Olhar Conceito

Terça-feira, 28 de setembro de 2021

Notícias / Comportamento

HUMANIZAÇÃO DO ENSINO

“Internet tem informação, não formação”, diz Leandro Karnal durante palestra sobre educação em Cuiabá

Da Redação - José Lucas Salvani

29 Jul 2019 - 16:15

Foto: Felipe Gabriel/Reprodução

“Internet tem informação, não formação”, diz Leandro Karnal durante palestra sobre educação em Cuiabá
A “internet tem informação, não formação”. A frase é do professor e historiador Leandro Karnal, nesta segunda (29). O educador veio a Cuiabá para discutir a humanização do ensino em uma palestra que abriu a terceira edição do Seminário da Educação Básica, que se estende até o dia 31 de agosto.

Leia mais:
Leandro Karnal palestra sobre educação e os desafios da humanização dos conhecimentos

Um dos principais pontos apresentados pelo educador é que os professores não têm mais o que ensinar aos alunos. No sentido de que os discentes pouco se interessam com o ensino tradicionalista - a construção de frases, história e matemática - porque não conseguem enxergar como aplicar tais ensinamentos no dia-a-dia e também no sentido de que às vezes são os próprios alunos que ensinam aos professores a usarem um projetor, por exemplo.

A internet também contribui para a falta de interesse, já que nela tudo pode ser encontrado. As formas de se fazerem os trabalhos escolares mudaram, explica o professor. Antes era preciso fazer uma extensa pesquisa por meio de livros, enquanto hoje uma busca no Google pode resolver o problema. 

Apesar desta facilidade que a internet proporciona, não é nela em que os alunos vão encontrar a formação. Um professor é necessário para que seja transmitido o aprendizado. Porém, o professor sofre para conseguir dar uma aula, por conta da falta de disciplina dos discentes. Muitas vezes os professores conseguem iniciar a aula após meia hora do horário previsto de início, e diz que se dá mais pelo cansaço dos próprios alunos quanto à bagunça do que pelo domínio dos docentes.

Ele compara a educação de hoje ao século passado, quando a represália era o remédio e brinca que os alunos são “crianças chantilly”, que é só bater que cresce, mas hoje o entendimento é outro. É preciso entender o aluno, dar aula para aquele que mais faz bagunça, não para o que sempre participa das aulas, este já “está formado”. Ele acrescenta que dar aula é negociar, desde a sala de aula até na sala dos professores.

Leandro Karnal defende que é preciso de pessoas lúcidas no ensino. É preciso que os professores reconheçam que os seus alunos são seres humanos como qualquer outros, e elogia que apesar dos inúmeros problemas enfrentados ainda há professores com vontade de lecionar.

A terceira edição do Seminário da Educação Básica acontece no Hotel Fazenda de Mato Grosso até o dia 31 de agosto. Entre os palestrantes convidados, estão as professoras Barbara Cortella e Andréa Rosana Fetzner, da Universidade Federal de Mato Grosso e da Universidade Federal do Rio de Janeiro, respectivamente.
Entre em nosso grupo de WhatsApp e receba notícias em tempo real, clique aqui

Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet