Olhar Conceito

Sábado, 05 de dezembro de 2020

Notícias / Leandro Freire - Nutricionista

Disbiose: isso pode estar atrapalhando seus objetivos de emagrecimento

Leandro Freire

18 Out 2018 - 17:20

Foto: Reprodução

Disbiose: isso pode estar atrapalhando seus objetivos de emagrecimento
Sabe-se há mais de três décadas que o corpo humano contém dez vezes mais células microbianas do que células humanas estes microorganismos colonizam praticamente toda a superfície do nosso corpo que está exposto ao meio ambiente externo, incluindo a pele, cavidade oral, respiratória, urogenital e gastrointestinal. Destes locais do corpo, o intestino é, de longe, o órgão mais densamente colonizado. A grande e complexa comunidade de microrganismos que residem ou passam através do intestino é referido como a microbiota intestinal. A microbiota intestinal desempenha vários processos metabólicas  imunológicos ,antimicrobianos e várias outras funções fisiológicas, psicológicas e principalmente nutricionais no nosso corpo,pois é no  intestino é  que ocorre a digestão e a absorção dos nutrientes que são essenciais para o funcionamento normal do nosso organismo e para a produção de energia. Ou seja, num intestino não saudável, pouco importa o que você está comendo ou tomando (suplemento), se não está havendo absorção correta desses nutrientes.

Leia também:
Whey Protein: além da hipertrofia muscular

Um intestino não saudável, acarreta em desequilíbrio na flora intestinal(Bácterias) que é denominada Disbiose.

Quais são os sintomas da Disbiose?

Sensação de que tudo que você come provoca gases, de induz a sensação de inchaço, desconforto abdominal aumenta a incidência de flatulência, oscilação entre diarreia e constipação, provoca sensações esporádicas de enjoos, diminuição  da absorção de nutrientes , diminuição da resposta imunológica e novos estudos ligam a disbiose a obesidade e risco de diabetes tipo II
  
Mas o qual a causa da Disbiose?

Maus hábitos alimentares é um dos principais fatores responsáveis pelos desequilíbrios da flora intestinal. O consumo excessivo de alimentos industrializados, álcool, excesso de gordura, alimentos refinados,  aliados à uma baixo consumo de frutas, verduras e fibras. O uso prolongado de fármacos como p antibióticos, antiinflamatórios e corticóides também desequilibram a flora intestinal, além disso temos o fator stress, que causa desequilíbrios no Ph intestinal.

Quem diagnostica e qual o tratamento?

O diagnóstico é feito pelo médico gastroenterologista, e o tratamento dependendo do estado é feito com uso de antibióticos específicos seguido de uma reeducação nutricional feita por um Nutricionista capacitado, onde será feita a prescrição de suplementação de FRUTOOLIGOSSACARÍDEOS, que tem o efeito prebióticos para estimular o crescimento de Probióticos ou a prescrição de cepas específicas de lactobacillus para o equibrio da flora intestinal.

Contudo é sempre muito importante investigar a origem dos desequilíbrios que o organismo apresenta, e muitos deles começam no seu intestino. A descoberta precoce e o tratamento correto pode ser a chave na solução de inúmeros outros problemas que você nem imaginou ter relação com este órgão, incluindo a sua energia e performance e a tão sonhada mudança de composição corporal.

*Dr. Leandro Freire Santana
Nutricionista Esportivo
CRN/1 8331
 

Referências

Ahmed S, Macfarlane GT, Fite A, McBain AJ, Gilbert P, Macfarlane S (2007) Mucosa associado diversidade bacteriana em relação ao íleo terminal humana e amostras de biópsia de cólon. Appl Environ Microbiol 73 (22): 7435-7442
CARREIRO, Denise Madi.  O ecossistema intestinal na saúde e na doença. São Paulo: Vida e Consciência, 2014.
Andoh A, Sakata S, Koizumi Y, Mitsuyama K, Fujiyama Y, Benno Y (2007) fragmento de restrição análise de polimorfismo de comprimento Terminal da diversidade da microbiota fecal em pacientes com colite ulcerativa. Inflamm Bowel Dis 13 (8): 955-962
Andoh A, Tsujikawa T, Sasaki M, Mitsuyama K, Suzuki Y, Matsui T, Matsumoto T, Benno Y, Fujiyama Y (2008) perfil microbiota fecal de doença de Crohn determinado pelo terminal de polimorfismo de comprimento de fragmentos de restrição (t-RFLP). Aliment Pharmacol Ther 29: 75-82
Armougom F, Henry M, Vialettes B, Raccah D, Raoult D (2009) Monitorização da comunidade bacteriana da microbiota intestinal humana revela um aumento de Lactobacillus em pacientes obesos e Methanogens em pacientes anoréxicos. PLoS One 4 (9): e7125
ALMEIDA, Luciana B. et al. Disbiose Intestinal. Revista Brasileira de Nutrição Clínica, Belo Horizonte, v.24, n.1, p. 58-65, Dez. 2008.
Adlerberth I, Wold AE (2009) Estabelecimento da microbiota intestinal em crianças ocidentais. Acta Paediatr 98 (2): 229-238
SPEZIA, Gabriela et al. Microbiota intestinal e sua relação com a obesidade. Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento, São Paulo, v.3, n.15, p.260-267, maio/jun. 2009.

Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet