Olhar Conceito

Domingo, 19 de setembro de 2021

Notícias / Gastronomia

em Cuiabá

Unindo restaurante de produtos naturais, empório orgânico e gastro-bar sustentável, 'Arado' abre as portas nesta quarta

Da Redação - Isabela Mercuri

25 Fev 2018 - 10:42

Foto: Pedro Brites

Arado inaugura quarta-feira (28)

Arado inaugura quarta-feira (28)

“Amarra o teu arado a uma estrela / E os tempos darão / Safras e safras de sonhos / Quilos e quilos de amor”... Ao ouvir essa música de Gil, composta em 1989 - em um encontro casual junto a sua equipe de comunicação - os amigos Marcelo Tadeu Fraga, 37, Silvia Trevisan, 39 e Nayara Mohr, 30 tiveram certeza. ‘Arado’ seria o nome do empreendimento que eles planejavam. Na próxima quarta-feira, o local, que une um restaurante natural, empório orgânico e gastro-bar sustentável, abre as portas em Cuiabá prometendo trazer aos visitantes uma experiência surpreendente e única.

Leia também:
Chefs de Cuiabá concorrem a prêmio nacional de gastronomia em evento no Ceará

O Arado surgiu dos sonhos dos três sócios, unidos em um sonho só. Marcelo, advogado, e Silvia, bióloga, tecnóloga em alimentos e professora, são naturais do interior de São Paulo. Ele mora em Cuiabá há alguns anos, e ela já morou em Rondonópolis, mas veio para a capital em 2017. Os dois foram casados por dez anos e tiveram uma filha, e após o divórcio queriam continuar juntos de outra forma. “Quando eu mudei pra Cuiabá eu conheci a Nai. A gente ficou muito amigo, companheiro, conselheiro, e a Nai também tinha um desejo de dar uma nova direção pra vida dela, fazer algumas mudanças”, contou Marcelo, em entrevista ao Olhar Conceito. “A Sil também estava nesse mesmo movimento, não só pela mudança de território, mas mudanças de vida também, e eu também vinha nessa busca”. Nayara, por sua vez, é designer de interiores e fez uma faculdade de arquitetura até a metade, quando teve uma crise profissional e começou a estudar gastronomia.

Nayara, Marcelo e Silvia (Foto: Pedro Brites)

O que unia os três, além da vontade de mudar de vida, era a panela. Para além do talento na cozinha, eles começaram a se preocupar com uma alimentação de qualidade e a buscar uma relação mais profunda com a comida. “Buscar a verdade dos alimentos, como é o plantio, de onde eles vêm”, explica Nayara.

Segundo ela, que é a chef de cozinha do Arado, a ideia inicial era muito menor do que o projeto se tornou. “[A gente] pensava nos produtos locais, naturais, mais saudáveis, funcionais, que fazem bem pra nossa saúde... mas a ideia foi crescendo. A gente viu que podia ter uma horta, que podia plantar, que podia entrar em contato com esses nossos produtores de verdade, o que é daqui mesmo, os produtores da região. Fomos atrás dessas pessoas, descobrimos pessoas maravilhosas, várias histórias incríveis”.

A proposta

Mesmo com o crescimento durante o caminho, a proposta do Arado sempre foi a mesma: ser um espaço sustentável, que respeitasse todos os tipos de vida, natural e com o objetivo de estimular um estilo de vida saudável e prazeroso. “É você encontrar prazer na saúde, não achar que pra ser saudável tem que ser ruim, e também não achar que pra ter prazer tem que enfiar o pé na jaca. É somar esses dois conceitos”, explica Marcelo. Este conceito foi impresso não só no cardápio do restaurante, mas também na infraestrutura do espaço, na reforma, nas parcerias e nos produtos do empório.

O restaurante, comandado por Nayara, terá opções de refeições rápidas, voltadas para um happy hour. “A gente tem porções pra compartilhar, sanduíches, hambúrgueres, saladas muito interessantes, caldos, pizzas individuais (...) A gente quer que a pessoa venha harmonizar uma taça de vinho com um prato, sem precisar ser uma coisa formal”, explica a chef. Segundo ela, o menu terá opções para pessoas com restrições alimentares (lactose, açúcar, glúten), e, apesar de ter pratos que utilizam derivados de leite, haverá também opções veganas.

Prato preparado pela chef (Foto: Pedro Brites)

Nas receitas, serão utilizados prioritariamente produtos naturais e locais, todos cultivados sem agroquímicos, porém, nem todos com o selo de orgânico. “O orgânico é um produto natural que obteve uma certificação. Então ele pode ser chamado de orgânico quando ganha esse selo”, explica Marcelo. “Aqui nós temos produtores naturais, que não utilizam agroquímicos na produção, mas que não tem essa certificação, ou pelo custo dela, ou pelo nível de organização e burocracia que ela exige, então a gente também pesa esses dois fatores”.

Além de produtos oriundos destes parceiros, o Arado também usa em suas finalizações ingredientes de sua própria horta, e as chamadas PANCs, plantas alimentícias não convencionais, que os sócios já conheciam ou conheceram durante a construção do projeto. A horta, inclusive, é também o paisagismo do empreendimento, feita para alimentar, decorar, e provar aos visitantes que é possível ter uma dentro de casa. Segundo Silvia, todo o espaço possui mais de 60 tipos de plantas, sendo que 90% delas são frutíferas. “E entre estes 10%, o que não é comestível, uma variedade é medicinal. Então a maioria tem alguma utilização”, garante a bióloga.

O empório, localizado como que na ‘ante-sala’ do restaurante, vai comercializar somente produtos orgânicos, como massas de tomate, leite condensado de biomassa de banana verde, temperos, geleias, doces, chocolates, sucos integrais, vinho, cervejas artesanais, massas, chás e molhos de pimenta.  

A sustentabilidade do Arado está também em sua estrutura. A casa, alugada no Bairro Popular, foi quase totalmente reaproveitada na reforma. “A casa foi dando as respostas pra gente do que já existia aqui. Era uma casa residencial, a exigência do contrato de locação foi que a gente não retirasse nenhuma árvore, e a gente topou na hora. Fizemos um upcycling de alguns materiais, então uma porta que a gente retirou de um lugar, a gente reaproveitou em outro... o tijolo que a gente tirou da calçada da frente, a gente utilizou na estrutura da horta. Encontramos enterrados uns tijolos lá na frente, e utilizamos esses tijolos para fazer o revestimento do bar, buscamos material em ferro velho, em restaurantes que estavam fechando as portas”, conta Marcelo.

Agora, em funcionamento, o local vai usar cisternas para reaproveitar a água da chuva para regar a horta, fazer limpeza e resfriar o ambiente. “Colocamos uns irrigadores igual da horta lá em cima do telhado, e quando está muito quente a gente pode ligar, eles vão passar pelo telhado, vão dar uma refrescada, e a água vai voltar de novo pra cisterna. Ela passa por um filtro ecológico antes de ser armazenada”, completa. Por fim, também existe no local um biodigestor que trata os resíduos da cozinha antes de serem levados à rede de esgoto, e até mesmo as luminárias e as luzes do bar são de reaproveitamento.

O Arado abre as portas ao público na próxima quarta-feira (28), às 17h, e vai funcionar de segunda a sábado, sempre das 17h às 22h, com o intuito de surpreender. Apesar dos muitos comentários que ouvem sobre o lugar ‘nem parecer Cuiabá’, os sócios, todos apaixonados pela cidade, querem afastar este pensamento. “Porque o que é bonito, o que é gostoso, o que é legal, parece que não é Cuiabá? Eu acho aqui tão bonito, tão legal, tão gostoso, eu acho que a gente tem que integrar mais coisas que façam parte dessa beleza, não pode ser um espanto. Já tem muita coisa legal rolando, eu acho que esse movimento precisa só ganhar força, crescer e evoluir. Cuiabá é lindo, Cuiabá é verde, tem muita natureza, fauna, flora, riqueza produtiva, então tem muito a ver com o Arado”, comenta Marcelo.

Depois de tanto pesquisar e sonhar, agora é a hora de colher os frutos desta semente, plantada há dois anos em conversas entre os três amigos. “Pra gente é muito alem de um empreendimento. Na verdade é o nosso primeiro, mas a gente está fazendo muito mais por paixão, por realização do sonho, e agora a gente quer colher os frutos, óbvio, mas pra gente não é só o retorno monetário que importa, eu acho que poder provocar reflexões, poder provocar mudanças que vão fazer bem pra gente, pra quem está em volta da gente, pro planeta que a gente vive, não tem como mensurar, não tem como valorar”, finalizam.

Foto: Pedro Brites

Serviço

Arado Natural
Endereço: Rua Filinto Müller, 284 – Cuiabá
Horário de funcionamento: Segunda a sábado, das 17h às 22h
Inauguração: Quarta-feira, 28
FAN PAGE / INSTAGRAM
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet