Olhar Conceito

Quarta-feira, 28 de julho de 2021

Notícias / Comportamento

RETROSPECTIVA

Gusttavo Lima com mesa por R$ 20 mil e artistas regionais marcaram as lives em 2020

Da Redação - José Lucas Salvani

03 Jan 2021 - 07:39

Foto: Reprodução

Gusttavo Lima com mesa por R$ 20 mil e artistas regionais marcaram as lives em 2020
Sem poder sair de casa, principalmente nos primeiros meses de pandemia do novo coronavírus, os mato-grossenses foram atrás de entretenimento seguro e as lives foram a alternativa encontrada. Transmissões de artistas regionais e também nacionais, como o Gusttavo Lima, invadiram as casas dos moradores de Mato Grosso em 2020.

Leia mais:
Juntos há seis anos, prefeito de MT e arquiteta se casam em cerimônia intimista por conta da pandemia

Uma das primeiras lives  realizadas em Mato Grosso foi o “Ixpia O Festival”, que durou cerca de duas semanas. A ação foi feita no Instagram e contou a participação de mais de 70 artistas, com cerca de nove transmissões diárias, e teve como objetivo conscientizar a população em relação ao covid-19.

Ao longo do ano, diversos nomes de destaque para a cultura mato-grossense se reuniram para as transmissões. Ainda em abril, Pescuma, Henrique e Claudinho, acompanhados pelo maestro Fabrício Carvalho, participaram de uma das edições do Festival “Cultura em Casa”, promovido pela Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer de Mato Grosso (Secel-MT).

Não somente grandes nomes, o Festival também investiu em novos artistas em maio. Luana Carvalho foi uma das selecionadas, na época. “Para nós, o festival online faz com que nos aproximemos de lugares distantes, não só da capital, mas de todas as outras cidades envolvidas. Também ajuda a nos desafiar, a sair da zona de conforto principalmente em relação à tecnologia. Faz com que a gente compreenda que talvez a distância não seja tão grande assim e que podemos mostrar o valor da nossa cultura regional”.

Ainda em maio, o cantor cuiabano de samba e pagode, Léuo, realizou uma live que promoveu a arrecadação de alimentos e recursos para os músicos. Os donativos foram arrecadados e distribuídos através de uma parceria com o Maluti Buteco e Bistrô, que já está fazendo campanha e recebendo doações. “Vamos nos juntar a eles nessa missão e tentar facilitar ao máximo para que as doações cheguem. Quem não conseguir entregar lá no Maluti, nós buscaremos. As famílias que precisam receber, nós também faremos a entrega”, explicou o cantor Léuo, na época.

A principal live realizada em Mato Grosso foi do cantor Gusttavo Lima, em outubro, uma semana após a separação com Andressa Suita. O cantor desembarcou em Sorriso (a 340 km de Cuiabá) para dar continuidade ao projeto “O Embaixador The Legacy”, que contou com o patrocínio da Nutribras Alimentos, com realização da empresa Sandrinn Shows.

A live chamou atenção dos mato-grossenses pelo fato de que foram vendidas mesas pelo valor de R$ 20 mil. Entre as personalidades presentes no show, foram diversos políticos, incluindo o governador Mauro Mendes (DEM), o secretário-chefe da Casa Civil, Mauro Camargo (DEM), além de vários empresários do setor do agro.

Grande parte das lives realizadas por artistas mato-grossenses foram realizadas com o intuito de arrecadar recursos para a categoria, que enfrentou uma grande crise visto que show e espetáculos ficaram estritamente proibidos, seja por decretos estaduais ou municipais. Para tentar aliviar os impactos no setor cultural, a Lei Aldir Blanc promoveu o surgimento de diversos editais no estado e na capital mato-grossense.

Em nível estadual, os cinco editais emergenciais culturais possuem orçamento total de R$ 29,85 milhões, contemplando ao todo 593 projetos; com previsão inicial de que os selecionados recebessem o pagamento até dia 31 de dezembro. Já em nível municipal, Cuiabá disponibilizou R$ 3,9 milhões. Entre os editais, um deles selecionou 70 artistas para que suas respectivas peças fossem exibidas em uma exposição prevista para 2021.

Para Alexandre Matozo, um dos proprietários do Malcom Pub, as lives não devem se encerrar com o fim da pandemia. "O mundo seguiu para o online. Mesmo com o fim do isolamento social, é pouco provável que o streaming desapareça junto com as máscaras e demais equipamentos de proteção individual. Esse é um novo nicho de mercado, com vasto alcance de público, que ainda será muito explorado. Afinal, o conteúdo em tempo real gera respostas e dados em tempo real", comenta Alexandre.

O cenário não deve se alterar também para os teatros, se depender do diretor do Cena Onze, Flávio Ferreira. O diretor já afirmou ao Olhar Conceito que os atores do grupo e estudantes da MT Escola de Teatro só voltam aos palcos para apresentações presenciais quando houver uma vacina contra o novo coronavírus.

O Cena Onze pretende estar levando o formato digital para o pós-pandemia, de forma que se mescle com o presencial. A ideia é conseguir poder levar espetáculos para diversos lugares de uma maneira muito simples do que uma tradicional turnê pelo país ou, em determinados casos, pelo mundo.

Além dos bares, o conteúdo ao vivo também se expandiu para treinamentos e reuniões corporativas; palestras, seminários e aulas; desfiles de moda; exposição e vendas de produtos; cultos religiosos; campanhas institucionais e/ou políticas; até reuniões familiares. Entre os canais mais populares para as lives, constam Facebook, Instagram e YouTube, entre outros. 

Até o fechamento desta matéria, que foi realizado na última segunda-feira (28), Mato Grosso registrava 176.545 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, sendo 4.457 óbitos em decorrência do coronavírus.

Dos 176.545 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, 4.632 estão em isolamento domiciliar e 166.798 estão recuperados. Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a Covid-19, há 183 internações em UTIs públicas e 176 em enfermarias públicas. Isto é, a taxa de ocupação está em 45,41% para UTIs adulto e em 20% para enfermarias adulto.

Comentários no Facebook

Redes Sociais

Sitevip Internet