Olhar Conceito

Quarta-feira, 30 de setembro de 2020

Notícias / Comportamento

Projeto 'Lute como uma gorda!' discute gordofobia na escola na noite desta sexta-feira

Da Redação - Isabela Mercuri

27 Set 2019 - 08:30

Foto: da Assessoria

Projeto 'Lute como uma gorda!' discute gordofobia na escola na noite desta sexta-feira
A terceira roda de conversa do projeto ‘Lute como uma gorda’ acontece na noite desta sexta-feira (27), a partir das 19h, no Metade Cheio Bar & Bistrô. A entrada é gratuita, e após a discussão, haverá um pocket show do Trio Cravocanel. Desta vez, o tema é ‘Gordofobia na Escola’.

Leia também:
Alunos do Notre Dame plantam 125 mudas de árvore e distribuem outras 500 neste sábado

O projeto integra o espaço virtual Estudos do Corpo Gordo Feminino (Facebook/Instagram), como suporte fundamental das investigações de doutoramento da pesquisadora Maria Luísa Jimenez, a Malu. Todas as ações advindas do grupo, bem como do projeto, pioneiro no Estado de Mato Grosso, têm como objetivo central a desmistificação do corpo feminino gordo como algo feio e doente.

“Todo mundo pode participar, fazer perguntas e dar a sua opinião, em um lugar descontraído, onde é possível tomar uma cerveja, comer algo, assistir a um show. É como fazer a construção de conhecimento, mas sem a formalidade da sala de aula”, destaca a pesquisadora.

Além dela, participam do bate-papo a professora aposentada Terezinha do Nascimento Souza, o psicólogo e jornalista Maurilio Mederix, especialista em gestão do trabalho e educação na saúde.

A pesquisadora conta que escolheu o Metade Cheio também pela informalidade, deixando as pessoas gordas mais à vontade. “A ideia é conversarmos de forma mais relaxada, porque às vezes uma pessoa gorda tem vergonha de ir a outros lugares, neste, ela consegue ficar em outro ambiente, distante, confortável”, acrescentou.

A importância do tema vêm da urgência em se debater a gordofobia, que nas escolas, vêm disfarçada de preocupação com a saúde. “Infelizmente o espaço educacional é extremamente gordofóbico. A gente já percebe pelo espaço, com as cadeiras, os banheiros. Eu tenho visto muitos depoimentos na minha pesquisa e também nas redes em como isso afeta pessoas desde a infância, desde a educação infantil, então, é urgente que tenhamos este debate”, afirma Malu.

Ainda de acordo com a pesquisa dela, as palestras educacionais falam somente da alimentação saudável e dos esportes, ignorando os estigmas e exclusão dos corpos dissidentes e diferentes da normatização do corpo magro.

“Nas minhas entrevistas, a maioria das mulheres que responderam, elas lembram de situações de gordofobia que elas passaram na escola e eu tenho recebido depoimentos de mães de crianças de 3 e 4 anos que chegam em casa chorando, dizendo que querem emagrecer porque a tia, a professora ou os amiguinhos disseram que ela está feia”, declara.

A proposta é, a partir de agora, transformar a cartilha do Lute como uma Gorda em uma versão infantil, o “Lute como uma gordinha”, para que as crianças tenham mecanismo para enfrentar o preconceito e a discriminação.

O projeto ‘Lute como uma gorda!’ consiste numa série de ações educacionais, informativas e recreativas, gestadas como importante braço de ação na comunidade, a cerca de questões que envolvem o corpo gordo feminino e seu lugar na sociedade

Serviço

Evento: 3ª Roda de Conversa – Gordofobia na escola.
Data: 27/09/2019
Local: Metade Cheio Bar e Bistrô
Horário: 19h
Entrada Gratuita

Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet