Olhar Conceito

Quarta-feira, 19 de junho de 2024

Notícias | Turismo

defesa do Pantanal

Após ‘cota zero’ em MS, presidente de Federação de pesca pede mesmo decreto em MT

Foto: Reprodução

Após ‘cota zero’ em MS, presidente de Federação de pesca pede mesmo decreto em MT
Ainda no mês de fevereiro, quem não for pescador profissional não poderá levar nenhum quilo de peixe dos rios de Mato Grosso do Sul. O decreto que determina a ‘cota zero’ ainda não foi publicado, mas já foi anunciado pelo governador do estado Reinaldo Azambuja (PSDB). Em Mato Grosso, o presidente da Federação de Pesca Esportiva e Amadora, Tarso Lopes, publicou um vídeo defendendo a prática, e cobrando a mesma postura do governador Mauro Mendes (DEM).


Leia também:
Prefeitura quer promover intercâmbio de jovens de 15 a 17 anos para a Itália

“Governador [Azambuja], parabéns. Nós conclamamos isso há muito tempo em Mato Grosso. Nós, das pousadas, estamos lutando por isso há muito tempo e não conseguimos ainda. Mas temos certeza que o governador Mauro Mendes vai nos ajudar”, disse. Segundo Tarso, mensalmente Mato Grosso recebe 22 mil pescadores, e cada um tem uma cota de 5kg, mais um exemplar (que, geralmente, atinge os 10kg). “Isso representa cerca de 300 a 400 toneladas por mês, somente da pesca amadora. Desconsiderando as outras modalidades de pesca. Nós precisamos preservar. O Pantanal é lindo, é maravilhoso, e precisa respirar”, afirma o presidente.



A ‘cota zero’ determinada em Mato Grosso do sul vale apenas para a pesca amadora, e não para os profissionais. Empresários do turismo apoiaram a decisão, já que a medida incentiva a pesca esportiva, ou seja, aquela que é feita no modelo ‘pesque e solte’.

No último dia 31 de janeiro, Azambuja afirmou, em uma agenda pública, que o decreto será feito em acordo com os setores envolvidos. “Nós estamos desenhando o decreto. Não é um decreto finalizado e com certeza vamos chegar a um consenso. É muito inteligente a cota zero e a pesca esportiva. Agora vamos trabalhar, ouvir as reivindicações, ouvir os setores. Lógico que não vai ter unanimidade de pensamentos, mas, vamos buscar o que é melhor para o meio ambiente, para a geração de emprego e novas oportunidades de turismo”.

Regras em MT

Em Mato Grosso, a possibilidade da pesca amadora foi reaberta na última sexta-feira (1), quando acabou a piracema. No entanto, é necessário seguir algumas regras: estar habilitado com a carteira de pesca, não usar apetrechos proibidos e respeitar a cota e tamanho mínimo do pescado, que para amadores é de cinco quilos e um exemplar, e para profissionais é de 125 kg por semana.

O período de defeso da Piracema ocorreu entre 1º de outubro de 2018 e 31 de janeiro de 2019. A pesca nesse período é crime e acarreta em prisão e multa que varia de R$ 1 mil a R$ 100 mil com acréscimo de R$ 20 reais por quilo de peixe encontrado.

Nos trechos dos rios federais que fazem divisa com outros estados, a pesca continua proibida até o dia 28 de fevereiro, seguindo normas federais. Em áreas de unidade de Conservação a pesca é proibida durante todo o ano.  
Entre em nossa comunidade do WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Assine nossa conta no YouTube, clique aqui

Comentários no Facebook

Sitevip Internet