Olhar Conceito

Sexta-feira, 19 de julho de 2019

Notícias / Artes visuais

Exposição fotográfica retrata cotidiano de crianças com microcefalia e suas famílias

Da Redação - Vitória Lopes

27 Abr 2019 - 08:15

Foto: Bruno Sampaio

Exposição fotográfica retrata cotidiano de crianças com microcefalia e suas famílias
A troca de experiências e vivências do grupo “Mães por Amor” idealizou a exposição fotográfica “A vida com microcefalia”, que busca sensibilizar e desmitificar o cotidiano de crianças com microcefalia e suas famílias. O fotógrafo Bruno Sampaio retratou os desafios e as trajetórias de 17 crianças de 1 a 7 anos de idade, que vivem na Baixada Cuiabana. A exposição acontece no Espaço Magnólia, no próximo sábado (27).

Leia mais:
Museu do Morro da Caixa D’Água Velha é revitalizado e abriga nova exposição


Bruno, que é pai de Miguel, de 9 meses, foi convidado para fotografar as crianças pela doula que realizou o parto de sua esposa. Por trabalhar com fotografia documental de famílias, o fotógrafo aceitou na hora o desafio e percorreu por duas semanas diversos bairros periféricos de Cuiabá – muitos sem saneamento básico. Durante a experiência, ele não só viu o dia a dia dos fotografados, como também observou suas dificuldades.

“Depois que começou essa parte de construção da fotografia digital para a fotografia impressa, mobilizei amigos e conhecidos para auxiliar essas mães a terem mais ‘visualizações’, vamos dizer assim. A ter um impacto, sair do lado invisível, e dar visibilidade para essa doença, porque elas (mães) tem muita dificuldade de apoio às vezes”, comenta.

Retratando o cotidiano dessas famílias da forma mais natural possível, sem grandes produções, as 32 fotografias que compõem a exposição mostram o amor e cuidado dos pais pelos filhos em seu ápice mais genuíno.

“Eu ficava conversando, perguntando como que era ser mãe de uma criança com microcefalia. Quais eram as dificuldades de cuidar de uma criança nessa situação e o que ela trazia de bom, o que ela agregava na vida dessa família, e você percebia o amor da mãe e dos familiares por aquela criança”, tentava explicar em palavras o fotógrafo. “Cada caso, cada mãe, cada criança, era uma forma que me impactava”.

Microcefalia

Quando o zika vírus ganhou os holofotes, em 2015, ele assustou especialmente grávidas, devido o aumento repentino do número de casos de microcefalia. Segundo o Ministério da Saúde, enquanto que entre 2010 e 2014 foram registrados um total de 781 casos em todo país, durante o ano de 2015 já foram registrados 2.401 casos da doença e 29 óbitos em 549 municípios do Brasil.

A microcefalia é uma malformação congênita, em que o cérebro não se desenvolve de maneira adequada. Neste caso, os bebês nascem com perímetro cefálico (PC) menor que o normal, que habitualmente é superior a 32 cm. Essa malformação congênita pode ser efeito de uma série de fatores de diferentes origens, como substâncias químicas e agentes biológicos (infecciosos), como bactérias, vírus e radiação.

Serviço

Data: 27 de abril (sábado) no Espaço Magnólia; 29 e 30 de abril na Assembleia Legislativa
 

1 comentário

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Conceito. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Conceito poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

  • Gisele
    27 Abr 2019 às 09:45

    O cotidiano dessas famílias é pesado, não há nada romântico nessa situação. Os pais precisam de apoio psicológico e financeiro na maioria dos casos. É uma doença facilmente evitável pelo uso do repelente. Mães, força e disposição pra cuidar bem desses anjinhos!

Redes Sociais

Sitevip Internet