Olhar Conceito

Notícias / Dra. Carol Jacobs - Nutrologia

Será que você é um falso magro, ou não?

Carol Jacobs

20 Jun 2018 - 11:04

Foto: Reprodução

Será que você é um falso magro, ou não?
Como sabemos, existem diferentes tipos de forma física, biotipos na população, e o que muitas pessoas não enxergam, é que parte delas são os verdadeiros falsos-magros. 

Leia também:
Será que você realmente precisa excluir o glúten da sua dieta?

O que vem a ser um falso-magro? São pessoas que visualmente são caracterizadas como pessoas magras, contudo, são portadores de percentuais de gordura extremamente elevado, em decorrência de falta de musculatura. Então, possuem peso baixo, porém com quilos de gordura sobrando e quilos de músculos faltando. 

Uma dieta equilibrada e exercício físico, são os dois grandes fatores para deixar o corpo em forma, não apenas por questões estéticas, mas por uma questão de saúde e melhoria na qualidade de vida. 

Cada pessoa tem uma tendência em acumular gordura em lugares específicos do corpo. Os falsos- magros, normalmente acumulam gordura em regiões como abdome, glúteos, quadril e até abaixo da mandíbula (a famosa papada). 

Esse depósito de gordura abdominal é a forma que apresenta maior risco e possibilidades de uma doença cardiovascular e outros fatores de risco associados, como diabetes, pressão arterial. 

Hoje, com o exame da bioimpedância, que é capaz de identificar  quanto de seu peso total é composto de músculo (massa magra) e gordura (massa gorda), identificando assim, o seu percentual de gordura total. De forma rápida e precisa, conseguimos saber se você está realmente magro ou leve, afinal 1Kg de músculo e 1Kg de gordura tem o mesmo peso, lógico, mas seus tamanhos são totalmente diferentes, sendo o quilo de gordura muito maior. 

Ser um falso magro não é apenas uma herança genética, sendo muitas vezes uma condição. Precisa começar a ingerir  alimentos mais saudáveis e fazer um pouco mais de exercício. 

Para grande parte da população, as calorias que não são queimadas tenderão a serem armazenadas como gordura em vez de serem transformadas em massa muscular, por isso o treino resistido (musculação) é tão necessário.

A genética também desempenha um papel importante quando se trata de ganho de gorduras. As pessoas têm diferentes níveis de sensibilidade à insulina, diferentes quantidades de células de gordura, e os nossos metabolismos respondem de forma diferente até mesmo á uma alimentação saudável.

Se você acha que sua genética está fazendo você ficar para trás, provavelmente é porque você não está treinando direito, não está se alimentando direito e não tem feito isso de forma consistente durante um tempo necessário ou existe outro aspecto no seu estilo de vida, prendendo você.

*Dra. Carol Jacobs é formada em Medicina pela Faculdade do Planalto Central (UNIPLAC) em Brasília no ano de 2008. Pós-graduada em Geriatria pela Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais e pós-graduada em Nutrologia pela Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN). Capacitada em Nutrologia Esportiva, Suplementação alimentar do sedentário ao atleta, Nutrologia Geriátrica, Fisioendocrinologia Muscular, Ergogênicos e Obesidade.

1 comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Conceito. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Conceito poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • rodrigo
    20 Jun 2018 às 15:55

    Eu sou magro mas não sou falso!

Redes Sociais

Sitevip Internet