria uma série de livros, desenho animado e um programa de televisão. Nos games da franquia, o jogador é um detetive que deve seguir os rastros e encontrar as pistas suficientes para capturar a famosa ladra Carmen Sandiego, em qualquer lugar do mundo (ou do tempo) em que ela esteja.

Um game que ficou famoso por ser muito educacional (os pais ficavam orgulhosos quando os filhos sabiam a capital da Índia e a moeda oficial da China). Com a internet, o game original nos dias de hoje iria parecer uma brincadeirinha infantil, como acabou ficando a imagem da franquia ao longo dos anos, mas se aliado às novas tecnologias, uma nova versão poderia render um bom passatempo mais adulto.

Os casos poderiam ser em tempo real, com prazo para serem resolvidos, as missões e as novas pistas descobertas podiam ser enviadas no email do jogador, além de é claro, os detetives competirem entre si. Pesquisar e aprender é sempre bom, mas o nível de dificuldade e complexidade dos casos poderia agora ser infinitamente maior. A franquia tentou voltar em 2004, mas não teve sucesso, se infantilizou demais, esqueceu que seus jogadores originais já tinham crescido. Consta na página do game no Facebook, que uma versão deve ser lançada em breve. Resta saber como será o game.

Eis aqui como o game era em 1991 para MS-DOS
E veja o programa de TV baseado no game, bem ao estilos dos norte-americanos

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Conceito. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Conceito poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Redes Sociais

Sitevip Internet