Olhar Conceito

Domingo, 20 de outubro de 2019

Notícias / Religiosidade

Via Sacra contempla a paixão, morte e ressurreição de Jesus Cristo no cotidiano da vida

Da Redação - Isabela Mercuri

16 Abr 2019 - 14:25

Foto: Rogério Florentino Pereira/Olhar Direto

Via Sacra contempla a paixão, morte e ressurreição de Jesus Cristo no cotidiano da vida
Seguindo o tema da Campanha da Fraternidade 2019, ‘Fraternidade e Políticas Públicas’, os alunos do 9º ao 3º ano do Colégio Notre Dame de Lourdes representaram a Via Sacra na manhã desta terça-feira (16) de uma forma diferente. Ao invés de simplesmente encenar a Paixão de Cristo, os estudantes criaram um roteiro que mostra como o sofrimento de Jesus está presente na vida das pessoas nos dias de hoje.

Leia também:
Colégio Notre Dame de Lourdes implanta programa bilíngue a partir do maternal

“Eles passam pelas estações que Jesus vivenciou: sua paixão, morte e ressurreição. Nós trazemos memórias, por estarmos vivenciando a semana intitulada semana santa, então fazemos memória afetiva, espiritual, do caminho que Jesus percorreu, de sua paixão, morte, crucificação e ressurreição. E essa preparação está dentro da Campanha da Fraternidade deste ano, que tem como tema: Fraternidade e Políticas Públicas”, explica a diretora da escola, irmã Marluce Almeida.

Para representar Pôncio Pilatos, por exemplo, que ‘lavou as mãos’ perante a condenação de Cristo, os alunos lembraram a situação da Santa Casa de Misericórdia, com um deles representando um enfermo, e outro um político que ‘lava as mãos’ perante a população carente.

A segunda estação da Via Sacra, quando Jesus carrega a cruz nas costas, levou os estudantes a pensar sobre as cruzes que cada um carrega em sua vida. Para isso, colocaram a música ‘O homem que não tinha nada’, de Projota, e representaram a história de Josué, um trabalhador que tem sua cruz para carregar no dia a dia.



As três quedas de Jesus foram lembradas por meio das cruzes que podem derrubar os jovens. Nesta cena, violência doméstica, bullying, depressão e drogas empurravam uma garota que tentava se libertar, e que só conseguiu com o auxílio da fé.



A presença da mulher foi um dos fios condutores da interpretação. Lembrando de Maria, que esteve ao lado do filho durante todo o trajeto, e das mulheres de Jerusalém, o grupo chamou a atenção para a falta de representatividade das mulheres na política, a violência doméstica e a desigualdade em situações como no mercado de trabalho.

Com a última estação, por fim - quando Jesus Cristo chega ao calvário, é pregado à cruz e sepultado – foi feito um paralelo nas histórias de pessoas que, de sua forma, também foram testadas e crucificadas, dentre elas Malala, Maria da Penha e santa Emilie de Villeneuve. “Vamos fazer silêncio para agradecer a todos aqueles e aquelas que, assim como essas mulheres, tiveram a coragem, assim como muitos homens também, de construir verdadeiras ressurreições aqui na terra”, pediu a diretora neste momento.



Para a estudante Ana Clara Garcia, 14, do 9º ano, esta foi uma forma de aproximar os alunos da história, que já aconteceu há mais de dois mil anos. Ela, que quer ser diretora de cinema, comandou e ensaiou o grupo.

“Eu me senti muito bem representando as mulheres durante essa apresentação inteira, porque é sempre bom. A gente sofre muito no mundo atual, e a gente tem que continuar. O tanto de coisa que a gente já conquistou, e ainda temos um caminho enorme pra caminhar... acho interessante a gente trazer estes temas porque somos uma escola católica, e representar essas histórias de um jeito que as pessoas se sintam mais dentro delas. Mais próximas. Porque é uma coisa que aconteceu há milhares de anos, e a gente conseguiu trazer situações atuais, até aqui de Cuiabá mesmo, como a Santa Casa”, afirmou.

Ana Clara Garcia (Foto: Rogério Florentino / Olhar Direto)

João Vitor Salazar, 15, também do 9º ano, foi um dos atores da Via Sacra. Segundo ele, nunca tinha se apresentado para um público grande, mas se surpreendeu e também gostou da temática. “Eu achei chamativo, me toca bastante, e acho importante pras pessoas começarem a levar mais a sério o assunto”.

João Vitor Salazar (Foto: Rogério Florentino / Olhar Direto)

A Via Sacra foi encenada na Semana Santa, que começou na última segunda-feira (15) e segue até o domingo de Páscoa. A Campanha da Fraternidade, por sua vez, começou na quarta-feira de cinzas e, na escola, será trabalhada durante todo o ano. Para a diretora, a intenção de tudo isso é levar os alunos à reflexão: “Que Cuiabá eu quero continuar construindo? O nosso colégio tem 58 anos, a sua família tem uma história. Que legados nós queremos deixar? Vamos caminhar com Jesus nessa semana intitulada semana santa para ressurgirmos com ele. Porque a vida triunfa sobre a morte. Porque Jesus nos promete essa vida eterna”.

7 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Conceito. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Conceito poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Elda Mariza Valim Fim
    18 Abr 2019 às 06:42

    Emocionante! Muita criatividade e creio que inspirada por Deus essa obra de arte do ensino que faz as crianças se compadecerem dos que sofrem. Com certeza essas crianças vão levar pra vida toda a lembrança de que o próximo.representa Cristo e podemos cuidar de Cristo quando cuidamos das crianças e dos enfermos. O que fizestes a cada um desses pequeninos a mim o fizeste. Parabéns ao colégio e às professoras.

  • Edu
    17 Abr 2019 às 06:54

    O meu comentário foi totalmente respeitoso, não usei nenhum tipo de ofensa...vê-se a credibilidade desse site. Foi a ultima vez que acessei.

  • Lauro Portela
    16 Abr 2019 às 21:51

    O Cristo veio para junto dos mais pobres: nasceu miserável numa manjedoura, cresceu perseguido por poderosos, foi imigrante noutra pátria, não abaixou a cabeça para os que o inquiriam, lutou contra as injustiças e esteve ao lado dos injustiçados. Se os cristãos não praticam esta mensagem - que o oposto do que prega este governo -, nem deveria se considerar cristão.

  • Curimbata
    16 Abr 2019 às 18:10

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Willian
    16 Abr 2019 às 17:12

    É a mesma coisa que querer em uma ópera, colocar pessoas dançando funk. Se pretendem fazer homenagens, que façam, porém , cada um no seu quadrado, por favor. Me admira as irmãs aceitarem uma aberração dessas.

  • Joao Cabral
    16 Abr 2019 às 16:31

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

  • Edu
    16 Abr 2019 às 16:28

    Vetado por conter expressões ofensivas e/ou impróprias, denúncias sem provas e/ou de cunho pessoal ou por atingir a imagem de terceiros. Queira por favor refazer seu comentário e reenviá-lo.

Redes Sociais

Sitevip Internet