Olhar Conceito

Sexta-feira, 30 de outubro de 2020

Notícias / Comportamento

Numerologia aponta chances de vitória e “inimigos ocultos” de candidatos ao governo; confira

Da Redação - Isabela Mercuri

22 Ago 2018 - 11:08

Foto: Rogério Florentino/Olhar Direto/Reprodução

Numerologia aponta chances de vitória e “inimigos ocultos” de candidatos ao governo; confira
Inimigos ocultos; ano propício a reconhecimentos; possibilidade de aparecimento de problemas judiciais: estes são algumas das possibilidades apontadas pelo numerólogo Marco Aurélio Ramos Mendes aos principais candidatos ao cargo de governador de Mato Grosso. Trabalhando há 22 anos com numerologia, e estudando há 31, ele aceitou um convite do Olhar Conceito e fez uma análise de cada um dos nomes que disputarão o voto do eleitor mato-grossense em outubro. Veja:

Leia também:
Ouça e veja os jingles dos candidatos a governador em Mato Grosso
 
Wellington Fagundes e seus ‘inimigos ocultos’

Foto: Rogério Florentino / Olhar Direto

Perfil: “Tem um perfil bastante negociador, muito ábil em coordenar grupos, equipes, pessoas, em lidar com perfis diferentes. Tem uma natureza que consegue, quando ele quer, agregar, unir, juntar, tem uma facilidade em ouvir muito o ponto de vista do outro”.

Problema: “Ele pode ser muito permissivo. Pode ser muito condescendente, ou às vezes camarada demais, no sentido de confiar demais, e isso traz uma tendência a ter problemas. Tem um perfil de gestor, mas deve controlar essa tendência a, às vezes, ceder demais, negociar demais, isso pode trazer problemas pra ele, e já deve ter trazido problemas de gestão, de coordenar pessoas, às vezes abusarem muito da boa vontade dele”.

Situação neste ano (de vida): “Ele está num ano bastante difícil. Começou agora no aniversário dele. Nesse período de 12 meses ele está num ano muito desafiador, que é o ano 9, originário de um 18, e o 9 de 18 é um ano que pra qualquer pessoa está no meio de inimigos não declarados, ocultos. Isso é um ambiente que indica trairagem, puxada de tapede, apunhalada pelas costas que ele pode sofrer. Isso não é indicador de ganhar a eleição. É um ano que pode trazer muitos problemas financeiros, perdas, dívidas, problemas judiciais, denúncias ocultas. É uma energia que começou há pouco tempo, muito danada, muito terrível, pra quem passa por ela. Este é o indicador de uma finalização de um ciclo de nove anos. Isso não quer dizer que nunca mais vai ser político, mas traz um indicador de que essa tentativa existe, essa possibilidade realmente de não lograr efeito, com grande risco de gerar muita perda financeira, e como isso vai até junho do ano que vem, ainda pode ocorrer denúncias, problemas judiciais, denúncias falsas”.
 

Mauro Mendes - o mais propício a se tornar governador

Foto: Rogério Florentino / Olhar Direto

Perfil: “Ele tem uma alma 4 e destino 1. É o perfil executivo, ele tem um perfil próprio para executar, que não funcionaria bem no legislativo. Ele gosta de ver as coisas materializadas, gosta de ver o esforço dele realmente se tornar algo concreto, e não ficar no campo das ideias, do abstrato. Esse é um perfil bastante direto, curto e grosso, mas ele tem um número que vem trabalhando ao longo desse período, que antes apresentava maior dificuldade, que a gente chama de imagem 6. Lá atrás ele era uma pessoa que tinha dificuldade de bater duro, de se posicionar, de colocar o ponto de vista dele de maneira mais firme. Isso foi trabalhado ao longo desse período, tanto que antes da primeira eleição dele eu dizia que se ele não trabalhasse isso ele não ia ganhar, e foi o que aconteceu. Agora, ele já esta mais lapidado nesse sentido, porque o ambiente político exige às vezes uma postura um pouco mais dura (...). É um perfil que realmente se compromete, vai e faz. Geralmente o que ele promete ele vai e faz. É o perfil típico que a gente analisa para empresas, quando se trata de contratar executivos. Ele tem o perfil próprio pra isso. E o cargo executivo, como prefeito, governador, realmente é um cargo como se fosse do executivo de uma empresa. Ele tem uma habilidade pra trazer a ideia dele e colocar isso em prática, tem perfil pra vida pública. A missão da vida dele é o 9, é um empresário, mas todo 9 tem uma vontade de fazer em algum momento algo em prol do coletivo, da comunidade, como se fosse uma gratidão por aquilo que recebeu da vida”.

Problema: “O problema desse perfil é que tudo o que eles vão fazer, eles precisam se dedicar de corpo, alma, coração e vísceras. Se ele está lá como executivo do governo do estado, ele tem que se dedicar totalmente a essa atividade. Se ele está cuidando do próprio negócio, ele tem que se dedicar totalmente a essa atividade. Aí aparece a dificuldade dessas pessoas realmente encontrarem alguém para confiar. Porque quem tem 4 na alma, eu sempre alerto: muita atenção em quem você deposita confiança. Então ele tem que achar alguém muito leal, muito comprometido, para quem ele delegue a empresa dele; mas ele tem que ficar checando se está fazendo. Assim também ele tem que agir dentro do ambiente dele de trabalho dentro do Governo do Estado. Quem tem alma 4 precisa controlar os seus subalternos. Ele precisa controlar, se não traz problemas”.

Situação neste ano: “Está numa fase de vida de modernização. Dia 12 de abril ele começou o ano 9 de 27, é um ano muito positivo para projetar uma pessoa à vida pública. Ele é o que está mais propício a atingir esse objetivo. Se ele souber explorar essa energia de ano 9, de mostrar o que ele fez, [porque] o 9 também é um número de projeção, mas o 9 dele de 27, é um número de reconhecimento pelo que fez, e isso ajuda as pessoas que estão nesse número a atingir os objetivos que queiram. Ele traz a possibilidade de obter o reconhecimento pelo trabalho feito anteriormente. Esse é um número de bênçãos, mérito, como se o universo dissesse: eu vou te abençoar pelo que você fez anteriormente. Pra aqueles que não fizeram, num ano como esse, é o ano de fechamento de um ciclo. Mas como ele tem um histórico aqui, ele tem grande possibilidade de atingir esse objetivo e se tornar governador. Ele tem um ambiente muito propício para projeção e servir à comunidade”.
 
Pedro Taques - o ‘ano da exposição’



Foto: Rogério Florentino / Olhar Direto

Perfil: “O Pedro Taques tem uma alma 7, e o 7 é aquela energia de pessoas que gostam de investigar. Não é a toa que ele foi pro Ministério Público. Você vai encontrar isso no mapa de promotores, psicólogos, investigadores, auditores, fiscais, delegados, policiais, legistas... essa é a natureza dele. Isso é um perfil extremamente técnico, atento a detalhes, e por isso que ele sempre se deu muito bem no legislativo, porque é um perfil próprio para legislativo. Ele já foi pro Senado e se destacou. Mas esse não é um perfil com habilidade para o executivo. Eu sempre falei isso nas entrevistas, a primeira vez que eu citei esse aspecto jogaram pedras, e está aí o resultado. Ele tem um destino 9, e isso trouxe popularidade, reconhecimento público, mas ele tem dificuldade com a parte executiva, que exige outros recursos pessoais”.

Missão de vida: “Quando nós somamos o dia, mês e ano [de nascimento], nós encontramos a missão de vida da pessoa. E [o dele] é o número 6. O 6 é a missão da pessoa que veio para aprender a resolver as coisas na vida com diplomacia, negociando conflitos, pacificando conflitos, intermediando questões de conflitos, de brigas, então ele tem a missão de ser um conciliador”.

Problemas: “A pessoa que tem o perfil 7 é muito crítica, muito exigente, muito perfeccionista. Nós sempre dizemos que o 7 tem muita facilidade de apontar o dedo pro erro alheio, mas ele tem muita dificuldade em reconhecer os próprios erros. Quando você faz uma crítica pra uma pessoa 7 ela se arrepia, a pega o canhão que ela tem (...) Porque o 7 tem uma capacidade de bater o olho em você e traçar seu perfil em 5 segundos. São muito inteligentes, analíticos, pegam o ponto fraco das pessoas facilmente. Mas, às vezes, como ele opera, num primeiro momento ele vai até usar o 6, diplomacia, e tal, se de repente essa pessoa resolve se voltar contra o outro, aí ele desperta o 7 e começa a dar tiro pra todo lado. Isso é típico de quem tem esses números no mapa. Toda pessoa que tem 6 e 7 no mapa tem tendência a agir assim. São pessoas com baixíssima tolerância a crítica. Eles têm essa dificuldade enorme.

Situação este ano: “O Pedro Taques está num ano numerológico 11, o ano 11 é um ano que promove, dá visibilidade,  mas a visibilidade do 11 é para o bem e para o mal. Tudo o que você fizer ou fez, no ano 11 vai aparecer como se fosse um holofote. Então tem a chance de subir no palco e dar seu show, mas tem a chance de subir no palco e, se cometeu um erro, levar tomates. (...) Quando nós pegamos políticos, empresários que estão no ano 11, eu percebi nessa experiência de 22 anos que é muito comum aparecer problemas legais, judiciais. (...) Esse 11 está conjugado com o trânsito de número 7, isso vai até 15 de março de 2019. Essa é uma conjunção perigosa, porque é um indicador de que muita coisa oculta vem à tona, muita coisa que as pessoas não sabiam aparece. Eu sempre aviso, quando tem essa conjunção 7 com 11: ou a sua máscara vai cair, ou as máscaras de quem está à sua volta vão cair.

Finalização de ciclo: “Tem outro trânsito que ele vai receber a influência ano que vem, que é um 9. Começa ano que vem e vai até o final da vida dele. Sempre que o 9 está numa virada de vida, às vezes ele tem um caráter de finalização, é como se a missão da pessoa estivesse cumprida. Isso reforça que pode ser que ele tenha encerrado essa missão. Porém, esse mesmo 9 traz indicativo de popularidade. Ele pode, lá na frente, ser eleito de novo como senador, deputado, algo assim. Mas essa finalização pode indicar encerramento como também uma perda. Pode ser falecimento de alguém querido, perda de posição, perda de status, perda da eleição, alguma coisa encerra na vida dele. Porém, a médio prazo e longo prazo ele tem perspectiva de voltar e manter a influência na vida política”.
 
Moisés Franz – o ‘sem perfil para o executivo’

Foto: Reprodução

Perfil: “Tem um perfil bastante expansivo, dinâmico, muito criativo, muito visionário, mas tem um perfil com muita dificuldade pra trazer para o senso prático. É um poço de ideias, bastante rápido, porém impulsivo, e tem dificuldade para o continuísmo. E normalmente, quando a gente vai fazer a análise de um mapa para um gestor público, como um governador, presidente, que é um gestor público, não tem diferença nenhuma que um mapa que eu analiso para um executivo de uma empresa. Então quando eu pego um perfil como esse, ele não tem o perfil para executivo, apesar do temperamento mandão”.

Problemas: “É um perfil imediatista, bastante impulsivo e que tem a tendência  a mudar de ideia muito rapidamente. Eu não vejo como um perfil para o executivo. Para o legislativo até pode ser, porque ele tem uma mente muito rápida, muito ágil, e no legislativo você precisa mudar, às vezes, muito rapidamente o ponto de vista, a maneira de pensar, ao longo do papel como legislativo você vai mudando suas ideias, seus ideais. No executivo ele enfrentaria muitos problemas, e traz uma dificuldade no controle de gestão financeira, que está sendo tão exigido pra essa gestão atual em qualquer área que venha assumir”.

Situação este ano: “Ele está num período que está com muita ambição, e nesta ambição, nessa vontade de assumir funções, ele poderia direcionar isso de forma mais correta para o legislativo, teria a possibilidade realmente de colher frutos”.
 
Arthur Nogueira – o irredutível          


Foto: Fabiana Mendes / Olhar Direto     

Perfil: “Pessoa de alma 8, e destino 4. Personalidade extremamente ambiciosa, do lado positivo, uma habilidade de trabalho muito grande, é um trator pra trabalhar, muito focado, muito persistente”.

Problema: “Tem uma tendência muito forte de radicalismo, intolerância, muita dificuldade em ser contrariado. É uma personalidade altamente centralizadora, que quer que as coisas só saiam da forma dela, e esse é um mapa que exige que essa pessoa seja justa, correta e honesta”.

Missão de vida: “Número 3, a missão da comunicação. Mas as vezes ela pode falar impropérios, ela pode ofender a uma pessoa sem medir muito as palavras, então tem um temperamento desafiador, apesar de ter perfil para o executivo. Tem perfil pra comandar, pra liderar, mas tem um temperamento muito radical, é um desafio no mundo de hoje, que temos que lidar com pessoas totalmente diferentes e com interesses diferentes”.

Situação neste ano: “Ele está num ano 11, começou dia 21 de junho. [Este ano] sempre projeta a pessoa, dá um holofote. Então caso a pessoa suba no palco e faça um show maravilhoso, se projeta. Pode até não ganhar, mas sai com dividendos de um ano como esse, sai com visibilidade. Mas, se cometer erros e falhas e falar algum impropério, tudo o que falar ao longo deste ano, vai ser lembrado por décadas. Tem que ter muita atenção com o que a pessoa faz dentro de uma energia 11, porque ela realmente projeta todo aspecto positivo e negativo”.

Numerologia

Marco Aurélio nasceu em Campo Grande, mas vive em Cuiabá há 22 anos. Conheceu a numerologia aos 19, depois de uma ‘frustração’: havia estudado por anos para entrar no ITA (Instituto Tecnológico da Aeronáutica), mas foi convocado para servir à base aérea. Quando voltou, já tinha outros planos, mas sua mãe, achando que ele estava perdido, quis levá-lo em uma numeróloga. Ele não quis. “Meus dois irmãos, que são médicos, foram. Eu fui o único que não fui nessa numeróloga. E ela [a mãe] me trouxe um papel, todo escrito, e quanto eu li aquele papel eu olhei praquilo e achei que ela tivesse manipulado. Falei: você está tentando manipular, você que falou [essas coisas] pra essa mulher. E ela percebeu que eu ia jogar fora. Mas minha mãe guardou esse papel dentro de um livro”.

Alguns meses depois, Marco abriu este livro, e foi ali que começou a se interessar pela numerologia. Primeiro, timidamente, até mesmo escondido dos familiares, já que atuava como advogado. Foram quase dez anos de estudo até começar a atender como numerólogo. Atualmente, ele afirma que vive “somente para a numerologia”. Já foram mais de sete mil clientes atendidos, de todo o mundo.

Sobre o que é a numerologia, ele explica: “São cálculos baseados no primeiro princípio de Pitágoras”, diz. Estes números podem ser utilizados para fazer mapas pessoais, que dão direcionamentos e orientações de personalidade, e também para mapas empresarias, em que se ‘cruzam’ os mapas dos sócios.

“O leigo chama essa interpretação de momento como ‘previsão’, mas isso não é correto. A palavra que mais se aproxima seria talvez prognósticos ou tendências, mas ainda não são as palavras ideais. Entender o que está acontecendo naquele momento, o que a vida quer daquela pessoa, o que ela traz de oportunidades, mas também de desafios. Qual é a postura que ela tem que ter naquele momento, isso nos traz a consciência de que tudo é cíclico na natureza. O universo é cíclico”, finaliza .

Serviço

Marco Aurélio - SITE
Contatos:
(11) 959551128 Whatsapp e Telegram - Tim/SP
(65) 981157451 Whatsapp e Telegram - Tim/MT
marconumerologo@gmail.com

Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet