Olhar Conceito

Quinta-feira, 21 de novembro de 2019

Notícias / Artes Cênicas

Companhia de dança contemporânea de renome internacional apresenta espetáculos em Cuiabá

Da Redação - Isabela Mercuri

28 Mai 2019 - 17:00

Foto: José Luiz Pederneiras/Divulgação

Companhia de dança contemporânea de renome internacional apresenta espetáculos em Cuiabá
Um espetáculo do ‘Grupo Corpo’, companhia de dança contemporânea brasileira de renome internacional, será apresentado em Cuiabá no próximo sábado, 1 de junho. O espetáculo é realizado pela Energisa em homenagem aos 300 anos de Cuiabá, tem entrada gratuita e acontece no ginásio Aecim Tocantins.

Leia também:
Curso gratuito ensina técnicas de canto para musicais em Cuiabá

O ‘Grupo Corpo’ tem mais de 40 anos de história. Foi fundado em 1975 em Belo Horizonte, por Pedro Pederneiras, Miriam Pederneiras, Marisa Pederneiras e Izabel. Entre 95 e 99, o grupo foi companhia residente na Maison de La Danse em Lyon na França.

Em Cuiabá serão apresentadas as coreografias ‘Dança Sinfônica’ e ‘Parabelo’. Os ingressos estão disponíveis para retirada na bilheteria do Cine Teatro de Cuiabá desde a última segunda-feira (27), das 15h às 21h, e no dia do espetáculo serão distribuídos no ginásio a partir das 17h (caso haja disponibilidade).

Ambas as apresentações tem coreografia de Rodrigo Pederneiras e trilhas especialmente compostas: Danças Sinfônicas, peça de Marco Antônio Guimarães, executada pela Orquestra Filarmônica de Minas Gerais; Parabelo, música de Tom Zé e Zé Miguel Wisnik.

‘Parabelo’ é uma coreografia de inspiração sertaneja, feita a partir de uma trilha composta por Tom Zé e José Miguel Wisnik em 1997. Para o coreógrafo do Grupo Corpo esta é “a mais brasileira e regional” de suas criações.

‘Dança Sinfônica’, de 2015, tem música de Marco Antônio Guimarães. Ela celebrou os 40 anos da companhia, e o mote traduziu-se “num retorno de Rodrigo Pederneiras às melhores notações de todo um vocabulário de movimentos construído ao longo de mais de 30 anos de residência como coreógrafo da companhia – uma lembrança recriada, que processa, com a bagagem acumulada em décadas de exercício de desprendimento da forma, quase uma síntese da própria escritura”.

A memória está estampada no cenário. Um painel, que recobre todo o fundo do palco, aparece para o espectador como um mosaico abstrato. Mas na superfície de 8m x 16m estão aplicadas mais de mil lembranças e homenagens. São fotografias do cotidiano de artistas e técnicos - bailarinos, maîtres de ballet, produtores, professores, cenotécnicos, iluminadores, camareiros do Grupo Corpo, recolhidas e selecionadas por Paulo Pederneiras  – que assina a criação cenográfica. Não há, nessa  tapeçaria de rostos, uma foto de cena sequer – todas as imagens são informais, flagrantes espontâneos que registram ensaios, viagens, bastidores, aulas.  As laterais do palco – chamadas ‘pernas’, na linguagem cenográfica – estão cobertas por um solene veludo vermelho, quase uma moldura de gala para aquelas fotos – retratos íntimos dos 40 anos de convivência e trabalho da mais importante companhia privada de dança no país.  

O resultado, de acordo com a assessoria, “carrega um lirismo transbordante, tecido em referências a personagens e passagens que, dentro ou fora da cena, marcaram a trajetória do Corpo - numa diluição sutil e bem dosada das memórias, que empresta à reconstituição uma alta voltagem emocional – e que atinge seu clímax no extenso e primoroso pas-de-deux em espiral, reputado por seu criador entre os melhores a que deu vida até hoje”.

Energisa Viva 300 anos

Além do espetáculo desde sábado, a Fundação Ormeo Junqueira Botelho, entidade cultural mantida pelo Grupo Energisa, realiza também no final de agosto a segunda etapa da celebração, com atrações nacionais que marcam a cultura das áreas de atuação de Energisa, e com o espetáculo teatral "Cuiabá 300 anos" do Grupo Cena Onze, peça escrita pelo historiador João Carlos Vicente Ferreira e dirigida por Flávio Ferreira, contando a história da tricentenária cidade com a presença de mais de uma centena de atores e figurantes. Serão três dias de atividades, com opções para todas as idades.

Na sexta-feira, 31 de Maio, a aula e os ensaios do Grupo Corpo no Ginásio Aecim Tocantins estarão abertos das 17h às 20 h, a todos os bailarinos e coreógrafos de Cuiabá, bem como a alunos e professores das academias de dança da cidade, bastando para isso se inscrever até uma hora antes à entrada do ginásio com o pessoal de recepção especialmente contratado.
 
Serviço


Espetáculos Parabelo e Dança Sinfônica – Grupo Corpo
Sábado, 1 de junho
Horário: 21 h
Local: Ginásio Aecim Tocantins
Entrada livre – Limitada aos cinco mil primeiros ingressos distribuídos

Os ingressos poderão ser retirados na bilheteria do Cine Teatro Cuiabá a partir do dia 27 de maio  ou no dia do evento a partir das 17h na bilheteria do Ginásio Aecim Tocantins. A abertura do estádio para entrada do público será a partir das 19h

0 comentários

AVISO: Os comentários são de responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Olhar Conceito. É vedada a inserção de comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros. O site Olhar Conceito poderá retirar, sem prévia notificação, comentários postados que não respeitem os critérios impostos neste aviso ou que estejam fora do tema da matéria comentada.

Redes Sociais

Sitevip Internet